Estados Unidos

Donovan merece a seleção. Mas e estar entre os 11?

Há pouco mais de dois meses surgiu uma vaga na seleção americana por causa de uma lesão. Todos esperavam que Landon Donovan fosse convocado. Só que Jurgen Klinsmann acabou chamando Brad Evans e ouviu muitas críticas, além de algumas questões sobre o futuro do herói americano na seleção. No momento que escrevo esta coluna, não há mais dúvidas.

Confesso que quando Graham Zusi começou a se destacar no lado direito da linha de três atrás de Josy Altidore, o local normal de Donovan, achei que o ciclo do astro do Los Angeles Galaxy realmente tinha acabado na seleção, mesmo com ele tendo idade para mais uma Copa do Mundo. E eu queimei minha língua e meu pensamento.

Em sua volta à seleção para amistosos e a Copa Ouro, Donovan tem sido brilhante. São cinco gols e seis assistências em cinco partidas, sendo quatro delas válidas pela competição continental. Sem contar que com o meia em campo, o futebol da seleção parece muito mais vistoso e objetivo.

Outro ponto positivo da presença de Donovan foi ajudar os jovens que estão na equipe da Copa Ouro. Joe Benny Corona, Mix Diskerud, Brek Shea e até o já experiente Stuart Holden se beneficiaram de Donovan para crescer e isso mostrou resultados em campo, tanto que os quatro marcaram durante estes cinco jogos.

Com o desempenho atual, parece óbvio que Donovan terá uma vaga no elenco que virá ao Brasil em 2014, já que os americanos têm a vaga praticamente assegurada. Resta saber se Klinsmann dará um jeito de colocar o maior artilheiro da história da seleção na escalação titular.

240713110608

Donovan teria que entrar na linha de três atrás de Altidore, como já mencionado. Só que ele não tomaria o lugar de Dempsey, que tem sido um dos melhores jogadores da seleção. Então restam algumas opções para Klinsmann:

1.       Simplesmente trocar Zusi por Donovan, mas talvez a equipe perderia pressão na saída de bola do adversário com isso, já que o atual titular está acostumado com esse sistema jogando no Sporting Kansas City.

2.       Simplesmente tirar Fabian Johnson e colocar Donovan. Mas além do que já foi citado para Zusi, talvez Klinsmann teria que deslocar Dempsey para o lado esquerdo e deixar Donovan no meio. Só que o jogador do Tottenham cresceu bastante na seleção depois que passou a jogar logo atrás de Altidore.

3.       Tirar DaMarcus Beasley, deslocar Fabian Johnson para a lateral esquerda (sua posição de origem) e seguir o restante da segunda alternativa ou até treinar Donovan para que ele jogue do lado esquerdo.

Enfim, possibilidades existem. Mas eu não sei se Klinsmann estaria tão disposto a fazer a mudança após encontrar uma equipe equilibrada e que ganhou os últimos três jogos das eliminatórias. Mesmo sendo para colocar o maior artilheiro da história da seleção.

O que dá para tirar de tudo isso é: Donovan tem que estar entre os 23 que virão para o Brasil em 2013. Para ser titular, depende do que acontecerá com os atletas que estão entre os onze iniciais de Klinsmann no momento e de continuar com as boas atuações.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo