Estados Unidos

Em queda livre

Os casos de simulação no futebol são extremamente repugnados pelos fãs estadunidenses de futebol, além de servir como pretexto de muitos para não acompanhar o soccer. No último final de semana, dois lances em dois jogos por duas competições diferentes motivaram a volta do debate sobre os tais atos.

No sábado, na partida entre Real Salt Lake e DC United, o time de Utah vencia por 1 a 0, quando o atacante Charlie Davies entrou na área e vendo que o defensor Chris Wingert daria um carrinho, simulou uma queda tentando cavar um pênalti e o árbitro Terry Vaughn entrou na onda e marcou a penalidade, que Davies converteu.

Assim que o pênalti foi assinalado, começou a discussão no twitter. Matthew Doyle, analista do site da MLS, classificou como “o fiasco mais ridículo da temporada”, enquanto seu companheiro de site, Steve Davis, disse que foi “uma queda absolutamente cômica”. Até Steven Goff, que cobre o DC United para o jornal The Washington Post , comentou que “Davies deveria se sentir envergonhado por isso”.

Mais tarde, Nick Rimando, goleiro do RSL e usuário ativo da rede social, postou em seu perfil “Respondendo as perguntas de vocês, eu não tenho nada contra Charlie, bons atacantes sabem como jogar e usar a inteligência quando preciso. Muito bem, meu amigo.”. A reação de Rimando foi bem diferente da que Landon Donovan teve quando o mesmo Davies cavou pênalti contra o Galaxy em abril, resposta que você poder ver aqui.

Como se não bastasse o primeiro lance para voltar com a discussão, no dia seguinte apareceu mais um. Na partida entre Estados Unidos e Jamaica, o meia Jermaine Jones avançava praticamente sozinho para ficar de cara com o goleiro jamaicano, mas quando um dos defensores adversários deu um carrinho, que aparentemente o teria acertado, Jones deu dois passos e desabou. Como o defensor era o último homem e deu um carrinho por trás, ele acabou tomando o vermelho direto.

Vieram os replays e Jones parecia não ter sido acertado como pensou o árbitro. E mais uma vez, o twitter esteve em polvorosa. Grant Wahl, analista da Sports Illustrated e conhecido por muitos, fez um questionamento: “Pior simulação do final de semana: Charlie Davies ou Jermaine Jones?”. Enquanto isso, Brian Straus, da revista

SportingNews, escreveu “Jermaine Jones mergulha como um cisne e o jamaicano Taylor é expulso pela entrada. Odeio ver um jogador com a camiseta dos EUA se jogar.”

A declaração de Straus condiz com o sentimento dos torcedores americanos. Pode-se ver isso em respostas destinadas aos perfis dos jornalistas citados, em sites de alguns outros jornalistas e até nos perfis sociais da US Soccer, a federação de futebol do país. Muitos deles diziam que não importava o resultado da ação, mas não aprovariam o fato de um jogador com a camiseta norte-americana se jogar.

Na opinião deste que vos escreve, a simulação de Davies foi a pior, já que o defensor nem encosta no atacante do DC United, enquanto na situação de Jones, há um pequeno toque do adversário, não o suficiente pra o fazer parar a jogada, mas talvez suficiente para que o americano perdesse o equilíbrio.

Caso o leitor queira tirar sua opinião sobre os lances, aqui está o de Davies e o de Jones, aqui. E se quiser trocar idéia sobre as simulações ou algum outro ponto do futebol nos EUA, é só conversar com este que vos escreve no twitter (@matheus_rocha).

Resultados da 14ª semana da MLS:

New England Revolution 0x0 Toronto FC
Sporting Kansas City 1×0 San Jose Earthquakes
SKC: CJ Sapong (31’)

Toronto FC 0x1 Seattle Sounders
SEA: Fredy Montero (90’)

Real Salt Lake 1×1 DC United
RSL: Fabian Espíndola (38’) / DC: Charlie Davies (85’)

Colorado Rapids 1×3 Los Angeles Galaxy
COL: Conor Casey (64’) / LA: Drew Moor (contra, 25’), Juninho (42’), Chad Barrett (80’)

Vancouver Whitecaps 1×0 Philadelphia Union
VAN: Alain Rochat (12’)

New England Revolution 1×1 Chicago Fire
NE: Rajko Lekic (49’) / CHI: Dominic Oduro (32’)

Houston Dynamo 0x2 Columbus Crew
CLB: Andres Mendoza (41’), Bernardo Anor (77’)

Chivas USA 1×2 FC Dallas
CHV: Michael Lahoud (71’) / DAL: Brek Shea (22’), Jackson (85’)

Portland Timbers 3×3 New York Red Bulls
POR: Jack Jewsbury (48’), Kevin Goldthwaite (49’), Stephen Keel (contra, 67’) / NY: Austin da Luz (5’), Thierry Henry (73’), Dwayne DeRosario (90’)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo