La Liga

Eibar sufoca Real Madrid e dá um sacode por 3 a 0 com grande atuação de Cucurella

Santiago Solari foi efetivado como técnico do Real Madrid, depois de quatro jogos como interino. No seu primeiro jogo como técnico efetivo, o argentino viveu um pesadelo. O Eibar venceu por 3 a 0, com direito a grande atuação de Marc Cucurella e Sergi Enrich sendo decisivo. Jogou mais bola que o atual campeão europeu, que teve figuras como Luka Modric e Toni Kroos péssimos em campo.

LEIA TAMBÉM: Football Leaks: Sergio Ramos violou regras anti-doping na final da Champions, e a Uefa acobertou

Até então, o Real Madrid tinha feito 15 gols em quatro jogos e sofrido apenas dois. Em um jogo, sofreu três, em uma partida que foi completamente superado pelo Eibar. O time do País Basco fez uma grande partida, foi impecável na execução do seu jogo, pressionando alto a defesa do Real Madrid e explorando muito bem os espaços enormes na defesa dos merengues. Havia enormes latifúndios improdutivos na defesa madridista quando o Eibar atacava. E isso cobrou o preço.

No início do jogo, o primeiro susto, que alguém pode dizer que era premonitório. Kike García fez um movimento espetacular e surpreendeu o goleiro Thibaut Courtois, mas a bola explodiu na trave. Azar? Talvez. Mas mostrava um pouco do que era o Eibar no jogo: pressão alta e ataque perigoso. Alguém poderá dizer que aconteceu algo parecido do outro lado: Gareth Bale foi lançado e acertou um chute espetacular no ângulo, balançando as redes. Estava impedido, o gol não valeu porque o bandeira já tinha sinalizado. De qualquer forma, um susto do outro lado.

Qual seria a impressão verdadeira? Logo se viu que era a primeira. Aos 16 minutos de jogo, um contra-ataque muito bem armado. Cucurella pegou a bola na intermediária defensiva, avançou, tocou para Fabián Orellana na esquerda, que devolveu para Cucurella, já dentro da área. O meia canhoto cruzou para a área, Kike García finalizou, Courtois defendeu e a bola sobrou para Gonzalo Escalante, que chegou tocando para o fundo da rede.

O gol não foi por acaso. O time da casa colocava pressão na defesa do Real Madrid, tentando provocar o erro e explorar os espaços mal defendidos pelo time de Solari. Um dos motivos desses buracos atende pelo nome de Casemiro, que ficou fora do jogo por lesão. No seu lugar, o técnico escalou Dani Ceballos, um meia ofensivo, adaptado para fazer a função. Fracassou terrivelmente.

Ceballos não parecia o jogador ideal para fazer a função de volante mais defensivo, mas os seus companheiros no setor não ajudaram em nada nesse aspecto. Luka Modric e Toni Kroos, que deveriam tornar esse o principal setor do time, tiveram uma partida muito ruim. Defensivamente mal, sem marcarem ninguém, ofensivamente nulos, criando pouco e errando muito. Não que o ataque tenha sido muito melhor: Marco Asensio, Karim Benzema e Gareth Bale fizeram uma partida terrível. Benzema foi o que mais tentou, mas todos foram abaixo da média.

Com tudo isso, sair perdendo de 1 a 0 no primeiro tempo não foi nem tão ruim. Haveria uma nova chance de melhorar na etapa final. Só que o problema é que veio o segundo gol, logo a sete minutos do segundo tempo. E foi um conjunto de erros. Toni Kroos fez uma virada de jogo ruim para o lateral direito Álvaro Odriozola, que dominou mal e viu Cucurella tomar a bola e tocar para Sergi Enrich finalizar cruzado, longe do alcance de Courtois, e tocando ainda na trave antes de entrar: 2 a 0.

Odriozola saiu de campo, não pelo erro, mas por lesão. Entrou Dani Carvajal. Mas quem precisava sair mesmo era um dos integrantes do meio-campo, que não faziam bem a sua função. O técnico Santiago Solari demorou a mexer. E logo aos 12 minutos, veio outro golpe fundo. Cucurella cruzou da esquerda, Enrich tentou tocar na bola, que sobrou para Kike García empurrar para o gol vazio: 3 a 0.

O mais impressionante era que o Eibar era o time mais forte em campo. Sabia o que estava fazendo, explorava o erro do adversário e tinha os melhores ataques, as melhores ações, o domínio do que queria fazer no jogo. Tanto que criou mais chances e poderia ter saído de campo com um placar ainda mais histórico. Foram 14 chutes a gol, com oito deles acertando o alvo. Courtois fez quatro defesas que evitaram um prejuízo maior.

Já com 3 a 0 no placar, Solari finalmente mudou. Primeiro colocou Isco no lugar de Modric; depois, tirou Asensio para colocar Vinícius Júnior. Foi insuficiente. O time de Madri não conseguia fazer nada para criar. O Eibar seguia mandando no jogo, fazendo uma partida praticamente perfeita.

O Real Madrid foi sufocado pelo Eibar, não conseguiu sair disso e perdeu todas as segundas bolas que disputou. O Eibar viu a estratégia funcionar e não só marcou um gol para depois se defender: jogou a partida inteira com o dedo na ferida merengue. Algo que deixará Solari com muitos problemas para resolver nos próximos dias. O time apresentou defeitos enormes, especialmente na defesa. A ausência de Casemiro não é suprida por Ceballos. Será preciso uma solução diferente.

Enquanto isso, comemoração justa do Eibar, que está a dois pontos do Real Madrid. Isso mesmo: o Eibar é o sétimo colocado, momentaneamente, com 18 pontos. O Real Madrid tem 20 pontos. O líder, Barcelona, tem 24 pontos.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo