La Liga

O Barcelona ofereceu uma calorosa despedida para Piqué, digna da importância do zagueiro em sua história

Piqué fez sua última partida como jogador profissional e recebeu muitas homenagens do Barcelona no Camp Nou

O Camp Nou se encheu com mais de 92 mil torcedores para uma noite especial ao Barcelona. De maneira repentina, Gerard Piqué anunciou nesta semana sua aposentadoria do futebol. Havia um desgaste claro do zagueiro no clube, longe de seus melhores tempos. Além disso, a nova legislação espanhola que proíbe atletas profissionais de terem relações empresariais com as competições que disputam acelerou o processo. Há algum tempo Piqué é mais homem de negócios que jogador de futebol, e escolheu seu caminho definitivo. Ainda assim, o barcelonismo se preparou para aplaudir um defensor essencial em tantas conquistas e o quinto futebolista que mais vestiu a camisa blaugrana, com 616 partidas. A vitória por 2 a 0 sobre o Almería, que deixa o Barça na liderança provisória de La Liga, foi apenas um detalhe. O adeus a Piqué é que fica marcado.

Por mais que o Barcelona não tenha desfrutado de muito tempo, conseguiu preparar algumas referências a Piqué no Camp Nou, com faixas e outros detalhes. Mais importante era a mobilização da torcida, que proporcionou o maior público do clube desde dezembro de 2019. Muita gente levou cartazes e outros presentes para o zagueiro, que chegou ao estádio acompanhado dos filhos. Já na entrada em campo, o nome do veterano era cantado pela massa.

O clima de homenagem a Piqué ficou claro desde os primeiros instantes da partida. O zagueiro, vaiado há poucos dias contra o Bayern, agora era aplaudido a cada toque na bola. E a chance de uma vitória tranquila caiu no colo do Barcelona aos cinco minutos, num pênalti por toque de Kaiky. Ainda que alguns esperassem Piqué na marca da cal, Robert Lewandowski bateu e desperdiçou. Mandou uma bola mansa no canto e acertou o lado externo da trave. Apesar do erro, os blaugranas se mantiveram em cima. Ditavam o ritmo e pressionavam, com uma cabeçada de Piqué para fora na sequência de um escanteio.

À medida que o Barcelona não conseguia anotar seu gol, o Almería esperava o seu momento. E poderia ter aberto o placar aos 28, num vacilo de Frenkie de Jong. Largie Ramazani saiu de cara com Marc-André ter Stegen, que salvou no mano a mano. Já o fim da primeira etapa foi um monólogo do Barça no ataque. Os catalães eram mais incisivos e conseguiam as finalizações. O goleiro Fernando Martínez salvava os andaluzes. Foram algumas intervenções decisivas do arqueiro, em especial numa cabeçada em que Dembélé aparecia sozinho – com enormes deméritos do francês. Pedri e De Jong também foram frustrados pelo goleiro. Quando Martínez estava batido, Kaiky ainda bloqueou um chute de Ferran Torres quase em cima da linha.

Toda a espera do Barcelona se encerrou logo aos três minutos do segundo tempo, com o aguardado gol. Dembélé também faz a diferença para seu time. Num lançamento espetacular de Sergio Busquets, o ponta dominou na borda da área. Fintou dois e desferiu o arremate cirúrgico, no canto anterior de Fernando Martínez, que sequer saltou. A partida seguiu tranquila para os blaugranas, que poderiam ter feito o segundo aos 14, não fosse o preciosismo de Dembélé. O ponta invadiu a área e limpou o goleiro, mas demorou para definir e acabou travado. Quem anotou o segundo na sequência, aos 17, foi Frenkie de Jong. Ansu Fati parou no goleiro Martínez e o meio-campista encheu o pé no rebote.

Ansu Fati teve um gol anulado e Martínez fez mais um par de defesas, mas, com a partida resolvida, as expectativas ficavam todas para o momento em que Piqué deixaria o campo. Aconteceu aos 38 minutos. O zagueiro saiu ovacionado pela torcida, enquanto todos os companheiros faziam questão de abraçá-lo. Era um momento bastante emotivo, no qual a comoção estava evidente na expressão do veterano, mesmo sem chorar. A transmissão até se esqueceu do jogo por um momento, priorizando a festa para Piqué no banco de reservas. E de fato nada de muito interessante aconteceria no gramado depois disso.

Após o apito final, o Barcelona realizou mais um tributo a Piqué. O defensor deu uma volta olímpica e seguiu ovacionado pela torcida, que permanecia em peso nas arquibancadas. No telão do estádio, um vídeo era exibido, relembrando sua trajetória. “Em primeiro lugar, os agradecimentos. A todos os meus companheiros, ao staff, aos funcionários. A todos que nos ajudam no dia a dia para que tudo seja mais fácil. Obrigado à direção por todos esses anos. Foi uma relação de tanto amor, de tanta paixão, creio que era o momento de darmos um respiro, e estou convencido de que no futuro voltarei a estar aqui. Isso não é uma despedida, já saí faz uns anos e depois voltei. Nasci aqui e morrerei aqui. Visca el Barça”, declarou Piqué, evidenciando sua intenção de um dia se tornar dirigente barcelonista.

E o veterano ainda teve a honra de se despedir com o Barcelona na liderança de La Liga. O time chega aos 34 pontos, dois a mais que o Real Madrid, e espera os rivais entrarem em campo na próxima segunda-feira. O Almería, convidado de uma noite marcante, é o 15° com 13 pontos. Uma página importante na história do Barça se fecha nesse sábado. Há desgastes que tornaram esse rompimento arrastado, mas a noite final guardou a gratidão a quem é um dos maiores nomes do clube em todos os tempos.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo