Estados Unidos

Estados Unidos x Cuba: jogo histórico

Poderia ter sido apenas mais um jogo pela segunda rodada da fase semifinal das eliminatórias da CONCACAF para a Copa do Mundo de 2010. Mas na verdade este foi um dos jogos mais importantes da história do futebol dos Estados Unidos.

O jogo em si não teve nada de especial. Pelo contrário. O nível técnico da partida foi baixo, e a seleção norte-americana, sendo bastante superior ao seu adversário, fez apenas o suficiente para garantir a vitória pela contagem mínima. O que fez este jogo entrar para a história foi o local e o adversário.

Depois de 61 anos, a seleção dos Estados Unidos foi a Havana, capital de Cuba, para disputar uma partida oficial de futebol. Foi apenas a segunda vez na história que os EUA enfrentaram Cuba “em Cuba”, e a primeira vez que visitam o país sob o comando de Fidel Castro e com o embargo econômico imposto pelo governo estadunidense sobre a ilha.

Em relação ao jogo em si, o gol de Clint Dempsey aos 40 minutos do primeiro tempo foi o suficiente para garantir a segunda vitória da seleção ianque nesta fase das eliminatórias. Em um campo ruim e com bastante chuva, os americanos jogaram apenas para o gasto para levar mais 3 pontos para casa. Os Estados Unidos foram mais uma vez sólidos na defesa e não tomaram sustos, com exceção de uma cabeçada do cubano Yeniel Márquez aos 43 minutos do segundo tempo, que foi desviada no zagueiro americano Carlos Bocanegra, e defendida espetacularmente por Tim Howard.

De qualquer forma, mais importante do que o jogo e os 3 pontos obtidos, foi a visita da seleção dos EUA a Havana, e o histórico confronto entre dois inimigos. Mais uma vez o futebol foi superior a rivalidades políticas, econômicas ou religiosas, demonstrando que o esporte pode e deve dar bons exemplos, além de ser instrumento de paz para o mundo.

3 gols e 9 pontos

Nesta quarta-feira (10/09), houve mais uma rodada pela fase semifinal das eliminatórias da CONCACAF. E em seu primeiro jogo em casa nesta fase, os EUA receberam Trinidad & Tobago no Toyota Park em Chicago, e não tiveram problemas para conseguir outra vitória.

Com gols de Michael Bradley, Clint Dempsey e Brian Ching, a seleção ianque não tomou conhecimento do adversário e obteve mais uma tranqüila vitória. Agora, os Estados Unidos somam 9 pontos em 3 jogos, sendo que 2 destes jogos foram realizados fora de casa.

Com este jogo, a seleção norte-americana anotou mais alguns recordes para o seu livro. Foi o sexto jogo consecutivo em que a defesa estadunidense não tomou gols, seqüência esta que começou com o empate em 0x0 com a Argentina, em 08/06. Assim, a muralha norte-americana, neste jogo formada por Tim Howard (goleiro), Heath Pearce, Carlos Bocanegra (capitão), Oguchi Onyewu e Steve Cherundolo, completou 551 minutos sem levar gols.

Além disso, esta foi a sexta vitória seguida em jogos de eliminatórias para uma Copa do Mundo, contando desde o último jogo das eliminatórias para a Copa de 2006. Finalmente, as 5 vitórias seguidas nestas eliminatórias empatam com a seqüência obtida durante as eliminatórias para a última Copa, mas desta vez os EUA ainda não tomaram gols.

Assim, os Estados Unidos seguem firme em sua caminhada à classificação para mais uma Copa do Mundo. O próximo adversário é novamente Cuba, mas desta vez em território americano.

Primo pobre

Se por um lado os EUA têm uma campanha brilhante pelas eliminatórias e são favoritos para uma das vagas do continente para a Copa do Mundo de 2010, o Canadá sofre para conseguir disputar uma das vagas.

Tendo caído no chamado “grupo da morte” destas eliminatórias, o Canadá até o momento não conseguiu vencer. Nos três jogos disputados (sendo 2 em casa), o Canadá obteve apenas um empate, com a Jamaica, na primeira rodada.

Nos dois jogos seguintes, contra Honduras e México, o Canadá perdeu ambos por 2×1, ficando mais distante da sonhada volta à principal competição do futebol.

Cada vez mais líderes

Columbus Crew, pela Conferência Leste, e Houston Dynamo, pela Oeste, mostraram superioridade nessa última semana e firmaram-se na liderança de suas respectivas conferências.

O Crew enfrentou o NE Revolution, segundo colocado do Leste, e com quem vem travando uma dura disputa pela liderança da conferência. Dessa vez, no entanto, o Crew foi muito superior e goleou o rival por 4×0, abrindo 5 pontos na liderança (43×38). Os Revs, com o resultado, caíram para a terceira colocação, empatados com o Fire, mas em desvantagem nos critérios de desempate.

Já o Houston enfrentou o lanterna do Leste, o KC Wizards, e também venceu de forma convincente por 3×1. Com o resultado, o Dynamo abriu 7 pontos (38×31) de distância do Real Salt Lake, segundo colocado e que apenas empatou com o LA Galaxy (2×2), que com esse resultado caiu para o último lugar da Conferência Oeste.

Pela maneira como vem jogando, o Dynamo coloca-se mais uma vez como um dos grandes favoritos para levar a MLS Cup, o que seria a terceira vez consecutiva do jovem clube texano.

Supremacia do Oeste

Nos demais jogos pela temporada regular da liga nesta rodada, o Oeste levou a melhor em todos os confrontos entre times de conferências diferentes.

Além da vitória do Dynamo sobre o Wizards comentada acima, o Chivas USA venceu, também por 3×1, o Toronto FC. Com o resultado, a equipe californiana aproximou-se do Real Salt Lake na disputa pela vice-liderança da Conferência Oeste, ficando apenas um ponto atrás (31×30).

No outro confronto, o surpreendente San Jose Earthquakes venceu o D.C. United por 2×1, e continua subindo na tabela. Este foi o oitavo jogo sem perder dos Quakes, que já somam 28 pontos e estão na quarta posição do Oeste, depois de passar quase o campeonato inteiro na lanterna. E o próximo jogo dos invictos Quakes será contra o líder Dynamo, equipe surgida do antigo time de San Jose. Pelo momento dos times e pela história, será um jogo imperdível.

Outra equipe que demonstrou recuperação foi o Colorado Rapids, que venceu FC Dallas por 1×0 e deixou a última posição da conferência, que agora é ocupada pelo LA Galaxy, que tem o mesmo número de pontos que o Dallas, mas perde nos critérios de desempate.

Por fim, o único a vencer pelo Leste foi o Chicago Fire, que bateu o NY Red Bull por 1×0 e com isso subiu para a segunda posição do Leste, empatado com o Revolution, mas em vantagem nos critérios de desempate. As demais posições na tabela da Conferência Leste permaneceram inalteradas, tendo aumentado a distância dos 3 primeiros para os demais times.

Trapalhada

Um fato bastante inusitado e tragicômico aconteceu no empate entre Real Salt Lake e LA Galaxy. Aos 5 minutos do primeiro tempo, o atacante argentino Fabián Espíndola (que foi eleito o melhor jogador da semana passada) tocou de cabeça e mandou a bola para o fundo da rede do Galaxy.

Animado com o gol que abriria a contagem da partida, deu uma pirueta no meio-de-campo. Mas a alegria de Espíndola durou pouco: o atacante sofreu uma fratura na perna ao cair no gramado e o árbitro ainda anulou o gol, por impedimento.

Espíndola foi substituído logo após a trapalhada no campo e deverá desfalcar o clube por seis semanas. Após o jogo, o argentino deu entrevistas dizendo que estava envergonhado pela trapalhada, e que não repetiria mais esse tipo de comemoração, que fazia desde as categorias de base na Argentina.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo