La Liga

Real Madrid não dá chances ao Espanyol e passeia na conquista do 35º título de La Liga

Rodrygo comandou a festa com dois gols na primeira etapa e o artilheiro Benzema fechou a conta

O Real Madrid soube competir como nenhuma outra equipe espanhola nessa temporada. Precisando apenas de um ponto para se sagrar campeão de La Liga pela 35ª vez na história, o time de Carlo Ancelotti fez 4 a 0 no Espanyol e fez a festa de sua torcida no Santiago Bernabéu.

O que ficou claro muito cedo na temporada se concretizou neste sábado (30), em uma tarde de time misto, grande atuação de Rodrygo, e homenagens a Rafael Nadal, que esteve nas tribunas e recebeu aplausos antes do pontapé inicial. Na hora que a bola rolou, o melhor desempenho dos madridistas foi entregue: agressividade, consistência e segurança defensiva. Sem dar chances ao Espanyol, o Real não quis esperar para estourar a champagne.

Embora o primeiro gol tenha demorado mais de meia hora para sair, o lance foi fruto do trabalho coletivo madridista, algo que ficou claro no início dessa segunda passagem de Carlo Ancelotti. Rodrygo recebeu passe do capitão Marcelo e iniciou as celebrações no Bernabéu, no minuto 33. Aos 43, em uma roubada de bola bastante esperta, o brasileiro arrancou para a área e resolveu sozinho o segundo gol. Colocado contra a parede, o Espanyol precisou se segurar firme, mas tinha nos contragolpes a chance de botar água no chope merengue.

O Real mordeu bastante com sua marcação, roubando muitas bolas em seu campo e na faixa central, municiando rapidamente os lances ofensivos. Se a vitória do título pertence a Rodrygo, outros craques históricos deram sua colaboração ao longo dos 90 minutos. A começar pelo capitão Marcelo, que com o troféu levantado neste sábado, se tornou o atleta com mais títulos vestindo a camisa da agremiação blanquilla. Com a confiança de Ancelotti (que ainda não sabia como era ser campeão espanhol), Marcelo iniciou seu processo de despedida desfrutando do máximo respeito da torcida e com direito a protagonismo no momento de se reencontrar com a taça.

O placar foi decidido na segunda etapa, com gols de Marco Asensio (passe de Eduardo Camavinga) e Karim Benzema. Isco ainda teve um gol anulado pelo VAR, também na etapa complementar. Ancelotti, em uma tentativa de dar ritmo a Benzema e Vinícius, colocou a dupla titular sacando Mariano Díaz e Rodrygo no trecho final da partida. E foi justamente com a dupla Vinzema que construiu o gol derradeiro no duelo, com passe de Vini para o goleador francês.

Entre os recordes de um clube monumental, a temporada já pode ser considerada vitoriosa pelo título de La Liga e a boa participação na Liga dos Campeões. O Real capitalizou em cima da instabilidade em Barcelona e Atlético para recuperar a coroa espanhola, e não demonstrou em momento algum que poderia perder o campeonato. A melhor notícia é que Ancelotti ainda pôde descansar algumas peças para buscar uma remontada diante do Manchester City, no meio da semana, valendo vaga na final continental. Com quatro rodadas de antecedência, a Espanha conheceu seu novo campeão. A taça segue em Madri, mas agora no salão nobre de quem a tratou como obrigação neste ano de 2022.

Nomes para se lembrar na campanha de 2021-22

O que dizer de Karim Benzema? O francês chega aos 34 anos e não mostra sinais de envelhecimento. Pelo contrário: está cada vez mais decisivo. Na temporada, o camisa 9 marcou incríveis 42 gols e 13 assistências em 42 jogos. Em La Liga, se firmou como artilheiro e chegou hoje aos 26 tentos. Deve ser coroado como tal, já que o segundo atacante da lista é Raúl de Tomás, do Espanyol, com 15.

Marcelo soma 24 títulos com a camisa do Real Madrid, ultrapassando o lendário Paco Gento, ídolo nos anos 1960 e 70. O lateral de 33 anos tem contrato até o meio do ano e parece muito difícil que o clube renove seu vínculo. O brasileiro perdeu espaço no elenco nos últimos anos, mas é uma referência para os mais novos e agrega muita técnica e presença ofensiva quando entra.

Luka Modric não se cansa de ser espetacular. Com dois pulmões de ouro, o croata vem fazendo uma temporada esplêndida, colaborando na marcação e na armação com igual competência. Modric ignora o peso de seus 36 anos e mostra grande forma física para ser o motorzinho de um Real Madrid que não se preocupa em encantar, mas sempre compete até o final. Parte crucial dessa alma quase indestrutível dos blanquillos é o croata.

Vinicius Júnior se firmou como protagonista e alcançou o nível que se esperava desde sua chegada. Capaz de iniciar jogadas como num passe de mágica, entortou muita gente ao longo da campanha vitoriosa em La Liga e também entregou gols e assistências aos montes. Participou de 23 gols ao todo, sendo 14 tentos e 9 assistências. Definitivamente mudou de patamar e deixou de ser promessa, algo que também já se reflete em suas convocações para a Seleção.

Carlo Ancelotti voltou para conquistar o que faltava. Depois de sete anos, o italiano reassumiu o comando do Real e se tornou o primeiro treinador a conquistar a cinco principais ligas europeias, tendo sido anteriormente campeão inglês (Chelsea), italiano (Milan), francês (PSG) e alemão (Bayern). Foi muito criticado em alguns momentos, sobretudo nos duelos contra Barcelona (4 a 0 sofrido em La Liga), PSG e Chelsea (Champions), mas sem ele a transição de gerações do elenco não teria sido bem-sucedida. Notório gestor de grupos, Carlo subiu o nível apresentado pelo time em relação à temporada anterior, sob o comando de Zinedine Zidane.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo