La Liga

Chamou? Benzema resolve: Real Madrid goleia o Celta em noite milagrosa do francês

Na estreia de Camavinga, os merengues passaram por cima da equipe de Coudet

Havia muita expectativa sobre o retorno do Real Madrid ao Santiago Bernabéu. Desde o início da pandemia, em 2020, o clube vinha jogando no estádio Alfredo Di Stéfano para priorizar uma reforma em sua casa. Neste domingo, finalmente, foi hora de se reencontrar com o templo madridista após 560 dias, e o resultado não poderia ser melhor: 5 a 2 contra o Celta de Vigo, por La Liga.

O protagonista do espetáculo também não poderia ser outro. Karim Benzema, fonte segura de gols do madridismo, entregou mais uma noite estupenda, com três gols e uma assistência. Apesar dos superlativos envolvidos na narrativa, e pela extasiante sensação de ter a sua torcida de volta nas arquibancadas, o Real não teve exatamente um jogo fácil diante do Celta de Eduardo Coudet.

Celta ligado no 220v

Com três minutos, os galegos golpearam o time da casa, com Santi Mina. A reação foi boa e, aos 24, Benzema fez o seu primeiro da noite para deixar tudo igual, em um sem pulo no meio da área. O que o Celta fez a partir daí? Lutou e correu bem mais do que 80km/h. Depois de boa descida de Hugo Mallo pela direita, foi a vez de Franco Cervi tentar fazer sua arte. De letra, o argentino acertou a trave, mas no rebote não falhou e venceu Thibaut Courtois com agilidade, aos 31.

A conversa foi boa no vestiário. Carlo Ancelotti traçou um novo plano para retomar a vantagem e devolver o aspecto festivo à noite no Bernabéu. Logo na volta do intervalo, Benzema fez mais um, de cabeça, no ângulo, após bom passe de Miguel Gutiérrez. Daí em diante, só deu Real e o Celta acabou punido por conceder espaços demais na marcação.

Os franceses comandaram a festa

Aos nove minutos da etapa complementar, Vinícius Jr; com passe de Benzema, apareceu para colocar os madridistas na frente e foi para a galera sentir novamente o calor humano que tanto fazia falta ao elenco. Depois dessa arrancada, a porteira estava definitivamente aberta para mais. Eduardo Camavinga, promessa francesa contratada junto ao Rennes, entrou na vaga de Eden Hazard e não demorou a deixar o seu. Seis minutos depois, o meia de 18 anos aproveitou um rebote em chute de Luka Modric para consolidar uma boa estreia com a camisa merengue.

Faltava só um. O dele, o capitão que serviu de anfitrião para a solenidade. O relógio marcava 44 minutos e o camisa 9 tinha um pênalti. Não houve qualquer dúvida de que ele marcaria. Bola no canto superior esquerdo, fim de papo para mais uma goleada madridista. Ninguém que estava no Bernabéu foi embora com qualquer motivo para reclamar. O presente do retorno foi grande demais e pulverizou o drama vivido na primeira etapa.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo