Estados Unidos

Donovan: “Vai ser quase impossível reparar a relação de McKennie com seus companheiros de seleção”

McKennie foi cortado da seleção americana por quebrar os protocolos sanitários e, antigo ídolo do US Team, Donovan avaliou a situação

Diante do fortalecimento recente da seleção dos Estados Unidos, Weston McKennie surgia como um protagonista na equipe de Gregg Berhalter. O meio-campista foi importante na conquista da Liga das Nações e adquire uma ótima experiência com a Juventus na Serie A. Entretanto, a sequência do americano com o US Team está em xeque. Nesta Data Fifa, ele quebrou os protocolos sanitários dentro da concentração. Por conta disso, se ausentou no empate contra o Canadá e acabou cortado antes da difícil visita a Honduras na sequência das Eliminatórias.

Ainda não está clara qual foi a atitude de McKennie, que levou o técnico Gregg Berhalter a afastá-lo do grupo. No entanto, Landon Donovan apontou que a relação talvez não seja tão simples de se reconstruir. Em entrevista ao podcast do jornalista Grant Wahl, Donovan disse saber os detalhes do acontecimento, embora não tenha contado. E garantiu que ele precisará se esforçar para restabelecer seu espaço dentro dos vestiários, diante da quebra do acordo com os companheiros.

“Vai ser quase impossível de reparar a relação de McKennie com seus companheiros de seleção. Ele tem muito trabalho a fazer com seus colegas, para garantir que nunca repetirá algo do tipo. Pela maneira como ele agiu, perdeu a confiança dos outros jogadores”, comentou Donovan, que atualmente trabalha como treinador no San Diego Loyal, clube das ligas menores do qual também é proprietário. Vale lembrar que Donovan foi companheiro de seleção de Berhalter e de outros membros da comissão técnica.

“Estou a par do que aconteceu, mas não vou comentar isso publicamente. Vou apenas dizer que estou incrivelmente desapontado com Weston, incrivelmente desapontado. Olha, eu posso entender que com a Juventus você fica em casa durante meses e quer receber pessoas. É a coisa mais inteligente a se fazer numa pandemia? Não, mas eu entendo”, complementou.

McKennie é reincidente na quebra dos protocolos. Em abril, o meio-campista deu uma festa em sua casa e acabou suspenso por isso, em punição que também se estendeu a Paulo Dybala e a Arthur. O episódio com a seleção americana amplia os problemas disciplinares. O jogador de 23 anos disputou 25 partidas pela seleção principal e marcou sete gols. McKennie tinha balançado as redes na decisão da Liga das Nações contra o México e chegou mesmo a usar a braçadeira de capitão num amistoso recente contra a Suíça, em maio.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo