Espanha

Messi brasileiro? Vai nessa

Tiago Luís é um atacante bastante promissor. Teve um desempenho consistente na Copa São Paulo 2008. Seus oito gols foram fundamentais para a boa campanha do Santos, que caiu apenas nas quartas-de-final, e nos pênaltis, para o Internacional. Oportunista e rápido, já chamou a atenção do técnico Émerson Leão e fez a diretoria abrir o olho para a renovação de seu contrato, que estava para terminar. Ainda mais em uma temporada em que o Santos precisa revelar jogadores como forma de contornar as limitações orçamentárias.

Enquanto conversações caminhavam, surge, do nada, a capa do Marca: “El Madrid negocia con el Messi brasileño”. Na havia a menor base para o jornal espanhol publicar tal manchete. Não pela ausência de interesse do Real Madrid, mas principalmente porque não fazia sentido usar o nome de Messi para se referir a Tiago Luís.

Esse episódio evidenciou o modus operandi da imprensa espanhola. Wagner Ribeiro, empresário de Tiago Luís que já gerou notícias aos espanhóis com Robinho e Neymar, queria ter maior poder de barganha nas negociações com a diretoria santista. Para isso, precisava fazer os alvinegros acreditarem que tinham concorrência pesada pela frente, o que exigiria uma proposta contundente para evitar a saída do atacante.

Pelo visto, o Marca não teve dificuldade em fazer o trabalho sujo para o empresário. Sem nunca ter visto Tiago Luís jogar (ou alguém acha que o jornal espanhol mandou alguém cobrir a Copinha?), o diário se prestou a colocar o jovem na capa e chamá-lo de “Messi brasileiro”, por mais leviana que seja a comparação.

O caso foi tão escancarado que pouca gente o levou a sério, mas o Santos forçou a renovação do atacante horas antes do duelo contra o Bragantino no último domingo. O garoto sofreu, porque Leão ameaçou expulsá-lo da concentração se não renovasse. Contrato assinado, Tiago Luís entrou em campo e fez um gol. Menos mal.

O Santos foi usado, mas a torcida do Real Madrid, também. O factóide não apenas apressou a diretoria santista como teve o papel de vender mais exemplares de jornal. Claro, uma especulação bombástica serve para aquecer o sangue de qualquer torcedor madridista, que já acredita naturalmente que seu clube é capaz de contratar quem quer que seja.

Se um garoto brasileiro de 18 anos que mal foi alçado ao profissional já serve para criar tanta celeuma na imprensa espanhola, imaginem o que ocorre com jogadores de carreiras consolidadas e nomes já conhecidos do público. Pior: o Marca não está sozinho. Outros diários esportivos, como As, El Mundo Deportivo e Sport, o expediente é o mesmo.

Por isso é tão difícil levar a sério o que a imprensa espanhola publica quando se trata de especulação de mercado. Fatos muitas vezes ficam de lado se há alguma possibilidade de se lançar uma manchete surpreendente e comercial. Nem que isso acabe influenciando uma negociação contratual do outro lado do Atlântico.

Caçulas atrevidos
No fim-de-semana, o quase campeão Real Madrid tem um difícil duelo contra o Almería no estádio de los Juegos Mediterráneos. É o confronto das duas únicas equipes com 100% de aproveitamento no segundo turno. Mais que isso, os andaluzes estão invictos há cinco rodadas e mostram potencial para fazer uma temporada mais tranqüila que a imaginada. Situação semelhante à do Valladolid, outro caçula da elite espanhola.

A campanha dessas duas equipes têm traços em comum, que as diferenciam do outro caçula, o Murcia. Os três times vieram da segunda divisão com campanhas folgadas na Segundona, assegurando a promoção com várias rodadas de antecipação. No entanto, os murcianos tiveram postura diferente de almerienses e pucelanos.

Em teoria, o Murcia foi mais esperto. Investiu pesado em contratações e montou uma base com experiência em alto nível. Assim, tinham em seu elenco nomes como Carini, Pablo García, Fernando Baiano, Mejía, Curro Torres e Regueiro. Enquanto isso, Almería e Valladolid adotaram posturas mais discretas, mantendo boa parte do elenco de 2006/7 e trazendo nomes desconhecidos e, no máximo, promissores, como Diego, Vidangossy, Negredo, Felipe Melo (Almería), Vivar Dorado e Sisi (Valladolid).

Depois de mais da metade do campeonato, as estratégias de andaluzes e riojanos se mostrou mais acertada. O Murcia até começou bem a competição e tem conseguido ficar fora da zona de rebaixamento. No entanto, o time cheio de jogadores experientes mostra falta de fôlego e dificuldade para evoluir. No retorno das festas de fim-de-ano, os murcianos caíram ainda mais e começaram a sondar as três últimas posições.

Enquanto isso, Almería e Valladolid passar por situação inversa. Depois de dificuldades iniciais para se adaptar ao ritmo da primeira divisão, os dois times começaram a crescer. Nos almerienses, os principais destaques são o atacante Negredo e o goleiro Diego (ex-Atlético-MG, chamado por lá de Diego Alves). O primeiro é responsável por gols importantes, enquanto que o segundo deu mais segurança à defesa, cujo crescimento está diretamente ligado aos bons resultados das últimas rodadas .

Em Valladolid, a grata surpresa é a dupla Sisi e Llorente. O meia mostra consistência para um garoto de 22 anos que tem sua primeira grande oportunidade na elite. Correndo por todo o campo e assumindo a responsabilidade de armar o jogo quando necessário, o ex-valencianista já desperta a curiosidade de clubes mais tradicionais. Mais experiente, Llorente é o homem de referência no ataque blanquivioleta, marcando gols decisivos.

Com elencos mais leves e despretensiosos, riojanos e andaluzes já deram muito trabalho para os adversários mais fortes. O Almería venceu Espanyol e empatou com Atlético de Madrid, mas obrigou Barcelona, Villarreal e Real Madrid a suar muito para conseguir a vitória. O Valladolid tem retrospecto ainda melhor: venceu Espanyol duas vezes, o Villarreal uma e empatou com Barcelona e Real Madrid. O Atlético precisou de um gol contra aos 46 minutos do segundo tempo para fazer 4 a 3 nos riojanos em Madri.

Com esse desempenho seguro, almerienses e puceloanos dão a impressão que passarão a temporada longe do rebaixamento. Além disso, podem, com um futebol surpreendente, causar alguns sustos até o final da temporada.

CURTAS

– Joaquín disse que a situação do Valencia piorou depois da entrada de Ronald Koeman. O clube está realmente perdido. Não surpreende que já se fale em nova troca de comando e a torcida peça abertamente a demissão do holandês.

– O Sevilla venceu o Osasuna por 2 a 1 com um gol de pênalti inexistente nos minutos finais. Os navarros ainda tinham dois jogadores a menos em campo. O técnico rojillo Ziganda invadiu o gramado depois do jogo e acusou o árbitro Eduardo Iturralde González de ter manipulado o resultado em favor dos andaluzes.

– Ronaldinho recebeu alta (apesar de ninguém saber direito qual era a contusão) e voltou a treinar no Barcelona. Já Deco continua com problemas. O português foi pego dirigindo alcoolizado há duas semanas (a informação foi divulgada apenas agora).

– O Deportivo de La Coruña fez 3 a 1 no Valladolid. Fazia mais de quatro meses que o Depor não vencia em casa.

– Veja a seleção Trivela dea 21ª rodada do Campeonato Espanhol: Diego López (Villarreal); Daniel Alves (Sevilla), Iraola (Athletic Bilbao), Lopo (Deportivo de La Coruña) e Fernando Navarro (Mallorca); Guti (Real Madrid), Jonás (Mallorca), Felipe Melo (Almería) e Guardado (Deportivo de La Coruña); Robinho (Real Madrid) e Pavone (Betis).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo