La Liga

Rakitic relembrou seu brilhantismo com um gol fabuloso no dérbi contra o Betis

O Sevilla sofreu para arrancar o empate em casa contra o Betis, mas pôde aplaudir o chutaço de Rakitic no ângulo

O dérbi no Ramón Sánchez-Pizjuán era uma oportunidade para o Sevilla tentar erguer seus ânimos na temporada. A campanha na Champions League é ruim e o time não engrena em La Liga, mesmo com a chegada de Diego Alonso. Do outro lado, o rival Betis inspirava cuidados, considerando a fase estupenda de alguns de seus jogadores – inclusive com Isco disposto a fazer imperar a Lei do Ex. No fim das contas, o empate por 1 a 1 está distante de empolgar os sevillistas, já que o placar em casa poderia ter sido ainda pior. Ao menos, contou com o brilho de um de seus craques para salvar a pátria. Ivan Rakitic assinou uma pintura, candidata a gol da rodada na Espanha.

O Sevilla tem mais nomes do que futebol nos últimos tempos. A equipe titular reuniu figuras como Jesús Navas, Nemanja Gudelj, Djibril Sow, Ivan Rakitic, Lucas Ocampos e Youssef En-Nesyri. No entanto, Diego Alonso encontra dificuldades para construir uma identidade. Manuel Pellegrini é bem mais feliz em seu longo ciclo no Betis, mesmo que o time no papel pareça inferior. Em campo, sua bola é mais redonda. O destaque neste domingo ficava para a trinca de meias formada por Assane Diao, Isco e Ayoze Pérez, no apoio a Willian José.

O jogo

Durante o primeiro tempo, o Sevilla deu muita sorte de não ter sofrido o gol. Teve mais posse de bola, mas passou longe da contundência do Betis. O problema dos verdiblancos foi mesmo a falta de precisão, com muitos gols perdidos. Isco desperdiçou uma cabeçada livre no primeiro minuto, nos braços de Marko Dmitrovic. Guido Rodríguez também parou no goleiro e Héctor Bellerín teve um gol anulado. Já o lance mais incrível aconteceu aos 35. Juan Miranda carimbou Dmitrovic e, no rebote, isolou com o goleiro batido.

Durante o segundo tempo, Ayoze Pérez participou das melhores jogadas do Betis. Mandou uma estilingada na trave e esbarrou em Dmitrovic. Merecia o gol, que finalmente veio aos 27. Numa bola alçada para a área, Dmitrovic saiu mal para afastar o cruzamento e o ponta pegou o rebote com liberdade, mandando de primeira para as redes. A missão do Sevilla era bem mais difícil, especialmente pelo calor que tomava dentro de casa.

A salvação dependia do brilhantismo. E ele surgiu nos pés de Rakitic. Aos 33, o veterano recebeu na intermediária. O domínio já foi bonito, numa aparada até que fez a bola subir. Quando ela quicou no gramado, o croata chutou com gosto. Disparou um petardo com o peito do pé, numa trajetória seca rumo ao ângulo. Golaço. O Betis ainda não desistiu e teve mais um gol anulado. Do outro lado, Suso tentou reproduzir Rakitic e exigiu uma boa defesa de Francisco Vieites antes do fim, mas não passou disso.

Como fica a tabela

O Sevilla não sabe o que é ganhar desde o fim de setembro. São seis rodadas em jejum pelo Campeonato Espanhol, com cinco empates consecutivos. Diego Alonso só venceu um jogo, contra um adversário inócuo pela Copa do Rei, com direito às pancadas do Arsenal na Champions League. Os rojiblancos ocupam o 13° lugar em La Liga, com 12 pontos. Estão cinco pontos acima da zona de rebaixamento e já dez pontos abaixo da zona de classificação à Conference League. Os temores da temporada passada se repetem.

Já o Betis, mesmo com um elenco enxuto, se mostra pronto a brigar novamente pelas copas continentais. A equipe atualmente aparece na sétima posição, com 21 pontos. A corrida pela Champions está dura desta vez, mas falta só um ponto para a zona da Conference e três para a Liga Europa. O time de Manuel Pellegrini está invicto há oito rodadas em La Liga, embora empate muito, com apenas três vitórias neste intervalo. Também faz um bom papel na Liga Europa, o que anima mais.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo