EspanhaLa Liga

Muito talento individual em um coletivo fortíssimo: e, assim, o Real voltou a vencer

Não foram exatamente resultados horríveis. Mas a sequência de três derrotas do Real Madrid, após a série de vitórias que durava desde setembro, deixou a torcida merengue preocupada. Dava para compreender o tropeço contra o Milan em um amistoso, contra o Valencia na visita ao Mestalla e contra o Atlético de Madrid no clássico pela Copa do Rei. Mas a equipe de Carlo Ancelotti precisava retomar os triunfos. Conseguiu de maneira tranquila no estádio Santiago Bernabéu, batendo o Espanyol por 3 a 0. Um jogo no qual os blancos demonstraram mais uma vez o seu altíssimo potencial ofensivo.

Afinal, nenhum outro do clube do mundo possui tantos talentos a sua disposição. E, além de possuir um jogo coletivo muito bem afinado por seu treinador, o Real também conta com as individualidades para decidir. Fórmula mortal para o Espanyol, principalmente na primeira meia hora de jogo. Em uma jogada na qual a qualidade técnica ficou evidente, os merengues abriram o placar aos 12 minutos. Gareth Bale deu um lançamento primoroso para Cristiano Ronaldo, que ajeitou de primeira para James Rodríguez fuzilar. Depois, o próprio Bale acabou premiado com um golaço, combinando perfeitamente força e precisão em cobrança de falta. E isso sem contar a pancada de Benzema na trave, antes mesmo do primeiro gol.

Sem acelerar tanto, o Real Madrid manteve o domínio do jogo. E nem mesmo a injusta expulsão de Fábio Coentrão, no início do segundo tempo, atrapalhou o time da capital. O gol que fechou o placar veio dos pés de Nacho, que justamente entrou para cobrir a lacuna na lateral. E poderia ser mais, não fosse a defesaça de Kiko Casilla no chute de longe de Isco ou o gol perdido por Bale que deixou Cristiano Ronaldo furioso.

Com o mesmo número de jogos que a concorrência, o Real Madrid abre quatro pontos de vantagem na tabela. E assistirá de camarote ao duelo entre Barcelona e Atlético de Madrid neste domingo, que poderá enfraquecer um de seus rivais no páreo – por mais que voltem a ficar com uma partida a mais. A confiança para a reconquista do Campeonato Espanhol é imensa. Sobretudo com um elenco que apresenta tantos recursos.

Abaixo, os dois belos gols que o Real Madrid marcou no primeiro tempo:

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo