La Liga

Benzema renova até os 34 anos e quer se aposentar no Real Madrid. E tem bola para isso

Karim Benzema renovou o seu contrato com o Real Madrid até 2021. O francês, de 29 anos, chegou ao clube em 2009 e se estabeleceu como um dos melhores jogadores da sua posição na Europa. O momento não é dos melhores, mas o francês se mostrou bastante feliz no clube e foi além. Com o contrato renovado até 2021, quando completará 34 anos, Benzema disse que quer se aposentar jogando pelos blancos. E pela cláusula de rescisão, é mesmo impagável: € 1 bilhão.

LEIA TAMBÉM: Quique Setién, a mente privilegiada que se transformou em tormento aos grandes da Espanha

“Esta renovação representa muito para mim. Eu estou muito feliz em continuar minha carreira no melhor clube do mundo”, afirmou o jogador na coletiva de imprensa que anunciou a renovação. “Eu estou muito orgulhoso da minha carreira e eu continuarei trabalhando para continuar a ganhar mais títulos”, declarou.

Eu sei que neste momento estou entre os grandes jogadores do Real Madrid, mas eu tenho que continuar. Não há lugar melhor para mim”, disse. “Eu quero me aposentar aqui porque só há um clube como este aqui. Este clube é o meu último, eu acho”, declarou.

Quando chegou ao clube, em 2009, Benzema vestiu a camisa 11. A camisa 9 foi dada a Cristiano Ronaldo, que prefere a 7, mas na época ela pertencia à lenda Raúl. Com a saída do espanhol ao final da temporada 2009/10, Cristiano Ronaldo assumiu a camisa 7 e Benzema passou a vestir a 9. Curiosamente, é mesmo Cristiano Ronaldo o seu melhor substituto como um centroavante, quando o francês não está em campo. E Ronaldo é, sempre, o artilheiro do time.

O início de temporada do Real Madrid tem sido pior do que se imaginava depois dos ótimos jogos na Supercopa da Espanha e Supercopa da Europa. No Campeonato Espanhol, o time empatou duas vezes em casa e perdeu outra, também em casa, contra o Betis. Curiosamente, dos cinco jogos, o time venceu só nas duas vezes que jogou fora de casa.

“O início não está muito bom, mas não tem problema, acontece em todas as grandes equipes”, afirmou Benzema. “Tenho confiança na minha equipe, estamos bem e trabalhamos juntos. Estamos a sete pontos [do líder, Barcelona], mas o importante é estar juntos. Vamos corrigir isso na próxima partida”, garantiu o atacante.

Nos últimos dias, se falou muito sobre a falta de um reserva para Benzema, já que o reserva é Borja Mayoral, um jovem da base do Real Madrid que já foi emprestado ao Wolfsburg, mas ainda é nova. “Se falta um atacante ou não, quem tem que dizer é o técnico. Mas não estou, pode jogar Cristiano e alguém mais. Se fala disso porque os últimos resultados não foram bons, mas temos uma grande equipe”, continuou.

“Um atacante não é só gol. Tem que participar, abrir espaços, dar assistências. Entendo a crítica, mas eu tenho outra visão de futebol”, analisou. O atacante, que já foi vaiado pelo estádio Santiago Bernabéu algumas vezes, diz que as críticas o fazem alcançar o mais alto nível. “Te permitem alcançar o mais alto nível. As críticas são parte da minha vida, mas eu estou aqui para trabalhar. Quando acontecem as vaias, é porque esperam mais de você e me fixo em que mais posso fazer. No Madrid é sempre assim”, afirma o jogador.

Fora da seleção desde 2015, quando se envolveu em um caso para lá de bizarro com Mathieu Valbuena, o jogador acabou perdendo a Eurocopa no país e ainda não jogou nenhuma partida das Eliminatórias da Copa.

A menos de um ano do Mundial na Rússia, o atacante tem esperanças de voltar a jogar pelos Bleus. “Sempre acredito que vou voltar. Não baixo os braços nunca, mas não é uma obsessão. Eu estou contente no Real Madrid, trabalho dia a dia e não vou falar sempre de seleção”, disse.

A crise de gols do ataque do Real Madrid está forte. Benzema, neste momento, está machucado. Não atuou nos dois últimos jogos da liga, depois de machucar na partida contra o Levante, no dia 9 de setembro. O seu único gol foi contra o Barcelona, no jogo de volta da Supercopa da Espanha, no dia 16 de agosto.

Benzema é um jogador inteligente, que sabe fazer gols e principalmente sabe trabalhar com jogadores de outras características. Convive muito bem com Cristiano Ronaldo, que mesmo sem ser um centroavante, é sempre o artilheiro do time. Se movimenta, abre espaços, sabe tabelas e fazer assistências. A bola que ele tem é para estar no melhor nível por muitos anos. Quem sabe continuando a fazer o time tão letal no ataque, na maior parte do tempo.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo