Espanha

Yayá Touré: “Se derem tempo, Xavi tem a mentalidade e a personalidade para triunfar no Barcelona”

Ex-jogador do Barcelona, Yayá Touré confia no antigo companheiro de meio-campo para ter sucesso no comando dos blaugranas

Touré jogou com Xavi no Barcelona no período que esteve no Camp Nou, de 2007 a 2010. Juntos, foram campeões da Champions League de 2008/09, além de terem conquistado duas vezes La Liga, uma vez a Copa do Rei e uma vez a Supercopa da Espanha. Foi também campeão do Mundial de Clubes, em 2009. O marfinense foi perguntado o que achava da escolha de Xavi para ser o técnico do Barcelona.

VEJA TAMBÉM: Contratação de Ferran Torres mostra que o Barcelona é líder no mercado de transferências novamente, diz Laporta

“Primeiro de tudo, sou culé, do Barça, e sigo torcendo por eles mesmo à distância. Todo mundo sabia que o próximo treinador que chegasse ao Barça não teria nada fácil. A situação do clube não é boa, para dizer a verdade, e sei que eles têm problemas econômicos que não os ajudaram nada ultimamente. Mas acredito e estou convencido que pode ser uma boa escolha, é um bom treinador”, afirmou Yayá Touré, em entrevista ao AS.

“Pelo que pude ver, é um culé, um amigo, um irmão e uma boa pessoa. Também temos que ter em conta que o Barcelona é um clube muito importante, só ao nível do Real Madrid e Manchester United. Para mim, se os torcedores derem tempo, Xavi tem a mentalidade e a personalidade para triunfar e ganhar coisas com o Barcelona. É um tipo fenomenal. Com o apoio dos torcedores, diretores e presidente, se dão tempo a ele, as coisas vão sair bem. No futebol, não há nada garantido e não é tão fácil assegurar nada nem dirigir o Barça. Ele tem um trabalho difícil, mas pode fazer isso muito bem”, continuou o ex-jogador.

Copa do Mundo 2022: “Vai ser impressionante”

O ano de 2022 é de Copa do Mundo e será no Catar e Yayá Touré é embaixador do torneio. Como não poderia deixar de ser, defendeu o Mundial no país do Oriente Médio e ressaltou que a Copa Árabe foi um teste importante que foi bem realizado.

“O país tem campos muito bons, estádios muito bonitos e hotéis para muita gente. Vai ser bonito ver como as pessoas se movem e os torcedores vierem a ver seus times. Quero ver também a maneira como será organizado tudo isso, mas parece que será muito positivo. Quando você está aqui, te recebem muito bem, as pessoas do Catar são fenomenais. A Copa Árabe era um teste importante e foi bem. As partidas do Catar tiveram muitos torcedores e foi bonito”, comentou.

“Será uma Copa muito diferente e especial por muitos motivos. Para começar, porque será jogada em dezembro. É pouco usual [nota do editor: a Copa será de 21 de novembro a 18 de dezembro]. Vai ser algo diferente, mas acredito que os jogadores vão estar 100% porque estarão no meio da temporada. Também será estranho para eles jogarem nesse momento. Os jogadores estão acostumados a jogar esse tipo de competição em maio, junho, e pode ser diferente, mas veremos um bom nível”, avaliou Yayá Touré.

“As equipes não terão que viajar quatro ou cinco horas como na Rússia. Aqui vão demorar 20 ou 25 minutos no máximo. Tudo será mais fácil e acredito que isso vai ajudar, além disso, virão de jogar competições, não de férias. Vai ser impressionante e acredito que é uma Copa que vai entrar para a história. As equipes e os torcedores irão aproveitar o futebol”.

VEJA TAMBÉM: “Ninguém se sente inseguro aqui”: Catar diz que homossexuais são bem-vindos para a Copa 2022

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo