Espanha

Nas nuvens e com os pés no chão

14 de maio de 2006, 38ª e última rodada da temporada 2005-2006 da Liga Espanhola. Um Espanyol ameaçadíssimo pelo rebaixamento enfrenta a Real Sociedad com a necessidade da vitória para garantir sua permanência na elite. O gol de Coro no minuto 92 colocou fim à angústia de várias rodadas e garantiu os catalães na máxima divisão na temporada seguinte.

O rebaixamento poderia ter um efeito negativo sobre a reestruturação levada a cabo pelo presidente Daniel Sánchez Llibre, mesmo com a conquista da Copa do Rei na mesma temporada. A escolha de Ernesto Valverde, jovem treinador do Athletic de Bilbao, em substituição ao contestado Miguel Ángel Lotina, foi o começo de novos tempos pelos lados de Montjuïc. Com experiência no trabalho de base no clube basco, Valverde teria agora à disposição uma das melhores divisões inferiores do país.

Pouco a pouco, Valverde, que defendeu o Espanyol, como jogador, entre 1986 e 1988, começou a definir a equipe, cuja base era formada pelo próprio elenco que herdara e que contava com vários jogadores criados no próprio clube, além de contratações pontuais e pouco dispendiosas.

Além das competições locais, liga e copa, a equipe disputou a Copa da Uefa. Após eliminar com brilhantez, entre outros, Benfica e Werder Bremen, equipes vindas da Liga dos Campeões, somente deixou escapar o título, nos pênaltis, contra o bicampeão Sevilla, que esteve contra as cordas em mais de uma ocasião ao longo da emocionante final no último mês de maio em Glasgow.

Apesar da perda do título continental, era evidente o ótimo momento vivido pelo clube, reflexo claro do trabalho de Ernesto Valverde ao final de sua primeira temporada comandando os periquitos. A posição intermediária na liga na temporada 2006-07 privou o clube da disputa da Copa da Uefa desta temporada, que acabou por concentrar suas atenções exclusivamente no âmbito doméstico.

Diante das saídas de jogadores como Walter Pandiani, Gorka Iraizoz e Eduardo Costa, chegaram o experiente goleiro Iñaki Lafuente, para a reserva de Carlos Kameni, o lateral argentino Clemente Rodríguez, com passagens pela seleção de seu país, o meio-campista Valdo revelado pelo Real Madrid e de boas temporadas no Osasuna. Além deles, foi contratado o volante Milan Smiljanic, um dos destaques da seleção sub-21 da Sérvia, atual vice-campeã européia da categoria, e que pediu, ao ser apresentado, que lhe chamassem apenas de Lola, alcunha que carrega acima do número 25 de sua camiseta.

A equipe tem jogado, na grande maioria das vezes, no sistema 4-2-3-1, que se fixou como a formação ideal de Ernesto Valverde nesta temporada. Porém, a entrada do experiente meio-campista Iván de la Peña, em algumas partidas, faz com que haja mudanças no esquema de jogo.

Atual terceiro colocado da liga, o Espanyol não é derrotado há quase quatro meses e dá claros sinais de grande consistência, fazendo com que muitos acreditem em sua manutenção entre os quatro primeiros classificados, que lhe daria a inédita classificação para a Liga dos Campeões da temporada seguinte.

O jovem e já experiente camaronês Carlos Kameni é indiscutível na meta catalã. Sua ausência durante a Copa Africana de Nações abrirá espaço para Lafuente, também reserva no Athletic de Bilbao. No restante do setor defensivo, os prata-da-casa Torrejón e Jarque são titulares absolutos, com os argentinos Zabaleta e Clemente Rodríguez ocupando as laterais direita e esquerda, respectivamente. O ótimo Marc Torrejón, de apenas 21 anos, disputou, além de Coloccini e Capdevila, todos os minutos das 18 rodadas até o momento, entre todos os jogadores de linha.

Mais dois jogadores formados no clube compõe a dupla de volantes, Moisés e Ángel. Diante deles, pela esquerda, na linha de três jogadores, está Albert Riera, de recentes grandes atuações que lhe valeram um lugar na seleção espanhola, após fracassos no Bordeaux e Manchester City. Valdo, espanhol de origem cabo-verdiana, joga pelo flanco oposto. Pelo miolo e se aproximando mais de Raúl Tamudo, o jogador mais avançado, Luis García é um dos grandes destaques da atual temporada espanhola.

Raúl Tamudo, capitão e maior artilheiro da história do Espanyol, é o grande símbolo do clube. Também formado no clube e atual vice-artilheiro da liga com dez gols (somente atrás de Luís Fabiano, com 12), o atacante caminha para quebrar seu recorde pessoal de gols numa única temporada: os 19 marcados há quatro anos. Tamudo é ainda o segundo maior artilheiro em atividade na Liga Espanhola, com 123 gols, superado apenas pelos 195 de seu homônimo Raúl, do Real Madrid.

Também contribuem para o sucesso da equipe jogadores como os já citados Iván de la Peña e Milan “Lola” Smiljanic, além do atacante Coro, do meio-campista Moha, do zagueiro Lacruz, do lateral Chica e do lesionado meio-campista Rufete. O brasileiro Jônatas também dispunha de espaço na equipe e se destacava quando escalado. Entretanto, não contava com a simpatia de grande parte do elenco, que o considerava pouco comprometido com o grupo. O volante conclui atualmente os detalhes de seu retorno ao Flamengo, por empréstimo, por um ano e meio.

Sempre à sombra do “primo rico” Barcelona, inclusive no tratamento recebido das instituições oficiais catalãs, o Espanyol em breve voltará a mandar seus jogos em um estádio próprio. O Nou Sarrià, para pouco mais de 40 mil espectadores, está em construção na cidade de Cornellà de Llobregat, região metropolitana de Barcelona. Espera-se, então, que a torcida espanyolista compareça em maior número, ao contrário de agora. Apesar da excelente campanha, os espaços vazios no Olímpico de Montjuïc são, lamentavelmente, vastos.

O Espanyol, nas figuras do capitão Raúl Tamudo e do treinador Ernesto Valverde, mostra, mais uma vez, a força da “classe média” espanhola, prolífica na montagem de boas e interessantes equipes, capaz de conquistas recentes da Copa da Uefa e de ótimas participações na Liga dos Campeões.

CURTAS

– A atual boa fase de Raúl continuará a exercer pressão para que o selecionador espanhol Luis Aragonés volte a convocá-lo para a Furia. Não bastasse a imprensa esportiva de Madrid exigir sua convocação quase que diariamente, eis que o próprio Raúl, em entrevista recente ao canal de Sky Italia, acende ainda mais o tema, ao declarar que acredita em sua convocação para a Eurocopa, em meados do ano, caso mantenha o mesmo nível ao longo de toda a temporada.

– O sorteio das oitavas-de-final da Copa do Rei trouxe um grande e prematuro encontro. Sevilla e Barcelona decidirão quem passa à próxima fase nos dias 9 e 16 de janeiro. Os demais sete confrontos igualmente contarão exclusivamente com equipes da primeira divisão espanhola.

– A edição deste ano da Copa Africana de Nações, que se celebrará em Gana a partir do próximo dia 20 de janeiro até 10 de fevereiro, privará várias equipes européias de muitos importantes jogadores. Nomes como Yaya Touré, Samuel Eto’o, Frédéric Kanouté, Seydou Keita, Mahamadou Diarra e Carlos Kameni, desfalcarão, entre outros, três dos quatro primeiros classificados da Liga Espanhola na atualidade.

– A esplendorosa fase do goleiro Iker Casillas, que quebrou contra o Real Zaragoza seu próprio recorde de imbatibilidade, não passou despercebida por seu treinador, Bernd Schuster. O alemão, que geralmente se esquiva quando perguntado sobre análises individuais de seus atletas, afirmou, logo após a vitória de 2-0 sobre os maños, que o goleiro de 26 anos é o atual melhor do mundo em sua posição.

– Os dérbis de Sevilla e Valencia evidenciaram a atual situação das quatro equipes envolvidas. Valencia, Levante e Betis seguem com seus momentos de penúria, enquanto a tranqüila vitória de 3-0 do Sevilla contra os rivais béticos reafirma a supremacia sevillista sobre o rival nos últimos tempos. O empate sem gols em Mestalla significou a sexta partida consecutiva sem vitória para os comandados de Ronald Koeman, que declarou viver a situação mais difícil em sua carreira de treinador. Já o Levante, apesar de uma leve recente melhoria, segue firme rumo à segunda divisão.

– Primeiro goleiro brasileiro da história da Liga Espanhola, Diego Alves vai, aos poucos, conquistando a posição de titular no Almería. Após brilhar em sua estréia, uma vitória contra o Sevilla há pouco mais de um mês, o ex-jogador do Atlético-MG foi escalado pelo técnico Unai Emery como titular diante do Recreativo e saiu uma vez mais aclamado. Seu concorrente, o espanhol David Cobeño, nunca pareceu tão distante da titularidade absoluta do começo da temporada.

– Veja a seleção Trivela da 18ª rodada do Campeonato Espanhol: Casillas (Real Madrid); Daniel Alves (Sevilla), Cáceres (Recreativo), Milito (Barcelona), Mané (Almería); Vivar Dorado (Valladolid), De la Peña (Espanyol), Jonás Gutiérrez (Mallorca), Robinho (Real Madrid); Tamudo (Espanyol), Luís Fabiano (Sevilla).

– Me despeço deste espaço agradecendo o convite de Ubiratan Leal, titular do mesmo, além da colaboração do amigo Gustavo Vargas, futuro brilhante jornalista.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo