La Liga

Titular da Sérvia, Rajkovic será um bom goleiro para se observar em La Liga, contratado pelo Mallorca

Rajkovic se destacou muito cedo e seguiu caminhos pouco óbvios, mas vem de um bom trabalho com o Stade de Reims

Predrag Rajkovic é um velho conhecido da seleção brasileira. O goleiro era capitão da Sérvia que conquistou o Mundial Sub-20 contra o Brasil em 2015, desbancando uma equipe que tinha Gabriel Jesus como principal destaque. Sete anos depois, os destinos se cruzarão novamente. Rajkovic é o titular na meta da seleção sérvia que encarará os brasileiros na Copa do Mundo. E se a carreira do arqueiro não percorreu caminhos tão óbvios assim em sua afirmação, ele terá uma vitrine maior a partir da próxima temporada, atuando no Campeonato Espanhol. O camisa 1 de 26 anos foi anunciado como reforço do Mallorca, após boas temporadas na Stade de Reims pela Ligue 1.

Rajkovic começou no Jagodina e, vendido depois ao Estrela Vermelha, era titular do clube quando estourou no Mundial Sub-20. Ainda sem ter completado 20 anos, parecia ter potencial suficiente para se firmar como ídolo no Campeonato Sérvio e dar passos rumo a ligas maiores. Usava até a braçadeira de capitão dos alvirrubros, eleito o melhor goleiro da liga nacional em 2015/16. Times como PSG, Milan e Lyon se mostravam interessados. Porém, logo depois de conquistar a competição internacional com a seleção, o jovem foi vendido para um clube não tão óbvio assim: o Maccabi Tel Aviv. Disputar o Campeonato Israelense até soava como um retrocesso em sua caminhada, mas ele embarcou na nova jornada. Como era de se esperar, o arqueiro foi titular absoluto e chegou a ser campeão nacional em 2018/19.

A mudança não atrapalhou a carreira de Rajkovic na seleção da Sérvia, embora tenha atrasado a sua progressão. Convocado a primeira vez em 2013, ele virou um reserva constante após o Mundial Sub-20 de 2015 e estava presente no elenco que disputou a Copa do Mundo de 2018, reserva do veterano Vladimir Stojkovic. Suas aparições na equipe, porém, eram esporádicas. A sua carreira voltou a dar uma guinada em julho de 2019, quando o Stade de Reims pagou €5 milhões por sua contratação. Ia para um clube tradicional e para uma liga maior, ainda que seguisse fora dos principais holofotes. Acabava escolhido como o substituto de Édouard Mendy, negociado com o Rennes naquela mesma janela.

Rajkovic faz um bom trabalho na Ligue 1. Não aparece necessariamente entre os goleiros mais badalados da França, mas é uma das razões à estabilidade do Stade de Reims na primeira divisão, com campanhas na parte intermediária da tabela e até participação na Liga Europa. O arqueiro teve boas atuações em partidas grandes e ampliou seu destaque também dentro da seleção. Não à toa, venceu a disputa com Marko Dmitrovic para se tornar o titular dos sérvios nas Eliminatórias. Teve papel importante na classificação de seu país à Copa do Mundo, desbancando Portugal na chave.

Rajkovic não está garantido como titular da Sérvia na Copa do Mundo, mas parece o favorito na disputa. Marko Dmitrovic é apenas reserva no Sevilla, enquanto Vanja Milinkovic-Savic ganha mais destaque pelo Torino, mas tem menos experiência na seleção. Aos 26 anos, a carreira de Rajkovic por clubes ainda não é o que se apontava depois do protagonismo no Mundial Sub-20, mas a titularidade na Sérvia cumpre o imaginado. A transferência ao Campeonato Espanhol, agora, poderá auxiliar em sua visibilidade e até mesmo na forma rumo ao Mundial de 2022.

O Mallorca ainda busca tranquilidade na primeira divisão de La Liga, mas é um clube bem gerido e que faz bons negócios no mercado de transferências. Comprar Rajkovic por €2 milhões parece o caso, com um valor baixo pela aproximação do fim do contrato. Até o momento, o time dirigido por Javier Aguirre garantiu quatro contratações, com destaque ainda ao lateral Pablo Maffeo (Stuttgart) e ao centroavante Vedat Muriqi (Lazio). Rajkovic deve ocupar a vaga do veterano Manolo Reina, ídolo do clube durante os últimos acessos, mas que perdeu a posição na última temporada e saiu para o Málaga. Os bermellones chegaram a emprestar Sergio Rico, mas o arqueiro do PSG não ficou.

Brigar pela permanência na primeira divisão espanhola ainda não é a melhor perspectiva possível para Rajkovic. Mas, por uma carreira que não percorre um caminho tão linear, pode ser mais um passo firme. E, afinal, o grande objetivo no curto prazo é a Copa do Mundo. Serão bons testes para que ele consiga realmente ajudar a Sérvia em uma boa campanha no Catar.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo