O se colocou nesta semana como um pesadelo ao . Na quarta-feira, os dois times se enfrentaram em partida atrasada do Campeonato Espanhol e os valencianos seguraram o empate por 1 a 1 em casa. Coincidentemente, os clubes voltaram a se pegar neste sábado, dentro do Wanda Metropolitano. E os Granotas conseguiram se superar, desta vez batendo os colchoneros por 2 a 0. De novo o goleiro fez a diferença, com tomando a posição de Aitor Fernández e mantendo a excelência. Além do mais, o time de Paco López foi muito mais preciso no ataque. Abriu o placar no primeiro tempo e matou o jogo nos acréscimos da segunda etapa – com um gol do meio-campo, quando Oblak já estava desesperado no ataque. Foi a primeira vitória da história do Levante visitando o Atlético na Liga.

Assim como foi na partida anterior, o Levante ameaçava uma surpresa durante os primeiros minutos. era quem mais chamava a responsabilidade e daria seu aviso aos sete, ao partir sozinho pelo campo de ataque e chutar rente à trave na saída de Jan Oblak. O Atlético de Madrid era improdutivo. A partida parecia nas mãos dos Granotas, sobretudo pela maneira como sua defesa conseguia se proteger com segurança. Nem mesmo Luis Suárez conseguia achar uma brecha.

A vitória do Levante começou a se abrir aos 30 minutos. Seria com a participação de Morales, é claro. Depois de um avanço pela esquerda, os Granotas brigaram pela bola na entrada da área e a sobra ficou com Morales. O capitão emendou rápido o chute e contou com um desvio para superar Oblak. Mesmo tentando recuperar o prejuízo antes do intervalo, o Atleti era inócuo diante da bem postada defesa valenciana. Ficava restrito às bolas paradas, mas nada tão perigoso.

O segundo tempo teria um Atlético de Madrid mais insistente. Os lances se sucediam, como uma série de lances perigosíssimos por volta dos 15 minutos. Luis Suárez acertou a trave numa cobrança de falta, enquanto o goleiro Dani Cárdenas parou João Félix num chute forte no meio do gol. Também haveria um gol anulado por uma falta de ataque. Sumido no primeiro tempo, João Félix arriscava mais. Acabaria frustrado por Cárdenas, que faria outra intervenção segura aos 21. O goleiro se posicionava muito bem, o que facilitava seu trabalho.

Não restava outra alternativa ao Atlético a não ser insistir. No meio do bombardeio, Diego Simeone mandou a campo Moussa Dembélé, em sua estreia pelo novo clube após se recuperar da COVID-19. A defesa do Levante se segurava no limite, mesmo com o alto número de finalizações do Atleti, muitas delas sem direção. Dembélé chegou a ser travado na última hora dentro da área e Cárdenas brilharia de novo no finzinho, em chute de Thomas Lemar que foi no canto. Já nos acréscimos, até Oblak estava na área para tentar algo. Foi o que permitiu o segundo gol. Jorge de Frutos arrancou do campo de defesa e, com a meta aberta, arriscou o chute um pouco depois da linha central. O golpe de misericórdia, com classe.

O Levante alcança a oitava colocação, com 31 pontos, aguardando a sequência da rodada para saber sua real posição. Neste momento, dá para sonhar com Liga Europa. Já o Atlético de Madrid vê os tropeços se sucederem, com apenas uma vitória nas últimas quatro rodadas, e estaciona nos 55 pontos. Com o mesmo número de jogos do Real Madrid, ainda há uma vantagem de seis pontos. De qualquer maneira, é natural criar uma desconfiança, apesar dos méritos do Levante e de seus goleiros.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore