La Liga

Suárez decide na frente, Oblak garante atrás e Atlético de Madrid vence Alavés

A queda de rendimento do Atlético de Madrid tornou todo e qualquer jogo do time um sofrimento, inclusive contra um time da parte de baixo da tabela, como é o caso do Alavés. Mesmo assim, o time conseguiu a vitória em casa pelo placar mínimo de 1 a 0, graças a um gol de Luis Suárez e uma defesa de pênalti do goleiro Jan Oblak, já no final do jogo. Dois jogadores fundamentai valeram três pontos preciosos.

O jogo duro feito pelo Alavés no Wanda Metropolitano não foi uma surpresa. O rendimento do Atlético, sofrendo um pouco para criar jogadas, também não. Foi assim já contra o Chelsea, quando os ingleses foram bastante superiores em quase todo o confronto pelas oitavas da Champions League.

O gol só sairia no segundo tempo. Logo aos nove minutos do segundo tempo, o lateral Kieran Trippier fez um cruzamento perfeito, na cabeça de Suárez, que com a sua habitual capacidade de finalização, desviou para marcar 1 a 0. Foi o gol 500 do uruguaio na carreira, uma marca enorme.

Suárez comemora seu 500º gol (Divulgação)

O gol melhorou o time do Atlético, que quase ampliou pouco depois em um lance de Marcos Llorente. O goleiro Fernando Pacheco fez uma boa defesa. Só que o jogo não foi resolvido e as coisas poderiam ter ido por água abaixo aos 41 minutos, depois de um pênalti marcado pelo árbitro de Stefan Savic em Luis Lioja. O centroavante Joselu cobrou no canto e o goleiro Jan Oblak foi muito bem e fez uma grande defesa para impedir o gol.

Um resultado enorme para o Atlético não permitir que os rivais Barcelona e Real Madrid reduzam a diferença, que está em quatro pontos na tabela. Com os dois gigantes em boa fase e enfileirando vitórias, o Atlético de Simeone não pode mais se dar ao luxo de desperdiçar pontos se quiser a taça ao final da temporada.

Standings provided by SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo