La Liga

Girona e Athletic fizeram um baita jogo, mas o 1 a 1 só deixou uma equipe 100% feliz… o Real Madrid

Com assistência de Savinho, Girona abre o placar no início do segundo tempo, mas cede empate em belo gol de Iñaki Williams

Com a vitória do Real Madrid sobre o Cádiz, o Girona tinha uma missão nesta segunda-feira (27): vencer o Athletic Bilbao em casa e reassumir a liderança de La Liga. Não conseguiu. No Estádio Montilivi, na Catalunha, as equipes mostraram na prática porque são duas das principais surpresas do campeonato e fizeram jogo muito movimentado, com chances para ambos os lados. No fim, o 1 a 1 foi justo.

O empate levou o Girona aos 35 pontos e fez a equipe cair para a segunda colocação de La Liga, agora atrás do Real Madrid, que também tem 35, mas supera o time da Catalunha nos critérios de desempate. Já o Athletic Bilbao se manteve em quinto lugar, com 25.

Lá e cá: primeiro tempo é marcado por equilíbrio e chances para os dois lados

O Athletic Bilbao se aproveitou de um Girona pilhado e que concedia espaços nos primeiros minutos. Aos 5′, Mikel Vesga desmontou a defesa adversária com um passe primoroso para Gorka Guruzeta, que cara a cara com Gazzaniga, chutou fraco e facilitou a vida do goleiro argentino. Um belo cartão de visitas da equipe do técnico Ernesto Valverde.

Aos poucos, o Girona foi se acertando em campo e ganhando confiança. Incentivado por sua apaixonada torcida, o time da casa respondeu aos 16′. Savinho foi lançado no lado direito e serviu Miguel Gutiérrez já na área do Bilbao. O camisa 3 levantou a cabeça e cruzou na direção de Stuani, que testou por cima da meta de Unai Simón.

No lance seguinte, Stuani quase marcou. Em cruzamento preciso, Yangel Herrera achou o atacante uruguaio que, bem posicionado, subiu mais alto que os defensores e desviou no cantinho. Unai Simón teve de se esticar todo para espalmar. O jogo era lá e cá e, apesar do crescimento dos mandantes na partida, o Bilbao não abria mão de atacar. Após cruzamento de Nico Williams e bate e rebate na área do Girona, a pelota se ofereceu a De Marcos que, no susto, arrematou para fora e perdeu grande oportunidade.

O ritmo frenético permaneceu e ninguém baixava a guarda. No entanto, graças a Gazzaniga e Unai Simón, o placar se manteve intacto no primeiro tempo. Os times foram para o intervalo cientes de que seria preciso caprichar nas finalizações na etapa complementar.

Savinho dá assistência e Girona abre o placar, mas Iñaki Williams aparece e frustra planos dos donos da casa

Diferente da etapa inicial, o segundo tempo teve começo lento e moroso. Mas esse ritmo, que não combinava em nada com as estratégias de ambas as equipes, felizmente não durou muito tempo. Com 10′ no relógio, Savinho acionou a quinta marcha no lado esquerdo e cruzou. Em um primeiro momento, Stuani não conseguiu o desvio, mas a bola ficou à caráter para Viktor Tsyhankov, que fuzilou o gol de Unai Simón e abriu o placar.

O Bilbao mostrou resiliência, não se abateu com o gol dos donos da casa e chegou ao empate aos 22′. Em contra-ataque mortal, Iñaki Williams recebeu de Oihan Sancet, cortou dois marcadores em uma passada só e com arremate consciente tirou de Gazzaniga, que até saltou, mas nada pôde fazer: 1 a 1.

O tento fez bem a Iñaki Williams, que se encheu de confiança e por pouco não virou o jogo. Aos 35′, o camisa 9 caiu pelo lado esquerdo do ataque, ajeitou para o meio e arriscou finalização com veneno de fora da área. Gazzaniga voou, efetuou a defesa e impediu o pior para o Girona.

A equipe da Catalunha bem que tentou desempatar o duelo. No abafa, os comandados de Miguel ‘Míchel' Muñoz abusaram das bolas alçadas na área e dos arremates de longa distância, mas sem sucesso.

Estatísticas de Girona 1 x 1 Athletic Bilbao – La Liga 2023/2024

  • Posse de bola: 61% x 39%
  • Faltas: 8 x 16
  • Chutes: 12 x 13
  • Chutes no gol: 2 x 6
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo