La Liga

Barcelona complica jogo contra o Levante e vence graças a gol nos acréscimos

Depois de conceder três pênaltis, Barça passou sufoco nas mãos dos granotes

Quem ganhou e se esbaldou em cima do Barcelona, não ganha mais. A fase tenebrosa no início da temporada, que culminou com uma eliminação na fase de grupos da Liga dos Campeões e uma posição vexatória em La Liga já passou. Fora de casa, contra o Levante, o Barça até chegou a relaxar em campo, mas venceu por 3 a 2 na força do seu elenco, com gol nos acréscimos.

Não foi a partida dos sonhos para Xavi, mas o time entregou uma boa atuação na segunda etapa. A partida, que vinha morna nos primeiros 45 minutos, esquentou na meia hora final e teve muitos gols e lances de perigo. O primeiro gol veio justamente do Levante, em um pênalti cometido por Dani Alves em Son. José Luis Morales, o veterano capitão dos granotes, converteu sem dificuldade a cobrança para abrir o placar. Mas esse era só o primeiro dos momentos imprudentes da defesa blaugrana em campo. Quatro minutos depois, outro penal, uma bola na mão de Eric Garcia. Poderia ter sido o 2 a 0, mas Roger Martí telegrafou para a defesa de Marc Andre ter Stegen. Sem drama, sem drama.

A reação do Barça não demorou a vir, e mesmo sem estar completamente focado ou interessado na vitória, o time catalão conseguiu a virada em quatro minutos. No gol de Pierre-Emerick Aubameyang, vale destacar a bela jogada entre Pedri e Ousmane Dembelé, que recebeu um passe e cruzou na medida para o cabeceio do gabonês. Depois, em outro golaço, Gavi driblou dois marcadores e só rolou para Pedri bater com estilo no canto da meta de Dani Cárdenas. Finalmente o Barça parecia uma equipe adulta em campo.

Parecia que o jogo estava resolvido, mas os donos da casa foram como um enxame para cima do Barcelona, que bateu cabeça para conter o ímpeto do Levante e entregou outro pênalti para ceder o empate. Restando 10 minutos para o apito final, foi a vez de Clément Lenglet cometer uma bobagem, empurrando Dani Gómez dentro da área. Gonzalo Melero mostrou competência e deixou tudo igual. Dali em diante, até o minuto 90, só deu Levante, que jogou com muita rapidez para recuperar a bola e sair em contragolpe. Mas faltou qualidade na hora de encerrar a jogada.

Quem não faz, toma, já antevia o ditado popular. Se não tivesse tantas limitações de elenco, o Levante provavelmente teria vencido o Barça mais cedo e não estaria na penúltima colocação da tabela. Mas a vida é como é e, no fim das contas, leva quem tem mais competência na hora de finalizar. Eram jogados redondos 47 minutos do segundo tempo quando, sob pressão, os catalães arrumaram uma saída veloz pela esquerda, com Jordi Alba. O lateral cruzou na cabeça de Luuk de Jong, no bico da pequena área, e o holandês não deu mole: testou e passou a régua no confronto.

O Barça volta para o segundo posto do campeonato, o que por si só já é um prêmio pela grandíssima remontada que foi feita a partir da chegada de Xavi. Porém, a distância para o Real Madrid é de 12 pontos e muito difícil de se reverter. Ao Levante, a lição dura que fica da derrota deste domingo talvez sirva para ajeitar a casa e lutar por mais vitórias. São sete pontos de desvantagem para o Mallorca, primeiro time fora da zona de rebaixamento. A vontade de vencer está lá, isso é fato. Só resta aos granotes entender onde é a intersecção entre ela e a capacidade de marcar e vencer partidas.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo