La Liga

Villareal faz 3 a 0, leva dois gols, mas segura vitória sobre o Celta em jogo com 15 minutos de acréscimo

Time da casa parecia que ia ter facilidade, mas levou dois gols e teve de administrar pressão em segundo tempo com uma hora de duração

Jogando em casa, o Villareal não vinha tendo dificuldades para bater o Celta de Vigo, pela 18ª rodada de La Liga, nesta quarta-feira (20).

Após virar para o intervalo com 2 a 0 na frente, o time da casa ainda teve um penal a seu favor antes dos 5 minutos do 2º tempo – que converteu para fazer 3 a 0 – Pedraza, Mandi e Parejo anotaram.

Mas então, o time do técnico Rafa Benítez acordou. Fez o primeiro com Duvikas, aos 7 da etapa complementar. E, cinco minutos depois, fez o segundo, com Larsen, encostando no placar e esquentando a partida.

Para dar tons ainda mais bizarros ao jogo, o árbitro deu nada menos que 15 minutos de acréscimo no segundo tempo, esticando a tensão. De fato, houve alguns atendimentos a jogadores.

O goleiro Jorgensen, por exemplo, recebeu um curativo no rosto, com o qual jogou até o fim do jogo. Mas 15 minutos foi um pouco demais.

Aos 60 do segundo tempo, porém, o jogo enfim chegou ao apito final, com a vitória do Villareal.

Na próxima rodada, o Villareal, que foi a 19 pontos e ficou no meio da tabela, visita o Las Palmas. Já o Celta, com 12, na zona de rebaixamento, recebe o Betis.

Villareal joga solto no 1º tempo

Não foi em ritmo de treino, mas o primeiro tempo foi tranquilo para os anfitriões. O Villareal jogou melhor desde o início, ficando mais com a bola, sem sofrer.

Quando abriu o placar aos 24 minutos, com belo chute cruzado de Pedraza, com assistência de Sorloth, a equipe de amarelo já vinha merecendo a vantagem.

O segundo veio aos 40, diante de um Celta que só assistia à partida. Após cobrança de falta pela direita do ataque, a bola desviou na zaga e Mandi só completou para as redes.

Falso sinal de facilidade

Na segunda etapa, o que já parecia fácil deu sinais de que seria ridiculamente fácil. O pênalti a favor do Villareal foi praticamente o primeiro lance da etapa complementar.

Parejo bateu bem e construiu um 3 a 0 tranquilizador – só que não. Os gols de Duvikas e Larsen – com assistência de Duvikas-, aos 7 e aos 12, respectivamente, transformaram o jogo morno em uma partida muito disputada.

Mas se é verdade que o 2 a 3 animou o Celta, também é fato que o Villareal ficou esperto. Resumindo, não que os anfitriões caíram de produção. A verdade é que o Celta, que não estava jogando, finalmente “entrou em campo”.

Embalado pelo volante Dotor e pelo atacante Larsen, o Celta passou a ficar mais perto da vitória a partir dos 30. Por pouco, o empate não veio com Larsen, aos 32, numa jogada em que a bola cruzou a pequena área do Villareal três vezes, em cruzamentos.

O Villareal tentava responder em contra-ataques, administrando a pressão. Pela esquerda, o lateral Romero começou a ser o desafogo da equipe e até conseguia prender a bola. Mas assim que o Celta a recuperava, a chegada à área de Jorgensen era bem rápida.

Frustrantemente, o Celta morreu com a bola no Pé, aos 60, mais uma vez chegando à area do time da casa, que conseguiu se segurar.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo