Espanha

Por que Xavi repensou saída e decidiu permanecer no Barcelona?

Relacionamento com elenco e suporte de desafetos nos bastidores fizeram a diferença para Xavi mudar de ideia e ficar no Barcelona mais um ano

O que era uma saída certa e pública, se transformou em reflexão, ponderação, apoio e um passo atrás. Três meses após anunciar em entrevista coletiva que sairia do Barcelona no fim da temporada, Xavi Hernández voltou a ficar na frente dos microfones na última quinta-feira (26) para anunciar que cumprirá o seu contrato até o fim e ficará no clube catalão para a temporada 2024/2025.

– Em janeiro eu disse que era melhor eu ir, e agora penso que a melhor decisão é eu ficar. Pensei que ao nível mental, físico e pelo clube, era a melhor decisão. O elenco precisava de uma mudança. Mas não fiz isso por egoísmo. Penso que a decisão foi equivocada porque agora penso o contrário.

Desde a derrota para o Villarreal em 27 de janeiro, quando o treinador anunciou a saída, ele afirmou que seria o melhor para o clube e também para a sua saúde mental se distanciar da instituição onde foi ídolo como volante e campeão da La Liga na última temporada como técnico.

Porém, uma série de eventos, tanto nos gramados como também nos bastidores, foram essenciais para que Xavi revesse seu posicionamento, que foi acertado de vez com o clube catalão na noite da última quarta-feira (24).

Apoio do elenco foi importante

O primeiro deles foi a melhora de desempenho da equipe e o apoio do elenco ao trabalho de Xavi, que assumiu o comando do Barcelona no fim de 2021. Desde o revés para o Villarreal por 5 a 3, que culminou no anúncio de saída de Xavi, o clube emendou uma sequência de 13 jogos de invencibilidade, chegando às quartas de final da Champions League e também a vice-liderança da La Liga.

A imprensa noticiava que caso o time passasse pelo PSG na competição europeia e vencesse o clássico contra o Real Madrid no último fim de semana, a permanência de Xavi seria quase certa. Porém, nem as derrotas respectivamente por 4 a 1 e 3 a 2 mudaram a situação.

Segundo o site The Athletic, Xavi percebeu ao longo das últimas semanas o apoio que recebia de seus jogadores e também o espírito de luta dos atletas na sequência de 10 vitórias e 3 empates. Na última segunda-feira, logo após o revés no clássico que praticamente eliminou chances do Barça ser campeão espanhol, os atletas trocaram mensagens entre si, concordando que o melhor para o grupo seria a permanência do treinador para a próxima temporada.

Como condição para Xavi ficar, a imprensa local noticiou que foi pedido também que o clube se reforçasse com mais jogadores para fazer um time mais competitivo. Mas as dívidas e as dificuldades para entrar no fair play financeiro da La Liga são um importante entrave para Deco, diretor de futebol, e o próprio departamento econômico do clube. Porém, o clube foi honesto com o treinador apresentando as dificuldades de fazer grandes contratações, e sem estar em posição de fazer grandes demandas devido às recentes derrotas, Xavi ainda assim preferiu permanecer.

Lealdade do presidente do Barcelona desde sempre

Se de um lado Xavi mudou de opinião, de outro teve um importante personagem que sempre defendeu a permanência do técnico. O presidente Joan Laporta, responsável por convidar o ex-volante para assumir o cargo, disse em várias ocasiões que tinha esperanças de convencer Xavi a ficar, mesmo que a conversa só tenha ocorrido nesta semana.

– Tenho a satisfação de comunicar a vocês que Xavi continuará como técnico do time principal. Ontem estivemos conversando e ele passou a confiança que tem no projeto e no elenco. Ele tem ambição. Esse projeto já se demonstrou ganhador. Precisamos de estabilidade para termos êxito. E o barcelonismo do Xavi é incontestável, é bom seguir um treinador que olha os interesses do Barcelona. Além disso, os jovens precisam de uma referência e Xavi é isso. Estou muito contente – disse Laporta em coletiva de imprensa ao lado do técnico, ressaltando que a decisão foi unânime também por parte da diretoria.

Mesmo assim, sinal de alerta está ligado

Porém, essa unanimidade só foi alcançada nos últimos dias. O site informa que parte dos nomes importantes nos bastidores ainda mostram certos descontentamentos com a maneira como Xavi conduz os treinamentos do elenco. Segundo alguns diretores, há incômodo com um suposto baixo número de atividades na semana, e com muitos dias de descanso para o elenco, o que foi rebatido pela comissão técnica.

Esse último fator também gera atrito. O número de auxiliares é considerado alto, e é possível que alguns funcionários de confiança do treinador sejam cortados para a próxima temporada. Sem conseguir e poder atrair renomados técnicos pelos limites financeiros, Rafael Márquez, técnico do time B, seria o favorito para assumir o comando caso a temporada que vem comece com maus resultados.

Porém, a falta de experiência em equipes profissionais do ex-zagueiro do clube catalão e da Seleção Mexicana, pesou para que Xavi ganhasse suporte de seus ex-opositores. Mesmo assim, o nome do técnico do time barcelonista menor seguirá no radar caso o desempenho da equipe não melhore ao longo de 2024/2025.

Ter o apoio do elenco, do presidente e entrar em acordo com o diretor Deco sobre possíveis reforços e saídas foram os principais fatores para o técnico querer cumprir pelo menos o seu contrato que acaba em junho de  2025. Porém, caso não repita um desempenho similar da última temporada, em que os blaugranas foram campeões da La Liga e da Supercopa da Espanha, Xavi não terá vida fácil. E ainda tem consciência de que dependendo de como decorrer 2024/2025, terá Rafa Márquez na sua sombra à disposição para substituí-lo.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo