La Liga

Uma era se encerra no Real Madrid: depois de 16 anos, Sergio Ramos se despedirá do clube

Real Madrid oficializou a saída de Sergio Ramos, que não chegou a um acordo para renovar seu contrato

O Real Madrid se despede de um dos jogadores mais vitoriosos de sua história: Sergio Ramos deixará o clube ao final de seu contrato. Os merengues confirmaram a saída do zagueiro nesta quarta e prometem um ato institucional para homenagear o capitão na quinta-feira. Ao término de seu vínculo, o espanhol negociava uma renovação com o clube, mas as notícias das últimas semanas já indicavam que a saída era provável. Aos 35 anos, 16 deles vividos com a camisa blanca, Sergio Ramos buscará um novo destino para seguir sua carreira – e certamente se tornará um dos nomes mais cobiçados do mercado de transferências. Uma pena que a situação não permita um jogo de despedida.

Sergio Ramos chegou ao Real Madrid em agosto de 2005, aos 19 anos. Mesmo tão jovem, o então lateral acumulava convocações pela seleção espanhola e vinha de uma temporada em alto nível, na qual conquistou a Copa da Uefa com o Sevilla. E que os €27 milhões pagos representassem uma fortuna na época, hoje o investimento parece uma pechincha para aquilo que o defensor passou a significar ao madridismo. Não apenas se confirmou como um grande zagueiro, como também virou um dos maiores de sua posição na história do futebol espanhol. E isso empilhando taças, tanto na seleção quanto no clube.

Em suas 16 temporadas pelo Real Madrid, Sergio Ramos disputou 671 partidas. Anotou 101 gols, número alto para um defensor, e contribuiu com 40 assistências. Foram 129 aparições apenas na Champions League, torneio que conquistou quatro vezes, sempre como um dos protagonistas merengues – e o gol contra o Atlético de Madrid na final de 2014 certamente ficará gravado entre os torcedores como ápice dessa história. Além disso, foram 469 partidas no Campeonato Espanhol e cinco títulos. Ao todo, o camisa 4 acumulou 22 troféus em sua passagem pelo Bernabéu – e isso sem contar as duas Eurocopas ou a Copa do Mundo que também ergueu paralelamente pela seleção espanhola.

Sergio Ramos tem um lugar especial na história do Real Madrid com todos esses números. Apenas o lendário Paco Gento, com 23 títulos enfileirados entre as décadas de 1950 e 1960, conquistou mais taças pelo clube do que o zagueiro. Além disso, o camisa 4 é o quarto colocado em total de partidas pela agremiação – atrás apenas de Raúl (741 aparições), Iker Casillas (725) e Manolo Sanchís (710). No atual elenco, o único no Top 10 é Karim Benzema, mas com 102 partidas a menos que o capitão.

A influência de Sergio Ramos no Real Madrid permanecia imensa. Basta notar seu papel central na conquista de La Liga 2019/20, quando foi considerado um dos melhores jogadores do campeonato. Todavia, os últimos meses foram tortuosos ao beque. O capitão disputou apenas 21 compromissos na temporada, ausente por uma série de lesões distintas que sofreu. Desta maneira, acabou se ausentando na reta final do Campeonato Espanhol e também acabou preterido por Luis Enrique na convocação da Espanha à Euro 2020. Agora, é sua própria trajetória no Bernabéu que se encerra.

Durante as conversas de renovação, Sergio Ramos pretendia receber um contrato pelos próximos dois anos. O Real Madrid, no entanto, desejava ampliar o vínculo por apenas uma temporada e ainda reduzir os salários do capitão em 10% – algo ocorrido com outros veteranos, incluindo Luka Modric. Sem que as duas partes chegassem a um acordo sobre a duração do contrato, o zagueiro fica livre para assinar com outro clube sem custos e estará sem vínculo a partir do próximo dia 30 de junho.

Também pesou uma insatisfação do Real Madrid com a postura de Sergio Ramos, ao não se preservar na reta final da temporada. O zagueiro não estava em suas melhores condições físicas quando se juntou à seleção espanhola na Data Fifa de março. Acabou sofrendo uma nova lesão com a equipe nacional e, por isso, desfalcou o clube no momento mais importante de La Liga. Desta maneira, se as conversas pela renovação já tinham esfriado, acabaram não se desenvolvendo mais desde então.

Depois do adeus de Zinédine Zidane, a saída de Sergio Ramos enfatiza ainda mais o fim de uma era no Real Madrid. O clube necessita de uma renovação e perde sua principal liderança, num momento em que os nomes presentes no tricampeonato da Champions se tornam mais escassos. A defesa, de qualquer forma, possui outras opções. David Alaba chegou sem custos do Bayern de Munique, Éder Militão viveu uma temporada de afirmação e Raphaël Varane ainda negocia a renovação de seu contrato que se encerra em 2022. A questão será mesmo suprir uma figura como Sergio Ramos, por sua representatividade e por sua história. Até parecia que o capitão se aposentaria com a camisa merengue, o que torna este rompimento mais significativo.

Agora fica a expectativa sobre o destino de Sergio Ramos. A temporada não foi feliz pelos diferentes problemas físicos, mas um momento com tantas lesões é exceção na carreira do zagueiro. Desde que chegou ao Real Madrid, esta foi apenas a primeira edição do Campeonato Espanhol na qual o beque disputou menos de 23 partidas. Não parece uma aposta de risco, ainda que se pondere a sua idade. O Paris Saint-Germain é o principal interessado na transferência, conforme o noticiário das últimas semanas. É ver quem bancará o veterano e tentará aproveitar seu futebol.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo