La Liga

Lemar brilha e Matheus Cunha marca em um chutaço na vitória do Atlético de Madrid sobre o Cádiz

Cunha entrou no lugar de Suárez e marcou na vitória por 4 a 1 do Atlético de Madrid sobre o Cádiz

Quando Thomas Lemar foi contratado pelo Atlético de Madrid, a expectativa era que ele pudesse fazer a diferença por o time. Demorou para que isso acontecesse. Aqueles € 72 milhões pagos em 2018 pareceram um jogador que não tinha vingado. Houve especulações que ele fosse deixar o clube. Mas ele permaneceu. Tem jogado bem nesta temporada e conseguido ser aquilo que se esperava dele: decisivo. Foi assim na vitória sobre o Cádiz, neste domingo, por 4 a 1.

Não que o jogo tenha sido fácil. Não se engane pelo placar: o Atlético de Madrid teve problemas na partida e o primeiro tempo foi bastante sonolento. Acontece que no segundo tempo, as coisas mudaram muito e saíram muitos gols, até com frango de Jan Oblak, algo raro. Desde o primeiro tempo, quem mais tomava a iniciativa era o Atlético e contou com boas participações de Lemar, que atuou aberto pelo lado direito no 4-4-2 de Diego Simeone.

As coisas começaram a mudar aos 10 minutos, quando Yannick Carrasco acertou um cruzamento para Lemar, de cabeça – algo raro, considerando que ele é um jogador de 1,70 metro de altura. Com isso, o Atlético de Madrid conseguiu abrir o placar. Aos 25 minutos, Antoine Griezmann recebeu de Marcos Llorente e chutou bem, no canto, para marcar 2 a 0. Tudo indicava tranquilidade. Ainda mais quando Matheus Cunha colocou a bola para Ángel Correa, que marcou mais um: 3 a 0. O brasileiro entrou no lugar de Luis Suárez, pouco antes.

O goleiro Oblak falhou aos 41 minutos e Anthony Lozano aproveitou para marcar pelo Cádiz e reduzir o placar para 3 a 1. Só que rapidamente o Atlético reagiu e fechou a conta. Desta vez, Griezmann acionou Matheus Cunha que, dentro da área, soltou uma bomba e estufou a rede: golaço e 4 a 1 no placar. A vitória, aí sim, estava consolidada.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo