Espanha

‘Não é fácil’: Craque do Real Madrid revela raiva ao conhecer Ancelotti

Titular na final da Champions League teve de se adaptar ao estilo de trabalho do comandante italiano

Concentrado em Palm Beach, na Flórida, com a seleção do Uruguai para a disputa da Copa América, Federico Valverde revelou uma pequena rusga no início do relacionamento com Carlo Ancelotti, quando foi contratado pelo Real Madrid.

O motivo? Ter de se adaptar ao modelo de jogo imposto pelo italiano, e mudar seu posicionamento em campo para ter espaço como titular do time.

Meia central de origem, o uruguaio de 25 anos disse em entrevista ao programa ‘La Quinta Tribuna‘, da AUF TV que sentiu certa dificuldade de se adequar às exigências do treinador. 

– Aprendi a valorizar jogar em qualquer lugar, desde que joguei. Quando comecei meu tempo com ele (Ancelotti), fiquei com raiva, me perguntando: ‘por que eu tenho que mudar de posição?' – revelou Valverde.

Sacrifício pelo bem do Real Madrid

Jogando mais aberto pela direita no esquema 4-3-1-2 de Ancelotti, Valverde precisou se sacrificar para que outros jogadores como Kroos e Bellingham conseguissem ter mais impacto em campo.

Apesar da insatisfação em ter que jogar em outra função, o uruguaio recebeu muito apoio de Ancelotti, que o ajudou a entender sua importância para o bom funcionamento da equipe.

– Compreendi a valorizar o que o treinador te pede e saber amadurecer em torno do jogo. Se o treinador te pede para colaborar em outra posição você tem que entender e tirar o máximo proveito disso.

Valverde também disse que este processo, apesar de difícil, o ajudou a valorizar o seu lugar no Real Madrid, e o amadureceu enquanto atleta.

Ele ainda completou que para garantir espaço nos Blancos, é sempre necessário entregar um pouco mais.

– Vindo dele (Ancelotti), jogar no Real Madrid não é fácil, você tem que agarrar e não abrir mão dessa oportunidade mais.

Importância de Toni Kroos para o crescimento de Valverde

Kroos não será mais jogador do Real Madrid a partir da próxima temporada. O último jogo do icônico meio-campista alemão pelo clube Merengue aconteceu na final da Champions League, contra o Borussia Dortmund.

Valverde também expressou sua gratidão ao experiente jogador, relembrando suas palavras de apoio e apreço quando o uruguaio passou seu pior momento no Real Madrid.

Sabendo que o uruguaio teria de se sacrificar para jogar em outra posição, Kroos sempre motivou Valverde, que revelou que muito do que ouviu do alemão o confortou no clube.

— Ele sempre terá um respeito e um carinho muito importante. Ele (Kroos) nos fazia sentir parte de tudo o que ele estava conquistou. Todos os dias, principalmente quando as coisas não estavam boas, algumas palavras dele me fazia se sentir melhor. Um jogador assim faz falta dentro e fora de campo — disse Valverde.

 

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de SouzaRedator

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo