Estados Unidos

De baixo para cima na tabela

A rodada da 11ª semana da temporada 2008 da MLS foi marcada pelas vitórias das equipes que estavam nas últimas colocações de suas conferências, contra equipes que estavam na parte de cima da tabela.

No Leste, o D.C. United parece que finalmente vai começar a desencantar. A equipe da capital, depois de amargar a lanterna até o início desta última semana, venceu a forte equipe do Chicago Fire por 2×1 fora de casa, mesmo estando com dois jogadores a menos. O gol salvador foi marcado pelo brasileiro Luciano Emilio, aos 47 minutos do segundo tempo.

O United, que teve seu jogo no meio de semana contra o Houston Dynamo adiado por causa da forte chuva que caiu em Washington na última quarta-feira (04/06), já soma 3 jogos sem derrota, e já não é mais o lanterna do Oeste. O D.C. agora tem 13 pontos e deixou para trás o KC Wizards, que empatou em 0x0 com o Real Salt Lake, e está com 12 pontos. Além disso, o United diminui sua diferença para o vice-líder, Chicago Fire, para apenas 6 pontos.

Pela Conferência Oeste, foi o ainda lanterna San Jose Earthquakes que teve uma ótima vitória fora de casa contra o ex-líder do Leste, Columbus Crew. A equipe californiana não ligou para o favoritismo da equipe amarela de Ohio e venceu por 2×0, gols de Ryan Johnson e Ramiro Corrales, ambos com assistência de Ronnie O’Brien.

Apesar da importante vitória, o Quakes segue na última posição do Oeste (e da liga) com 10 pontos, mas agora está a 7 pontos dos líderes do Oeste, Galaxy e Dynamo, e diminuiu sua distância para o penúltimo colocado, Real Salt Lake, que tem 12 pontos.

De baixo para cima (agora mais perto)

E não foram apenas as equipes que estavam na última colocação que deram a volta por cima. No Oeste, Galaxy e Dynamo que estavam em segundo, venceram, e agora estão em primeiro.

O LA Galaxy, que até o início da semana era vice-líder do Oeste empatado com Chivas USA e Houston Dynamo, todos atrás do Colorado Rapids, venceu justamente o ex-líder Rapids em um jogo emocionante, e pulou para a ponta da tabela.

A partida, que foi no Home Depot Center, casa do Galaxy, foi 3×2, e teve o primeiro gol do brasileiro Álvaro Pires na liga. Mas a emoção ocorreu porque o LA vencia por 3×0 até os 28 minutos do segundo tempo, quando o Rapids reagiu, marcou 2 gols, mas não teve tempo para empatar. Com isso, o Galaxy pulou para 17 pontos, deixando o rival do Colorado para trás, com 15.

O Galaxy agora divide a liderança com o bicampeão Dynamo, que venceu o Toronto FC por 3×1, com 2 gols de Brian Ching. O Chivas, por sua vez, estacionou nos 14 pontos ao perder por 1×0 para o NY Red Bull.

E tanto Galaxy quanto Dynamo jogarão clássicos na próxima rodada. O Galaxy enfrentará o Earthquakes, seu rival da Califórnia. No primeiro jogo entre as equipes na temporada o Galaxy ganhou por 2×0. Já o Dynamo fará mais um ‘revival’ das duas últimas finais da MLS Cup contra o Revolution. Será um encontro entre os líderes de cada conferência, sendo que no primeiro jogo entre ambos este ano o Revolution venceu por 3×0.

Empacaram?

Duas equipes que tiveram os melhores inícios de temporada de 2008 parece que empacaram e não conseguem mais ir para frente. Chicago Fire e Columbus Crew estacionaram nos 19 pontos e estão vendo o rival mais direto, NE Revolution, se afastar na liderança. Depois de um começo de temporada impressionante, as duas equipes parecem dar sinais de que estão perdendo o fôlego.

O Chicago obteve 5 vitórias em seus 7 primeiros jogos, e depois disso somou apenas 3 pontos nos 3 jogos seguintes. O Crew, por sua vez, obteve 6 vitórias nos 7 primeiros jogos, mas somou apenas 1 ponto nos 4 jogos seguintes, e já tem 3 derrotas seguidas nas últimas 3 rodadas na liga.

O Revolution, enquanto isso, subiu para 23 pontos após a vitória por 2×1 contra o FC Dallas no sábado (07/06), e abriu confortável distância de seus rivais.

Para aumentar a rivalidade, Chicago e Columbus se enfrentaram ontem à noite (10/06) pela Lamar Hunt U.S. Open Cup em um jogo emocionante, que só foi decidido na prorrogação. O Fire abriu o placar aos 10 minutos do primeiro tempo. Somente aos 18 do segundo tempo o Crew empatou, mas o Chicago desempatou 2 minutos depois. Só que o Crew não deixou barato e 2 minutos depois do gol do Fire empatou novamente a partida.

Depois de terminar 2×2 o tempo normal, as equipes jogaram a prorrogação e aos 10 minutos do segundo tempo, faltando apenas 5 para acabar, Andy Herron sofreu um pênalti que ele mesmo bateu e deu a vitória suada ao Chicago. Agora o Fire segue para a próxima fase da Lamar Hunt U.S. Open Cup, enquanto o Crew soma mais uma derrota…

Saldo positivo

A seleção dos Estados Unidos jogou mais dois amistosos esta semana que passou e, apesar de não ter ganho nenhum dos jogos, pode-se dizer que o resultado foi positivo para os Yanks.

Na quarta-feira passada (04/06), os EUA foram até a cidade de Santander na Espanha para jogar contra a forte seleção espanhola. A ‘Fúria’, que treinava para sua estréia na Eurocopa, jogou com seu time quase completo (apenas o atacante David Villa não jogou) e suou para ganhar dos norte-americanos. Foi apenas 1×0, com um gol de Xavi Hernandez aos 34 minutos do segundo tempo.

De volta aos Estados Unidos, a seleção enfrentou no último sábado (08/06) a Argentina, primeira colocada no ranking da FIFA, que também veio quase completa, se preparando para as eliminatórias sul-americanas. E, com outra atuação convincente, os americanos seguraram o empate heróico por 0x0, com um jogador a menos nos últimos 20 minutos de jogo.

O herói dos EUA foi o goleiro Tim Howard, que defendeu até pensamento dos argentinos, que dominaram o primeiro tempo. No segundo tempo, porém, o jogo foi mais equilibrado e os ianques tiveram suas chances para abrir o placar, mas não aproveitaram.

Portanto, mesmo com apenas um empate nos 3 amistosos realizados (incluindo aí também a derrota por 2×0 para a Inglaterra em Wembley na semana anterior), os comandados de Bob Bradley mostraram bastante evolução, e que cada vez mais incomodarão os poderosos do futebol.

Convocação

O técnico Bob Bradley convocou os 21 jogadores que defenderão os Estados Unidos no primeiro jogo das eliminatórias para a Copa de 2010 contra Barbados. O jogo será no próximo dia 15/06 no Home Depot Center, em Los Angeles. Os EUA tentam chegar à sua sexta Copa do Mundo seguida.

Segue a lista:

Goleiros:

Tim Howard (Everton – ING)
Brad Guzan (Chivas USA)
Dominic Cervi (sem contrato)

Defensores:

Steve Cherundolo (Hannover 96 – ALE)
Oguchi Onyewu (Standard de Liege – BEL)
Jay DeMerit (Watford FC – ING)
Frankie Hejduk (Columbus Crew)
Heath Pearce (Hansa Rostock – ALE)
Dan Califf (FC Midtjylland – DIN)
Carlos Bocanegra (sem contrato)

Meio-campistas:

Pablo Mastroeni (Colorado Rapids)
Freddy Adu (Benfica – POR)
DaMarcus Beasley (Glasgow Rangers – ESC)
Michael Bradley (SC Heerenveen – HOL)
Maurice Edu (Toronto FC)
Sacha Kljestan (Chivas USA)
Eddie Lewis (Derby County – ING)

Atacantes:

Landon Donovan (LA Galaxy)
Brian Ching (Houston Dynamo)
Clint Dempsey (Fulham FC – ING)
Eddie Johnson (Fulham FC – ING)

Mais um que se vai

Não é só o Brasil que sofre com o êxodo de jovens craques para a Europa. A MLS começa a sofrer o mesmo processo. Depois de algumas jovens promessas partirem para o Velho Mundo, como Freddy Adu, que no final do ano passado deixou o Real Salt Lake e foi para o Benfica (POR), agora foi a vez de Jozy Altidore, o talentoso atacante do NY Red Bull de apenas 18 anos, que foi contratado pelo Villareal da Espanha.

Altidore, que já foi convocado algumas vezes para seleção dos Estados Unidos e havia sido observado pelo Real Madrid no ano passado, assinará com a equipe vice-campeã espanhola por 6 temporadas, e se apresenta ao seu novo clube nesta quarta-feira (11/06). Ainda não se sabe se Altidore será mantido no elenco que jogará a Liga dos Campeões da Europa no ano que vem, ou se será primeiro emprestado para uma equipe menor para ganhar experiência.

Se por um lado a negociação de mais uma jovem promessa da MLS para a Europa mostra como o futebol dos Estados Unidos está se desenvolvendo e tornando-se mais forte, por outro a liga perde ao ver mais uma jovem estrela sair antes de poder brilhar mais e trazer mais retorno. Mesmo assim, o balanço ainda é positivo, pois a ida de jogadores estadunidenses para a Europa ajudará a acelerar o desenvolvimento do futebol dos EUA, com a experiência adquirida por seus jogadores em campeonatos mais fortes. Além disso, com seus jogadores tornando-se mais conhecidos lá fora, aos poucos aumenta o respeito da Europa pelo futebol ianque.
 

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo