La Liga

Simeone elogia recuperação de Renan Lodi: “O mais importante é aquilo que não se vê: ele trabalha”

Renan Lodi foi o grande nome da vitória sobre o Celta e recebeu o reconhecimento de Simeone, principalmente por sua postura nos vestiários

O Atlético de Madrid não entrou novamente na zona de classificação à Champions League na tabela de La Liga, mas se revigorou nas últimas rodadas. Neste sábado, os colchoneros derrotaram o Celta por 2 a 0 no Wanda Metropolitano. O grande nome da partida foi Renan Lodi, que dá sinais de recuperação após momentos de baixa. O brasileiro viveu uma jornada artilheira e, com mais liberdade para atacar diante do resguardo de Reinildo Mandava, anotou os dois gols do Atleti. O ala recebeu o reconhecimento de Diego Simeone, que elogiou sua guinada recente.

“Fico muito contente por Renan. Na última temporada, diante do grande ano de Carrasco, ele teve menos minutos que em seu primeiro ano, mas sempre dissemos a ele que, por suas características, podia ser muito perigoso jogando mais por dentro. Ele tem chegada, gol e isso permite que rompa. Mas o mais importante é aquilo que não se vê: ele trabalha. Reinildo chegou e o primeiro que fez foi ajudá-lo, e isso não se vê tanto. Gente nobre, íntegra, que se compromete jogando ou não. Ao final, o futebol te recompensa, ele te devolve como no outro jogo contra o Manchester United e também hoje”, elogiou Simeone.

Outro ponto bastante elogiado pelo treinador é a competição interna no Atlético de Madrid. Segundo Simeone, tal disputa pelas posições se tornou maior durante as últimas semanas e isso contribui para que o time mude sua postura dentro de campo.

“Dizem muito que a dinâmica mudou. Desde a partida contra o Osasuna o time tem um espírito diferente: intensidade, agressividade, trabalho coletivo, defender nossa área e atacar a adversária com mais contundência. Os resultados nos acompanharam. A competição interna cresce e isso é o melhor que pode acontecer com a gente. Jogadores como Herrera, Kondogbia, Vrsaljko e Reinildo vêm para competir com os campeões na temporada passada. Exceção a Correa e Savic, que talvez tenham mais continuidade, o resto vai crescendo. Com uma competição leal e comprometimento, a equipe certamente sai ganhando”, afirmou.

O comandante analisa que isso se refletiu inclusive no jogo contra o Manchester United pela Champions League, no qual o Atleti ensaiou a vitória: “Creio que a melhor coisa que acontece é que eles viram que o jogo de outro dia, contra o Manchester United, foi muito bom. Companheiros comprometidos com a causa de vencer. Queríamos chegar aos 60 minutos e colocar novos jogadores, que vêm entrando bem e ficando bravos porque não jogam. É o melhor que pode acontecer: competir e ser melhores”.

Por fim, o treinador avalia como um processo natural esses altos e baixos na postura, mas que a vontade recente anima: “Não creio que não quiséssemos ganhar anteriormente. Mas há passagens e momentos onde as coisas não acontecem. Em certos momentos não aconteceram e, por sorte, está se encaminhando. Depois do grande esforço que fizemos, a mente é o que cansa e esses jogadores com menos minutos queriam muito aparecer. Diziam que queriam jogar e isso é ótimo”.

O Atlético de Madrid ocupa o quinto lugar de La Liga, com 45 pontos, atrás do Barcelona nos critérios de desempate. Os resultados recentes permitiram que o time também se reaproximasse do Betis, um ponto à frente, na terceira posição. A rodada do próximo final de semana será fundamental, com a visita dos colchoneros aos beticos na Andaluzia.

[embedcode get="script" playlist_id="match"]
Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo