La Liga

O Rayo Vallecano buscou a reviravolta fora de casa e conquistou um acesso heroico de volta à elite

Rayo tinha perdido a ida em casa para o Girona, mas conseguiu a vitória por dois gols na Catalunha

O Rayo Vallecano estará de volta à elite do Campeonato Espanhol na próxima temporada. Depois dos acessos de Espanyol e Mallorca, os franjirrojos garantiram a última vaga nos playoffs da segunda divisão. O clube de Vallecas tinha ficado na sexta colocação e era o azarão nos mata-matas de promoção. Foi então que surpreenderam. Primeiro, despacharam o favorito Leganés com duas vitórias. Já na decisão contra o Girona, mesmo perdendo em casa por 2 a 1, o Rayo conseguiu subir com a reviravolta fora de casa. Conquistou o triunfo por 2 a 0 na Catalunha e estará na elite depois de duas temporadas na segundona.

Ainda que não consiga se aproximar dos principais vizinhos de Madri, o Rayo Vallecano possui sua relevância no Campeonato Espanhol desde que conquistou o acesso à elite em 1989 – voltando dez anos depois de sua primeira estadia em La Liga, no fim da década de 1970. Os franjirrojos permanecem como uma equipe ioiô, que ainda assim disputou a primeira divisão 15 vezes nos últimos 32 anos. As estadias em La Liga não são muito longas, é verdade, sem passar das cinco temporadas consecutivas de 2011 a 2016. De qualquer maneira, este é o sétimo acesso do Rayo na segundona, o que indica certa competitividade. Vale lembrar ainda que, de 2004 a 2008, os madrilenos chegaram a passar quatro anos na terceira divisão.

A última aparição do Rayo Vallecano na elite foi breve. O time subiu e logo caiu em 2018/19, com a lanterna da competição. Na temporada passada, não deu para disputar o acesso, com os franjirrojos ficando a uma posição de entrar nos playoffs. Desta vez, conseguiram avançar aos mata-matas. Seria um desempenho razoavelmente estável do Rayo, que passou 32 das 42 rodadas dentro da zona de classificação aos playoffs. No fim, até houve uma sequência ruim com quatro rodadas sem vencer. Mas, depois de sair do G-6, o clube se recuperou com três vitórias nas últimas quatro partidas para garantir a sobrevida.

Os dois primeiros colocados da segunda divisão espanhola foram Espanyol e Mallorca, rebaixados na temporada passada. O terceiro time a cair, o Leganés, também pintava como favorito nos playoffs. Foi então que o Rayo Vallecano indicou como poderia surpreender. Ganhou por 3 a 0 em Vallecas, antes de anotar 2 a 1 também em Butarque. Já na outra semifinal, o Girona desbancou o Almería, mesmo ficando abaixo na classificação geral da segundona. Seriam os adversários na decisão, com os catalães acumulando dez partidas de invencibilidade até ali e ganhando o direito de decidir dentro de casa.

A ida em Vallecas até pareceu comprometer o sonho do Rayo Vallecano. Os madrilenos abriram o placar com Isi Palazón, mas o Girona ganhou de virada por 2 a 1, como Enric Franquesa e Mamadou Sylla comandando a reação. Assim, os catalães só precisariam do empate em casa para subir e mesmo o 1 a 0 para os franjirrojos os beneficiaria. Não foi o que aconteceu.

Aos sete minutos do primeiro tempo na Catalunha, Álvaro García abriu o placar ao Rayo. Num lançamento de Emiliano Velázquez que atravessou o campo, o atacante dominou e bateu com estilo para encobrir o goleiro. Álvaro também participou do segundo tento, aos 46, que deixou o acesso nas mãos dos visitantes. Óscar Trejo roubou a bola na intermediária, abriu com o atacante na esquerda e apareceu dentro da área para receber o passe, definindo com frieza. A equipe de Madri ainda ficou com um jogador a menos no início do segundo tempo, quando Velázquez foi expulso. Apesar disso, Luca Zidane realizou boas defesas e, numa reta final tensa, o Rayo segurou o placar de 2 a 0 para confirmar a promoção.

A conquista referenda um pouco mais o promissor início de Andoni Iraola como treinador. O histórico lateral do Athletic Bilbao já tinha feito barulho na temporada passada, quando levou o Mirandés às semifinais da Copa do Rei. Chegou a Vallecas nesta campanha e logo cumpre o objetivo à frente dos franjirrojos. Já dentro de campo, algumas figurinhas carimbadas ajudaram o feito do Rayo. Luca Zidane, Emiliano Velázquez, Luís Advíncula, Óscar Trejo, Mario Suárez, Álvaro García e Bebé estão entre os jogadores com certa rodagem na elite. Vale mencionar que o time ainda se virou nesses mata-matas sem o goleiro Stole Dimitrievski, convocado à Euro 2020. Advíncula jogou as Eliminatórias com a seleção peruana, mas não disputa a Copa América.

O desafio do Rayo Vallecano é mesmo conseguir alguma continuidade em La Liga. Os melhores momentos do clube na elite foram com Paco Jémez, um treinador arrojado e que conseguiu resultados marcantes – ainda que não tenha emplacado em sua carreira depois disso. Iraola já se provou um treinador ousado o suficiente e capaz de surpreender adversários mais fortes. De qualquer forma, a manutenção na primeira divisão não será simples, até considerando as possibilidades financeiras dos outros concorrentes que subiram. Depois do milagre nestes playoffs, a permanência seria outro feito aos franjirrojos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo