Espanha

‘Claro que vi um ídolo’: adversários descrevem confrontos com Ronaldinho

Brasileiro comemorou 44 anos de vida na última quinta-feira (21) e foi homenageado pelo portal AS

Poucos jogadores na história do futebol internacional tiveram tanto impacto no início dos anos 2000 como Ronaldinho Gaúcho. O ex-meia atacante do Barcelona e da seleção brasileira completou 44 anos na última quinta-feira e o portal AS fez uma homenagem ao atleta com diversos relatos de ex-atletas que enfrentaram o jogador durante sua trajetória na Espanha. Personagens do futebol espanhol, como Paco Gallardo, Casquero, Manuel Pablo e Curro Torres, detalharam o sentimento de enfrentar o camisa dez do Barça na época.

Ronaldinho Gaúcho chegou ao Barcelona em 2003 vindo do PSG. Na época, o torcedor catalão estava chateado com o período de cinco anos sem títulos de expressão, mais a saída de Luis Figo para o Real Madrid. O brasileiro teria a importante missão de ser o protagonista de uma nova era na Catalunha e conquistou tal objetivo em uma das passagens mais vitoriosas da história do clube.

Adversário de Ronaldinho em sua estreia conhecia seu potencial

Ronaldinho estreou pelo Barcelona no dia 19 de julho de 2003 e marcou um gol antológico no empate por 1 a 1 diante do Sevilla no Camp Nou. Gol este que funcionou como cartão de visitas aos adversários e deixou um recado claro aos rivais do time catalão — a partir daquele momento um novo ciclo se iniciava na Espanha. Apesar da fama que fez no futebol francês e mesmo na campanha com a seleção brasileira no pentacampeonato Mundial em 2002, poucos adversários conheciam o potencial do brasileiro.

Porém, Francisco “Paco” Gallardo, que atuava no Sevilla e enfrentou Ronaldinho em sua estreia pelo Barcelona, acompanhou de perto os passos do jogador seis anos antes, na Copa do Mundo Sub-17, disputada no Egito e vencida pela seleção brasileira contra Gana. Paco disputou a competição e acompanhou de perto os passos do brasileiro no PSG até sua vinda para a Espanha. Quando soube que iria enfrentá-lo, tratou de avisar seus companheiros que estariam diante de um futuro ídolo da história do futebol.

“Na semifinal (da Copa do Mundo sub-17) o vimos jogar contra a Alemanha e ele foi muito bem. Desde cedo estava claro para mim que eu estava assistindo a um ídolo. Percebi que não podia perdê-lo de vista e o segui. Após isso ele chegou ao Barcelona e um dia antes da estreia eu avisei aos meus companheiros: ‘Esse jogador (Ronaldinho) é espetacular'. Eu sabia do potencial que ele tinha”, revelou Paco Gallardo.

“Foi o jogador mais completo que eu já marquei”

Outro personagem que relata a experiência de enfrentar Ronaldinho na Espanha foi lateral-direito Manuel Pablo, ídolo do Deportivo La Coruña, que afirmou que o brasileiro era completo e o jogador mais habilidoso com quem teve que marcar em toda a sua carreira. O ex-companheiro de Djalminha o comparou a um mágico, que em cada jogo arrumava um truque diferente e fazia algo criativo para sair de sua marcação, conseguindo na maioria das vezes.

“Ronaldinho foi o jogador mais completo que eu já marquei. Ele levantava a multidão, assim como Djalminha. Toda vez que eu ia enfrentá-lo ele arrumava um truque de “mágica” para sair da marcação. Há vários lances desses contra mim na internet”, brinca o defensor espanhol.

Com o passar dos anos, a rivalidade dos atletas que enfrentavam Ronaldinho se transformou em admiração pelo que o brasileiro conseguia entregar em campo. A capacidade do camisa dez, que utilizava de dribles, fintas de corpo, bicicletas, chutes de média e longa distância e outros caprichos para conseguir enganar seus marcadores, levaram treinadores e torcidas adversárias à loucura, mas marcaram a história do futebol espanhol e mesmo quem estava do outro lado do campo prestava continência ao futebol praticado pelo brasileiro.

Um dos momentos mais emblemáticos da passagem vitoriosa de Ronaldinho pelo Barcelona foi o icônico 3 a 0 do time catalão sobre o galático Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu no dia 19 de novembro de 2005. Naquele dia, o meia atacante marcou dois lindos gols e foi aplaudido de pé pela torcida adversária, que se rendeu a magia e plasticidade das jogadas do “Bruxo”, apelido pelo qual o jogador ficou conhecido pelos malabarismos que fazia com a bola em campo.

Ronaldinho fazia as pessoas se divertirem em campo

Curro Torres foi um dos personagens principais do período vencedor do Valencia no início dos anos 2000 e considera que Ronaldinho tenha sido um dos melhores jogadores da história do futebol. Sua diferença técnica em campo era grande quando comparado a outros atletas, sem contar que, segundo palavras do lateral-direito, o brasileiro se divertia em campo e causava a mesma alegria em quem o assistia.

Segundo o ex-atleta do Valencia, se Ronaldinho fosse um jogador atualmente, seu valor seria incalculável, tendo em vista o poder de decisão do jogador e sua criatividade para conseguir solucionar os mais diversos problemas e dificuldades que apareciam em campo.

“Um jogador completamente diferente em campo e um dos melhores do mundo. Ele se divertia e fazia as pessoas se divertirem também. Ronaldinho teria um valor inestimável se estivesse em campo hoje, ele esteve acima de todos, além de ser uma pessoa extraordinária fora de campo”, afirmou Curro Torres.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo