La Liga

Segundo presidente de La Liga, Atlético de Madrid fez questionamento por escrito sobre a transferência de Griezmann

A transferência de Antoine Griezmann ao Barcelona pode não ter uma resolução tão simples. Após o pagamento da multa rescisória pelos blaugranas, o Atlético de Madrid reivindica que a quebra da cláusula foi realizada de maneira irregular. Segundo os colchoneros, o acerto já tinha acontecido antes de 1° de julho, data em que o valor da rescisão caiu de €200 para €120 milhões. E a própria entidade que organiza o Campeonato Espanhol pode interferir na transação. Presidente de La Liga, Javier Tebas declarou que o Atleti pediu o bloqueio do atleta.

[foo_related_posts]

“O Atlético fez um pedido por escrito e colocou em dúvida se devíamos dar a licença de Griezmann ao Barcelona. La Liga tem capacidade para bloquear a contratação do jogador. Há um mecanismo que foi acionado e os órgãos competentes irão resolver a situação. Não tenho elementos de juízo”, declarou o dirigente, em entrevista à rádio Onda Cero.

O jornal Mundo Deportivo rebate a informação. Segundo fontes do periódico catalão, não há nenhuma petição formal do Atlético de Madrid na sede da Liga. Os próprios funcionários da entidade garantiram que, se Tebas possui esta carta, ela foi enviada em caráter pessoal ao presidente. O Comitê de Licenças é o órgão competente para cuidar do bloqueio da transferência, mas ainda não teria sido acionado pelos colchoneros.

Integrado ao elenco do Barcelona, Griezmann participa da pré-temporada do clube no Japão. Nesta semana, realizou sua estreia pelo clube em amistoso contra o Chelsea. Atuou como falso nove no 4-3-3 de Ernesto Valverde, permanecendo em campo por 45 minutos. A primeira partida do Barça no Campeonato Espanhol acontece em 16 de agosto, quando os catalães encaram o Athletic Bilbao. Até lá, o imbróglio envolvendo o francês tende a continuar.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo