EspanhaLa Liga

O voleio de Messi e as defesas de Bravo salvaram a atuação fraquíssima do Barcelona

Com um minuto, placar aberto. Mas a breve prova de superioridade não disse muito sobre os 89 minutos restantes ao Barcelona em La Rosaleda. Os blaugranas sofreram bastante para conseguir bater o Málaga fora de casa e retomar temporariamente a liderança de La Liga. Em uma atuação horrível do sistema defensivo, Claudio Bravo saiu como herói, evitando o pior. Já Lionel Messi mais uma vez desempenhou papel decisivo, determinante para a vitória por 2 a 1 graças a um golaço no segundo tempo. Pena para os albiazules, que realmente pareciam os favoritos mandando no jogo, e mereciam resultado melhor.

Luis Enrique deu sequência à rotação do time que tem feito nas últimas semanas. O treinador optou por poupar Neymar, com dores musculares, além de não contar com Rakitic, Piqué, Alba e Daniel Alves. Mas os titulares nem fizeram falta logo de cara. A partir de um chute desviado de Luis Suárez, Munir abriu a contagem logo nos primeiros instantes, livre na pequena área. E foi só. Os catalães eram nulos no ataque. Da jogada do gol, passaram 44 minutos sem dar uma finalização sequer. Sofreram com ataque do Málaga, que sufocava.

O Barcelona parecia desencontrado na defesa. Mais do que espaços, a retaguarda ainda errava diversas saídas de bola. Permitiram uma enorme pressão do Málaga, a ponto de tornar o empate apenas questão de tempo. E quando Bravo não pôde fazer nada, no mano a mano com Juanpi, os anfitriões determinaram a igualdade aos 31 minutos. Por tudo aquilo que faziam, até mereciam a virada, com os blaugranas só voltando a ameaçar em sequência de arremates pouco antes do intervalo.

Faltava ímpeto ao Barcelona. Mas para quem tem tanta qualidade técnica, um lance pode ser o diferencial. Exatamente o que aconteceu em La Rosaleda. A partir de cruzamento de Adriano na esquerda, Messi emendou o voleio dentro da área. Por mais que fosse o mais ativo no ataque, o argentino esteve longe de fazer uma partida brilhante. Mas justificou a sua importância com o gol. Depois disso, o que se viu ainda foi um Málaga mais insistente, em busca do empate, negado mais algumas vezes por Bravo. Em tarde inspirada, o chileno acumulou oito defesas. Compensou os erros de seus companheiros de linha.

Com o triunfo, o Barcelona chega aos 48 pontos, um a mais que o Atlético de Madrid – que, embora tenha o mesmo número de jogos, ainda entra em campo na rodada. A vitória vale a comemoração, especialmente diante das dificuldades. Mas expõe diversas falhas dos blaugranas. Quando o ataque não viveu um dia tão bom, a defesa não soube administrar o resultado. Para a sorte dos blaugranas, Bravo estava lá, evitando o tropeço na pior exibição coletiva do time na temporada.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo