Espanha

Ronald de Boer: “De Jong é o futuro. Busquets está no fim da sua carreira”

Em entrevista ao El País, o treinador das categorias de base do Ajax analisou a situação da última leva de jogadores formados pelo clube - incluindo o volante do Barcelona

Na opinião de Ronald de Boer, treinador das categorias de base do Ajax, o técnico Xavi Hernández deveria escalar o holandês Frenkie de Jong como primeiro volante do Barcelona, mesmo que isso significasse menos espaço para Sergio Busquets, uma das principais bandeiras do clube catalão.

De Boer analisou a situação da última leva de grandes jogadores formados pelo Ajax que se aventuram em centros mais ricos do futebol europeu. Além de De Jong, nomes como Hakim Ziyech, do Chelsea, Matthijs de Ligt, da Juventus, e Donny van de Beek, do Manchester United, que brilharam quando o time de Amsterdã chegou às semifinais da Champions League, mas não têm encontrado regularidade.

Em parte, ele acredita que saíram cedo demais, embora ele entenda o motivo. “Se os jovens mirassem exclusivamente o desenvolvimento futebolístico, deveriam completar pelo menos quatro temporadas com no mínimo 30 partidas em cada uma, antes de assinar com um clube grande”, afirmou, em entrevista ao El País. “Isso é fundamental. Mas se um grande clube o chama e oferece quatro milhões de euros líquidos por temporada, é difícil dizer não”.

E às vezes não dá certo, porque o futebol é “um mundo complicado”, e muitos jogadores também subestimam a transição para uma cultura de futebol diferente. Ele cita como exemplo as transferências de Ziyech e Van de Beek para a Premier League. “Se Van de Beek tivesse fechado com um clube alemão, teria se adaptado melhor. Mas quem diz não ao Manchester United?”, perguntou.

A alta concorrência nessas super-equipes não dá muito espaço para o jogador se desenvolver. “Quando eu jogava no Ajax, se fosse mal um dia, na partida seguinte seria titular novamente. Agora, o cara está rodeado de grandes jogadores. Se vê isso com Ziyech no Chelsea. Por mais que jogue bem um dia e faça gol, se baixar um pouco a intensidade, imediatamente tem que alternar sua titularidade com Mason Mount, Pulisic, Havertz…”, explicou. “Tuchel pode escolher entre muitos”.

De Jong tem jogado, e até fez um raro gol para garantir a vitória por 1 a 0 sobre o Alavés no fim de semana, mas precisa atuar mais avançado, à frente de Busquets. De Boer acha que ele teve uma boa primeira temporada e que agora está em um período de baixa. Citou a troca constante de jogador e o fato de que Busquets ocupa a posição que seria ideal para ele.

“Essa (primeiro volante) é sua melhor posição. É um papel que pode interpretar muito bem porque é capaz de defender muito bem. É rápido, alto para ganhar duelos aéreos, cobre muito campo… Busquets é um jogador incrível, mas precisa de muita proteção. Se precisa cobrir muito campo, tem problemas. Eu o colocaria de seis. Ele é o futuro. Busquets está terminando sua carreira. Eu sou um amante do futebol de Busquets. Para mim, é um gênio. Vê as situações antes que elas ocorram, mas tem seus anos e às vezes os clubes e os treinadores se prendem demais a jogadores que devem dar um passo ao lado”, disse.

“O futuro é De Jong, Gavi, Pedri, Nico (González)… com esses, você tem um meio-campo incrível”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo