La Liga

O Barcelona passou um sufoco tremendo no fim, mas a estreia de Xavi rendeu a vitória no Dérbi da Catalunha

O Espanyol teve três grandes chances em sequência para arrancar o empate, mas o Barça se recupera

O Barcelona entrou em campo neste sábado sob expectativas, diante da estreia de Xavi na casamata. E o treinador cumpriu seu objetivo, apesar do turbilhão de emoções no dérbi da Catalunha contra o Espanyol. Mesmo com o parco tempo de trabalho, alguns sinais positivos até apareceram de início, embora os blaugranas sigam com um elenco limitado e outros tantos entraves. Depois de um primeiro tempo no qual esbarrou no goleiro Diego López, o Barça saiu em vantagem com um pênalti (contestado pelos rivais) no início do segundo tempo. Todavia, a sequência da noite teria grandes provações no Camp Nou, especialmente numa reta final em que os Pericos mandaram duas bolas na trave e perderam um gol feito. No fim das contas, o triunfo culé por 1 a 0 estanca a sangria recente e oferece os três primeiros pontos do novo treinador.

A primeira escalação de Xavi à frente do Barcelona tinha novidades. Iliàs Akhomach, de 17 anos, saía do Barcelona B direto para a titularidade na ponta direita. Já na esquerda, Gavi jogava numa posição mais ofensiva. Nico González era outro adolescente na equipe blaugrana. Ainda assim, o treinador também optou por nomes mais tarimbados, com Gerard Piqué, Jordi Alba, Sergio Busquets e Memphis Depay formando a espinha dorsal. Do lado do Espanyol, o grande destaque era Raúl de Tomás, de volta após defender a seleção na Data Fifa.

O Barcelona já apresentou novos recursos, com um bom primeiro tempo no Camp Nou, mesmo sem marcar gols. Os blaugranas voltaram a apresentar um jogo de posse de bola no campo de ataque, organizados num 4-3-3 bem claro. E, mais importante, com agressividade inicial. Aos três minutos, Memphis já obrigou a primeira defesa de Diego López. O Barça criava espaços e até o garoto Iliàs tentaria o seu logo cedo, isolando a bola na linha da pequena área. Já aos 24, Diego López barraria de novo Memphis. As trocas de passes fluíam, sobretudo pela esquerda, e a pressão sem a bola alta funcionava bem. Faltava apenas o passe final.

Aos 30 minutos, Diego López voltou a salvar a pele do Espanyol, num chute frontal de Busquets que tinha endereço. A reta final do primeiro tempo veria um Barcelona em menor ritmo, com dificuldades para finalizar, mas ainda assim dominante. O Espanyol só ameaçaria realmente aos 44, num lance pela esquerda em que Raúl de Tomás escapou de Óscar Mingueza e finalizou com desvio, em bola que passou perigosamente por cima da meta de Marc-André ter Stegen.

Xavi resolveu trocar Iliàs por Abde Ezzalzouli na volta para o segundo tempo – outro garoto do Barça B, esse ao menos com 19 anos e duas aparições anteriores. O caminho se abriu para a vitória do Barcelona logo aos três minutos. Numa bola esticada na área, Memphis Depay acabou derrubado por Leandro Cabrera na área, embora o defensor tenha tocado primeiro a bola. Apesar das contestações dos jogadores do Espanyol, a arbitragem confirmou a marcação. O próprio holandês foi para a marca da cal e chutou com tranquilidade, deslocando Diego López.

A pressão do Barcelona durante o início do segundo tempo seguiu e Abde dava um novo gás ao time pela direita. O garoto participava bastante na definição e teve um tiro salvo pela zaga aos 16, quando Diego López estava batido. Frenkie de Jong também viu um gol anulado por impedimento dois minutos depois. O Espanyol, entretanto, passou a equilibrar o confronto e a se impor fisicamente com o passar dos minutos. Um aviso de que os Pericos complicariam veio aos 25, com Raúl de Tomás, numa batida no canto que saiu raspando. A resposta seria dada logo depois, de novo com Abde, que rabiscou para cima da marcação e chutou cruzado buscando o ângulo, mas a centímetros do alvo. Gavi deixaria o campo nesta hora, para a entrada de Philippe Coutinho.

Aos 30, o Barcelona teve uma baixa importante, com a lesão de Busquets. Enquanto isso, o Espanyol reforçava seu ataque. A reta final da partida seria de provação aos blaugranas. O teste cardíaco começou aos 36, numa falta cobrada por RDT, que pegou no lado de fora da trave quando Ter Stegen não mais alcançaria. Logo na sequência, Wu Lei cruzou e Landry Dimata perdeu um gol inacreditável, ao cabecear sozinho ao lado da meta. E as traves seguiram frustrando De Tomás, que mandou uma pedrada de cabeça de novo contra o poste aos 41. Para aumentar a lista do departamento médico do Barça, Mingueza e Nico também sentiram. Apesar dos temores, o abafa dos Pericos diminuiu nos acréscimos e quase ainda deu para Memphis fazer o segundo. Mas, na última chegada, Wu Lei ameaçou engatilhar o chute na pequena área, num lance em que Coutinho se recuperou de um erro no domínio.

O Barcelona vai para o sexto lugar no Campeonato Espanhol, enfim encerrando sua sequência sem vitórias na competição. A equipe tem 20 pontos, mas corre o risco de ser ultrapassada pelo Rayo Vallecano e ainda fica a cinco pontos da zona de classificação à Champions. Já o Espanyol, que vem fazendo um retorno à elite interessante, ocupa o 11° lugar ao final do sábado, com 17 pontos e a chance perdida de ultrapassar os rivais.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo