La Liga

Atlético do Madrid tirou uma virada do coração nos 15 minutos finais para ficar a uma vitória do título

Com a vitória do Real Madrid sobre o Athletic, os colchoneros precisavam vencer o Osasuna - e não foi nada fácil

Durante grande parte da 37ª rodada, a briga pelo título espanhol estava intacta. Todos os jogos começaram ao mesmo tempo e os três candidatos empatavam. O impasse foi quebrado aos 23 minutos da etapa final, quando Nacho Fernández fez 1 a 0 para o Real Madrid. O Atleti, que já estava ficando para trás, encontrou-se em situação ainda pior quando Ante Budimir abriu o placar para o Osasuna, a 15 minutos do fim. Mas de algum lugar, o time de Diego Simeone conseguiu encontrar as forças e os gols para virar a partida, vencer por 2 a 1 e ficar a apenas uma vitória de conquistar La Liga.

Enquanto isso, Santi Mina marcou para o Celta de Vigo, aos 44 minutos do segundo tempo, o Barcelona perdeu por 2 a 1, e não pode mais ser campeão espanhol. Com a vitória do Atlético, estaria fora da disputa mesmo se vencesse, mas o quarto jogo sem vitória nas últimas cinco rodadas de um campeonato em que chegou a ter oportunidades de assumir a liderança é sintomático: os catalães não tiveram capacidade de brigar pelo troféu até a última rodada.

E restaram apenas dois na briga mais acirrada pelas medalha de La Liga nos últimos anos. O Atlético de Madrid tem o privilégio de depender apenas das suas forças. Uma vitória contra o Valladolid, vice-lanterna, no próximo fim de semana, e será campeão espanhol pela 11ª vez, a segunda com Simeone. O Real Madrid, em meio a rumores de que Zidane está novamente de saída, precisa ganhar do Villarreal e torcer para um tropeço do adversário – mesmo um empate, porque leva vantagem no confronto direto.

Não dá para reclamar da postura do Atlético de Madrid contra o Osasuna, dominante o tempo inteiro. Teve 72% de posse de bola, finalizou 26 vezes, nove no alvo e, até conseguir o empate, aos 37 minutos, a bola simplesmente não estava entrando. Suárez teve a primeira grande chance, aos 22 minutos, após jogada de Ángel Correa pela direita. Recebeu um pouco para trás, dominou, ajeitou o corpo, olhou o canto e mandou no pé da trave. O goleiro Sergio Herrera executou uma das suas sete defesas para frustrar Correa pouco depois.

A pressão seguiu no segundo tempo, mas o nervosismo estava visível entre colchoneros. O Atlético teve dois gols anulados nos primeiros 21 minutos, o que também não ajudou muito, com Savic e Carrasco em impedimento nas costas da defesa. De repente, o Osasuna aplicou o golpe que poderia ser fatal. Rubén García cruzou, Ante Budimir cabeceou forte, e Oblak fez uma defesa absolutamente milagrosa. Até boa demais para ser verdade: na revisão, a arbitragem constatou que a bola havia ultrapassado (bastante) a linha.

A situação era a seguinte: a menos que Athletic Bilbao fizesse alguma coisa no San Mamés, o Atlético de Madrid precisava virar o jogo em 15 minutos para não chegar à rodada final em segundo lugar. E para isso, bastou um pouco de calma. João Félix deu um lindo passe para encontrar Renan Lodi projetando-se pela esquerda. O lateral brasileiro dominou, teve calma para olhar aonde queria bater e finalizou alto para empatar.

Sete minutos depois, quem teve frieza foi Ferreira Carrasco. Recebeu pela direita, esperou o momento certo e cruzou rasteiro para Suárez, artilheiro do Atlético no campeonato, bater de chapa no canto para virar.

.

 

Enquanto isso, o Real Madrid não fez o jogo mais emocionante de todos os tempos contra o Athletic Bilbao. Ninguém acertou um chute no alvo no primeiro tempo, com uma cobrança de falta de Alex Berenguer vencendo o prêmio de momento mais perigoso da etapa. Courtois fez sua única defesa no jogo bloqueando a batida forte de Jon Morcillo, ao fim de um contra-ataque, pouco depois do intervalo.

Aos 16 minutos, Casemiro acertou o travessão, de cabeça, em cobrança de escanteio. O gol também surgiu de um canto, mas batido curto. O cruzamento eventualmente chegou a Rodrygo, que abriu para Casemiro cruzar rasteiro. Na segunda trave, Nacho estava completamente livre e apenas colocou o corpo na trajetória da bola.

.

 

No Camp Nou, Messi completou de cabeça o cruzamento de Busquets para abrir o placar, aos 28 minutos, mas Santi Mina empatou, ainda no primeiro tempo, com um chute de fora da área. Lenglet foi expulso a cerca de dez minutos do fim, e o Celta de Vigo virou para 2 a 1, com outro gol de Mina, pegando o rebote de um cruzamento fortuito que acertou a trave de Ter Stegen.

.

Standings provided by SofaScore LiveScore

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo