Champions LeagueEspanhaEuropa

Nos acréscimos, Barcelona arranca vitória contra Celtic

Fazer pontos jogando no estádio Camp Nou contra o Barcelona é uma tarefa ingrata e muito dura. Por isso mesmo, os jogadores do Celtic lamentaram muito no final da partida. Os Bhoys seguravam o empate por 1 a 1 até os 49 minutos do segundo tempo, quando sofreram um dramático gol da virada, dando a vitória por 2 a 1 para o Barcelona. Vibração no Camp Nou e decepção dos Hoops.

Com um gol marcado cedo em uma cobrança de falta, o Celtic teve o privilégio de fazer sua formação defensiva tornar a tarefa blaugrana ainda mais complicada. A partida contou com uma marcação inteira no campo de defesa, com praticamente todos os jogadores atrás da linha da bola. Só o centroavante Gary Hooper ficava à frente, pronto para tentativas de puxar o contra-ataque que acabaram inevitavelmente frustradas.

O Barcelona fez o seu jogo, rodou a bola em volta da área do time verde e branco, chegando a deixar os torcedores impacientes no estádio. O time pouco chutava a gol, mas o empate saiu de uma troca de passes rápida e inteligente dos três tenores do time, Messi, Xavi e Iniesta.

O segundo tempo, porém, reservou a Forster o papel de protagonista, com o Celtic dando poucos espaços e o Barcelona pouco capaz de entrar na área. Ainda assim, conseguiu uma boal na trave com David Villa, já aos 45 minutos. O destino parecia traçado com um empate. O Barcelona não jogava o suficiente para vencer e o Celtic parecia fazer mais do que o suficiente para empatar. Só que o futebol não tem compromisso com o merecimento.

O lateral brasileiro Adriano fez um belo cruzamento já aos 49 minutos do segundo tempo, a bola desviou na área e Jordi Alba resvalou para entrar. O Barcelona resvalou na vitória e, como não há meia vitória, o time arranca os três pontos em uma partida muito difícil e que tem muito a comemorar.

Formações iniciais

Destaque do jogo

O goleiro Forster fez grandes defesas durante a partida. Não fosse pelo goleiro, o time escocês certamente teria saído de campo com um placar muito maior contra si.

Momento chave

A troca de passes entre Messi, Xavi e Iniesta foi tão rápida que nem o câmera conseguiu acompanhar. O lance genial acabou salvando o Barcelona de ir para o vestiário perdendo o jogo, o que poderia colocar tudo a perder. O gol, aos 45 minutos do primeiro tempo, foi fundamental.

Os gols

18’/1T: GOL DO CELTIC!
Cruzamento de Mulgrew para a área em cobrança de falta, Samaras cabeceia, Mascherano desvia e a bola entra.

45’/1T: GOL DO BARCELONA!
Messi tocou para Iniesta, que tabelou com Xavi e, pelo meio, conseguiu finalizar. Uma troca muito rápida de passes, que a defesa do Celtic não conseguiu acompanhar.

49’/2T: GOL DO BARCELONA!
Em cruzamento de Adriano, a bola passou poir toda a área e sobrou para Jordi Alba resvalar e marcar o gol da sofrida vitória catalã no Camp Nou.

Curiosidade

Nos dois últimos confrontos entre os dois times no Camp Nou, o Barcelona só conseguiu fazer um gol. Em 2008, nas oitavas de final da Liga dos Campeões, vitória blaugrana por 1 a 0. Em 2004, pela fase de grupos, os dois times empataram por 1 a 1.

Ficha Técnica

BARCELONA 2X1 CELTIC

Barcelona
Víctor Valdés; Adriano, Marc Bartra, Javier Mascherano e Jordi Alba; Alexander Song, Xavi Hernández e Iniesta; Alexis Sánchez (David Villa, 35’/2T), Lionel Messi e Pedro Rodríguez (Cristian Tello, 31’/2T). Técnico: Tito Vilanova
Celtic
Fraser Forster; Mikael Lustig, Kelvin Wilson, Efe Ambrose e Emilio Izaguirre; Giorgios Samaras (James Forrest, 43’/1T), Scott Brown (Kris Commons, 18’/2T), Victor Wanyama, Joe Ledley e Charlie Mulgrew (Beram Kayal, 31’/2T); Gary Hooper. Técnico: Neil Lennon
Local: Estádio Camp Nou (Barcelona-ESP)
Árbitro: Gianluca Rocchi (ITA)
Gols: Andrés Iniesta, 45’/1T, Jordi Alba, 49’/2T (Barcelona), Giorgios Samaras, 18’/1T (Celtic)
Cartões amarelos: Mascherano, Adriano (Barcelona), Forrest (Celtic)
Cartões vermelhos: Nenhum

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo