La Liga

Em mais um chapéu no Chelsea, o Barcelona anuncia Koundé e adiciona um dos melhores zagueiros de La Liga

Koundé parecia próximo de acertar com o Chelsea, mas o Barcelona entrou na jogada e o beque preferiu permanecer na Espanha

O Barcelona ainda não inscreveu todos os reforços desta janela de transferências, mas continua contratando desenfreadamente. Nesta quinta-feira, os blaugranas confirmaram um já aguardado acerto com Jules Koundé. O zagueiro estava entre os jogadores mais cobiçados do mercado e parecia alinhado com o Chelsea, até que os catalães entraram na disputa e levaram a melhor. Adicionam um dos melhores beques de La Liga nos últimos anos, que já pinta como o melhor da posição à disposição no elenco dirigido por Xavi. O Barça desembolsa €50 milhões pelo negócio, com mais €10 milhões possíveis em bônus, em contrato de cinco anos.

Por enquanto, o Barcelona anunciou um “princípio de acordo”. Ainda faltam a assinatura e os exames médicos. Nada que pareça melar o negócio a essa altura, com Koundé já vestindo a camisa polo do clube. O francês de 23 anos queria jogar no Camp Nou e isso pesou bastante na negociação, mesmo com o Chelsea próximo de um acerto com o Sevilla, depois de várias tratativas desde a última temporada. Os Blues pagariam mais que o Barça, cerca de €55 milhões, mas o fato de não enviarem a documentação para acelerar o processo burocrático causou estranhamento na Andaluzia.

O Barcelona entrou na jogada quando viabilizou mais recursos após a venda de seus direitos de TV e atendeu as demandas dos sevillistas. Apesar de frequentes aproximações dos clubes da Premier League, incluindo ainda o Newcastle, Koundé permanecerá em La Liga. Segundo informações do jornal El País, seu salário triplicará com o novo contrato. O francês passará a ganhar €6 milhões anuais na Catalunha. Só não contará com muita compreensão da antiga torcida, insatisfeita pelo fato de que ele reforçará um concorrente.

Nascido em Paris, Koundé atuou em equipes locais até despontar no Bordeaux. O zagueiro disputou duas temporadas pelo clube, deslanchando em 2018/19. Foi quando o Sevilla pagou €25 milhões em sua contratação, naquela que se igualava como compra mais cara da história do clube. Em três anos no Nervión, o francês justificou todas as expectativas e se firmou como um craque para os rojiblancos. Liderou a equipe campeã da Liga Europa em 2019/20 e teve desempenhos excepcionais, sem precisar de muito tempo para a adaptação.

Koundé disputou 133 partidas pelo Sevilla, que o botam num lugar privilegiado da história do clube – com uma dupla memorável ao lado de Diego Carlos. Não à toa, quebra outro recorde em sua saída, como a maior venda já feita pela agremiação. Resta saber como os andaluzes irão remontar a zaga, depois de venderem também Diego Carlos ao Aston Villa por €30 milhões. O único reforço do clube até o momento é o brasileiro Marcão, ex-Galatasaray.

O alto nível apresentado por Koundé também abriu seus caminhos na seleção da França. O zagueiro era nome frequente na equipe sub-21, até fazer sua estreia com Didier Deschamps em junho de 2021, às vésperas da Eurocopa. Disputou o torneio continental como reserva e foi titular na conquista da Liga das Nações. Também assumiu a posição na reta final das Eliminatórias. Por bola, não há muitas dúvidas que tem condições de se estabelecer no 11 inicial dos Bleus para a Copa do Mundo.

Poucos zagueiros no futebol atual possuem a qualidade de Koundé. O francês é muito rápido e possui ótima impulsão, o que compensa o fato de não ser tão alto. Além disso, se sobressai pela precisão nos combates e pelo refinamento técnico na construção. Sabe sair jogando pelo chão e armar lances ofensivos com seus lançamentos. Ainda possui como trunfo o fato de jogar de lateral, o que pode ser útil no Barcelona, considerando a carência pelo lado direito.

Koundé, de qualquer maneira, tem bola suficiente para ser o titular absoluto da equipe na zaga. Falta até espaço no miolo da defesa, diante de tantas opções. Andreas Christensen também chegou ao setor, enquanto Ronald Araújo e Eric García são jovens de enorme potencial. Ainda permanecem à disposição os decadentes Gerard Piqué e Samuel Umtiti. Não surpreenderá se Xavi aproveitar alguns deles nas laterais, com apenas Jordi Alba, Sergiño Dest e Sergi Roberto presentes. Se o clube ainda buscar novos jogadores nesta janela, a prioridade será no setor.

Por enquanto, o Barcelona já garantiu cinco reforços para a temporada. Jules Koundé, Raphinha e Robert Lewandowski custaram um total de €153 milhões. Franck Kessié e Andreas Christensen chegaram ao final de seus contratos. Já a única venda até o momento foi a de Philippe Coutinho, por €20 milhões. Clément Lenglet e Francisco Trincão foram apenas emprestados, enquanto Dani Alves saiu de graça. Já Adama Traoré e Luuk de Jong não tiveram seus empréstimos renovados. É provável que outras vendas aconteçam, diante das necessidades dos barcelonistas em se livrarem de algumas peças e liberarem orçamento.

E o que chama atenção ainda é a queda de braço constante do Barcelona com o Chelsea. Koundé foi outro “chapéu” dos catalães sobre os londrinos, depois da chegada de Raphinha. Christensen não renovou com os Blues para se juntar ao Barça. E os blaugranas ainda manifestam interesse por Marcos Alonso e César Azpilicueta, dois possíveis reforços para as suas carentes laterais. Para quem se via em crise, não deixa de ser surpreendente a forma como o Barcelona superou diversas vezes um concorrente que acabou de ganhar novos donos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo