Estados Unidos

Emoção sem divisão no futebol norte-americano

Em um final de semana de pouquíssima ação na MLS, Orlando City e Harrisburg City Islanders se encontraram na decisão da USL Pro, algo como o terceiro nível de futebol nos Estados Unidos (para quem quiser entender melhor a pirâmide, pode encontrá-la aqui http://en.wikipedia.org/wiki/American_Soccer_Pyramid ). O jogo foi realizado no Citrus Bowl, em Orlando, e 11220 pessoas compareceram, além de transmissão nacional pela televisão.

Primeiramente, entenda melhor a USL Pro. Assim como na MLS, os clubes são divididos em duas conferências. Na divisão americana estão Antígua Barracuda (de Antígua e Barbuda), Charleston Battery, Charlotte Eagles, Orlando City, Richmond Kickers e Wilimington Hammerheads. Já na nacional, se encontram Dayton Dutch Lions, FC New York, Harrisburg City Islanders, Los Angeles Blues, Pittsburgh Riverhounds e Rochester Rhinos. Vinte e quatro jogos durante a temporada regular e oito vagas nos playoffs, onde são disputados jogos únicos em todas as fases para decidir o campeão.

Voltando à final da competição, o jogo não teve muita ação durante seu primeiro tempo. Mas o que veio depois compensou. Logo aos 3 minutos da etapa complementar, Miguel Gallardo, goleiro do Orlando City, derrubou Sainey Touray fora da área, mas como na interpretação do juiz, ele tirou uma oportunidade clara de gol de Touray, foi expulso. O reserva Sean Kelley entrou para ocupar seu lugar e aí estava a chance do conto de fadas.

Chances foram criadas dos dois lados durante todo o segundo tempo, mas gol mesmo só no fim do jogo. Aos 44 minutos, Lewis Neal fez boa jogada que foi completada para o gol por Lawrence Olum. Nesse momento parecia que Orlando ficaria com o título. Mas depois de cinco minutos de acréscimos, JT Noone aproveitou escanteio e empatou o jogo para o Harrisburg.

Hora de prorrogação. E logo no começo dela, o Harrisburg aproveitou a vantagem de um jogador e o momento criado com o gol marcado nos acréscimos do segundo tempo. Cinco minutos foram necessários para que Touray vencesse Kelley e desse a liderança aos visitantes.

Só que a vantagem não durou muito. Faltando sete minutos para o fim da prorrogação, Geoff Bloes derrubou Dennis Chin na área. Pênalti marcado e cartão vermelho direto para Bloes.  Lewis Neal bateu bem, marcou e levou a partida para a decisão por pênaltis.

Kelley, goleiro reserva do Orlando, defendeu os dois primeiros pênaltis do Harrisburg, cobrados por Nelson Becerra e José Ângulo. Enquanto isso, Neal e Yordany Alvarez converteram suas cobranças dando uma ótima vantagem ao Orlando. Mas como se não bastassem as reviravoltas dentro dos 120 minutos jogados, as coisas também mudaram nos pênaltis.

JT Noone e Stephen Basso colocaram o Harrisburg de volta na disputa de pênaltis. Mas mesmo assim o Orlando poderia vencer em quatro cobranças. Não foi o que aconteceu. Charlie Campbell e Luke Boden desperdiçaram suas chances e tudo ficou para os últimos batedores. Touray cobrou muito mal e jogou para fora. Devom Jorsling aproveitou e deu o título da USL Pro para o Orlando City.

Alguns podem questionar o nível técnico do jogo, mas para um jogo de terceira divisão em um país onde o futebol vem crescendo, a partida foi boa. E nada melhor para ajudar o crescimento de um esporte em uma nação do que uma decisão de campeonato emocionante.
Parabéns ao Orlando City!

Confira os resultados da 25ª semana da MLS

Real Salt Lake 2×1 Philadelphia Union
RSL: Kyle Beckerman (18’), Chris Schuler (25’) / PHI: Sebastien Le Toux (30’)

Sporting Kansas City 2×2 Los Angeles Galaxy
SKC: Julio Cesar (72’), Omar Bravo (90’) / LA: Sean Franklin (25’, 74’)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo