EspanhaEuropaInglaterra

Não foram 19, mas a Espanha já tirou 11 gols de saldo para ficar com vaga na Euro-1984

A torcida comemorou, os jogadores fizeram festa e o presidente ficou maluco. O Bornemouth, pela primeira vez na história, subiu à primeira divisão do futebol inglês, após vencer o Bolton, por 3 a 0, na última terça-feira. Mas subiu mesmo? Na prática, sim, mas na teoria existe uma pequena possibilidade de que o clube seja obrigado a disputar os playoffs, caso perca do Charlton e o Middlesbrough vença o Brighton & Holve. Mínima possibilidade porque a diferença de saldo é de 19 gols. Isso nunca vai acontecer, certo?

LEIA MAIS: Bournemouth realiza o sonho do torcedor: de quase falido à Premier League

Bom, certo, mas em 1983 a Espanha completou uma missão quase tão complicada para conseguir vaga na Eurocopa do ano seguinte, da qual viria a ser vice-campeã. Após perder da Holanda por 2 a 1 em novembro, as duas seleções empataram em pontos na liderança do grupo. Os holandeses, porém, tinham mais saldo de gols e ampliaram a vantagem para 11 ao baterem Malta por 5 a 0 na última rodada alguns dias antes dos espanhóis enfrentarem os maltenses, também pela última rodada, porque aparentemente ninguém na Uefa sabia fazer tabela direito naquela época.

Fez as contas? A Espanha precisava bater Malta por 11 a 0 para se classificar. O goleiro maltense John Bonello expressou o que todo mundo sabia, mas não se atrevia a dizer em voz alta. “A Espanha não marcaria 11 gols contra um time de crianças”, provocou. De fato, não fez 11. Fez 12. 12 a 1. Isso porque o primeiro tempo terminou apenas 3 x 1 para os ibéricos. Os gols foram marcados por Santillana (quatro, foto), Rincón (quatro), Maceda (dois), Sarabia e Señor. Depois de escapar por um fio da eliminação, o time cresceu e chegou até a final da Eurocopa, derrotada apenas pela dona da casa França, liderada por Platini.

Naturalmente, o resultado contra Malta levantou suspeitas de manipulação de resultados, e até hoje, se você procurar no Google uma lista de partidas “suspeitas”, verá essa goleada, mas a própria seleção holandesa aceitou o resultado. O técnico Kees Rijvers afirmou que “até no futebol existem milagres”, e a imprensa bateu muito mais na defesa de Malta e no goleiro Bonello. Tudo isso para dizer: não desista Middlesbrough. Vai que dá?

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo