Estados Unidos

Decisão de risco

Na última segunda (9), o Portland Timbers demitiu o técnico John Spencer, que fazia seu segundo ano na MLS com a franquia, que entrou na liga na temporada passada. Com a ação da diretoria dos Timbers, uma pergunta veio a tona nos Estados Unidos: Será que a decisão foi correta, ainda mais com tão pouco tempo para tentar estabelecer a equipe na liga?

Em seu primeiro ano com os Timbers na MLS, Spencer conseguiu “tirar leite de pedra” com um elenco que não conseguia bater de frente com as melhores equipes da liga. O Portland ficou entre os candidatos aos playoffs por muito tempo durante a temporada regular, mas o clube perdeu a vaga para o New York Red Bulls, que terminou quatro pontos à frente.

Veio o segundo ano e as contratações ficaram mais caras. O clube assinou com o atacante escocês Kris Boyd, que fez bastante sucesso com o Rangers em seu país local, e com o meia camaronês Frank Songo’o, que participou das principais divisões da Espanha nos últimos anos.

Usando o que já tinha e o que foi trazido para ele, Spencer tentou de todas as formas fazer com que a equipe funcionasse. O capitão Jack Jewsbury, que é meia de origem, foi parar na lateral direita e o jovem talento Darlington Nagbe passou por quase todas as funções do ataque para tentar ajudar os Timbers na crise, mas não foi o suficiente.

Em algumas rodadas, dava para imaginar que existiam dois Timbers. Aquele que jogava em casa e era dominante aproveitando o apoio da torcida fervorosa e o time apático que visitava os oponentes apenas para sofrer goleadas ou amplas dominações. Tanto que apenas duas das 16 vitórias da equipe de Rose City nos dois anos foram conquistadas fora do Jeld-Wen Field.

Mesmo contando com todos os detalhes já citados, Spencer era técnico de uma equipe em seu segundo ano de liga e tinha desempenho de 16 vitórias, 13 empates e 22 derrotas, algo bom para uma equipe na situação dos Timbers na MLS.

Por mais que os Timbers não tenham se mostrado uma equipe de playoffs, não é todo time que consegue chegar à pós-temporada apenas no seu segundo ano de liga, ainda mais competindo na Conferência Oeste, que é a mais forte. Tão forte que se a temporada terminasse hoje, o Los Angeles Galaxy ocuparia a última vaga dos playoffs.

Com exemplos como o Chivas USA e o Toronto FC, que foram cemitérios de técnicos nos últimos anos, a diretoria do Portland poderia ter tomado mais cuidado ao avaliar a situação de Spencer e tentar pelo fazer algo para que a equipe melhorasse, como oferecer mais algum reforço, o que seria extremamente necessário, ou dar mais tempo para que Spencer trabalhasse.

A torcida apaixonada de Portland realmente merece algo melhor, mas não é assim que a diretoria dos Timbers satisfará seus fãs. Dispensar Spencer, que era adorado pelos seus jogadores, pode fazer com que a equipe passe por maus bocados nos próximos meses. É esperar que a franquia não se torne outro cemitério de técnicos e consiga agradar a torcida sensacional.

Confira os resultados da 16ª semana da MLS:

Houston Dynamo 0x0 Chicago Fire

Portland Timbers 2×1 San Jose Earthquakes

POR: Danny Mwanga (29’), Jack Jewsbury (59’) / SJ: Alan Gordon (74’)

Montréal Impact 1×3 Sporting Kansas City

MON: Patrice Bernier (49’) / SKC: Kei Kamara (57’), Graham Zusi (75’), Jacob Peterson (82’)

Colorado Rapids 0x1 Vancouver Whitecaps

VAN: Darren Mattocks (43’)

Los Angeles Galaxy 1×2 Philadelphia Union

LA: Chad Barrett (73’) / PHI: Jack McInerney (45’), Michael Farfan (95’)

FC Dallas 1×1 Toronto FC

FCD: Zach Loyd (5’) / TFC: Danny Koevermans (31’)

Real Salt Lake 0x0 Seattle Sounders

Sporting Kansas City 0x0 Houston Dynamo

Real Salt Lake 3×0 Portland Timbers

RSL: Alvaro Saborío (60’, 62’, 75’)

Chivas USA 0x0 Vancouver Whitecaps

FC Dallas 0x0 San Jose Earthquakes

Seattle Sounders 2×1 Colorado Rapids

SEA: Alvaro Fernandez (52’), Eddie Johnson (64’) / COL: Omar Cummings (79’)

Chicago Fire 0x2 Los Angeles Galaxy

LA: Robbie Keane (24’, 78’)

Philadelphia Union 3×0 Toronto FC

PHI: Gabriel Gomez (34’), Freddy Adu (36’), Antoine Hoppenot (78’)

New England Revolution 2×0 New York Red Bulls

NE: Lee Ngyuen (24’), Jerry Bengtson (84’)

Montréal Impact 2×1 Columbus Crew

MON: Zarek Valentin (78’), Patrice Bernier (89’) / CLB: Milovan Marosevic (64’)

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo