La Liga

Com gols de Benzema e Vini, o Real Madrid fez 4×1 no Valencia, mas teve suas complicações

Valencia incomodou em certos momentos do jogo e deu trabalho a Courtois, mas um gol no final alargou a goleada

O placar de 4 a 1 pode supor uma vitória tranquila do Real Madrid no Estádio Santiago Bernabéu que não aconteceu. Os merengues foram de fato superiores e contaram com seus principais protagonistas na temporada, Benzema e Vinícius Júnior, que garantiram dois gols cada. Porém, o Valencia causaria problemas aos merengues. Equilibraram parte do primeiro tempo e reclamaram muito do pênalti que valeu o primeiro gol. Já na segunda etapa, depois do melhor momento do Real no jogo, os Ches ainda botaram pressão para descontar e viram Courtois fazer defesas importantes. Foi apenas no final que os madridistas alargaram a conta e somaram mais três pontos na liderança de La Liga.

O Valencia ganhou um par de escanteios nos primeiros minutos, mas a primeira chance verdadeira foi do Real Madrid. Toni Kroos cobrou falta na área e Éder Militão cabeceou para grande defesa de Jasper Cillessen. Ainda assim, o jogo tinha suas alternâncias e logo Thibaut Courtois faria sua primeira intervenção num chute de longe de Gonçalo Guedes. Aos poucos, os merengues passaram a controlar mais o jogo no campo de ataque, mas os valencianos se defendiam com competência. Somente depois dos 30 é que a pressão realmente aumentou.

O Real Madrid teve outra boa chance com Asensio, para nova defesa de Cillessen. Casemiro pouco depois mandou cabeçada para fora. Karim Benzema também arrematou para fora, até Luka Modric mandar uma pancada no travessão. O gol até parecia próximo de sair, mas só veio num pênalti bastante discutido. O lance da marcação da falta gerou reclamações compreensíveis do Valencia, já que Casemiro é quem parece buscar o contato com Omar Alderete. Ainda assim a penalidade foi confirmada e Benzema mandou no alto para dar a vantagem aos 43 minutos.

O Real Madrid voltou com mais força para o segundo tempo e contou com a estrela de Vinícius Júnior. O brasileiro ampliou a vantagem aos sete minutos. O atacante deu sorte na tabela com Benzema. A zaga não conseguiu fazer o corte e o jovem ficou de frente para o gol, só deslocando Cillessen. E o segundo de Vini, o terceiro do Real, aconteceu aos 15. Asensio recebeu na direita e chutou, para defesa parcial de Cillessen. A bola ficou na pequena área, onde Vinícius surgiu com a meta escancarada para só concluir.

O Valencia não se deu por vencido neste momento. Courtois faria uma ótima defesa em pancada de Daniel Wass, que pouco depois testaria de novo para fora. O jogo ficava aberto e, se de um lado José Gayà evitou que Asensio anotasse o quarto, um pênalti daria a chance para os Ches descontarem aos 31. Ferland Mendy derrubou Marcos André e Gonçalo Guedes até viu Courtois defender seu chute, mas ainda conseguiu se redimir no rebote. Os valencianos voltavam à vida e pareciam ter forças para aprontar.

Wass era um dos que mais aparecia pelo Valencia e voltou a arriscar para fora. Depois, seria a vez de Manu Vallejo ser frustrado por outra defesa de Courtois. O abafa se seguiu e o respiro do Real Madrid só aconteceu mesmo com o quarto gol, aos 43, o segundo de Benzema. Acionado na área por Mendy, o centroavante deu um giro de especialista e, quando se virou de frente para o gol, deu o chute certeiro que tocou na trave antes de entrar. A vitória estava consumada.

O Real Madrid fecha o sábado com 49 pontos, oito de vantagem na liderança de La Liga. O Sevilla, porém, tem dois jogos a menos e pode reduzir a diferença neste domingo, diante do Getafe. O Valencia perde a chance de se aproximar da zona às competições europeias. Os Ches sofrem a segunda derrota consecutiva e, com 28 pontos, ocupam a nona posição.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo