La Liga

A garotada do Valencia abriu La Liga com uma baita surpresa na visita ao Sevilla

O Valencia começa a temporada sob muitas desconfianças, mas mostrou brio e contou com a energia de seus garotos para derrotar o Sevilla dentro do Sánchez-Pizjuán

O Valencia começa a temporada de La Liga assombrado pelos riscos de rebaixamento. Os Ches escaparam do descenso por pouco na última campanha e o elenco ficou ainda mais enfraquecido, com parcas movimentações no mercado. A aposta se concentra basicamente nos garotos da base, além de bravos remanescentes em árduos tempos. Mas, apesar de todas as desconfianças, a estreia dos valencianos no campeonato foi excelente. A equipe visitava o Sevilla, inflado pelo título recente da Liga Europa, dentro do Ramón Sánchez-Pizjuán. O Valencia conseguiu construir a vitória por 2 a 1. Resultado excepcional garantido por um desses pratas da casa, Javi Guerra, com uma bela definição aos 42 do segundo tempo.

O Sevilla entrou em campo com um elenco claramente mais forte. Bono, apesar do interesse do Real Madrid, foi o titular. Jesús Navas e Ivan Rakitic permanecem como referências dos rojiblancos. Já o ataque tinha talento suficiente com Lucas Ocampos e Erik Lamela nas pontas. No Valencia, os únicos mais acima da média são o goleiro Giorgi Mamardashvili e o capitão José Luis Gayà, que seguem firmes apesar das especulações sobre o futuro. Rara contratação da temporada, Pepelu foi um dos volantes ao lado de Mouctar Diakhaby, adiantado.

Como foi o jogo

O Valencia entrou em campo com boa pegada, algo que marca o trabalho de Ruben Baraja à frente do clube em que é ídolo. Inclusive os Ches assustaram o Sevilla nos primeiros minutos no Nervión, até que a partida ficasse um pouco mais equilibrada. As duas equipes imprimiam forte ritmo no meio-campo, mas com poucas finalizações e sem precisão quando elas pintavam. Ainda assim, alguns tiros sevillistas passaram perto. E quem merecia elogios era Diego López, um dos novatos do Valencia que tinha seus lampejos aberto na meia esquerda. Tentou fazer até de letra, mandando ao lado da trave.

O Valencia ganhava confiança, mais competitivo no aspecto físico. E mesmo que o Sevilla tivesse mais a bola no início do segundo tempo, o gol dos valencianos pintou aos 15 minutos. A utilização de Diakhaby como volante deu resultado. Num bom lance do garoto Fran Pérez pela direita, André Almeida deu o passe para trás e Diakhaby chutou de primeira. Não foi uma batida forte, mas saiu do alcance de Bono. A má notícia para os Ches ficou para Diego López, um dos melhores em campo, que sentiu. Mas se os canteranos saíam, outros pratas da casa também entravam, com Javi Guerra e Pablo Gozálbez.

O Sevilla promoveu a estreia de Djibril Sow aos 24 minutos. De forma quase que instantânea, o gol de empate pintou na sequência. Num cruzamento da direita feito por Suso, Youssef En-Nesyri saltou sozinho e mandou de cabeça para as redes. O time de José Luis Mendilibar não estava bem, mas tinha a chance de reação. Isso até Loïc Badé cometer um erro crasso aos 36. O zagueiro errou um recuo para Bono e Hugo Duro sairia sozinho com o goleiro. O beque preferiu segurar o adversário e ganhou o vermelho direto. En-Nesyri saiu para Federico Gattoni recompor a zaga.

O Valencia poderia aproveitar sua vantagem numérica. E a atuação aguerrida dos Ches no Nervión teve seu prêmio aos 42 minutos. Num avanço pela esquerda, Gozálbez brigou pela bola e Hugo Duro ficou com a sobra para rolar ao meio da área. Javi Guerra se infiltrou sozinho e bateu de primeira, na gaveta de Bono. O garoto tem estrela, depois de ter feito na temporada passada um golaço contra o Valladolid para garantir a vitória no final. Os longos acréscimos ainda deram mais uma chance ao Sevilla. Foi quando Mamardashvili provou que o Valencia tem um grande goleiro, com muita segurança para garantir o resultado.

A outra partida do primeiro dia

O começo de temporada do Sevilla não inspira, até pelas dificuldades que o time já sabe que vai encarar na próxima quarta-feira. Os rojiblancos disputarão a Supercopa Europeia contra o Manchester City. No final de semana seguinte, visitarão o Alavés em La Liga. Já o Valencia fará seu primeiro jogo no Mestalla contra o Las Palmas, um teórico oponente contra o rebaixamento. Será mais um compromisso para aumentar a confiança.

A abertura da rodada de La Liga contou ainda com outra partida nesta sexta-feira, também na Andaluzia. O Rayo Vallecano derrotou o Almería por 2 a 0. Os dois gols pintaram no primeiro tempo, em cobranças de pênalti. O craque Isi Palazón inaugurou a contagem e depois Randy Nteka fechou a conta para os franjirrojos. Outro destaque da noite foi o goleiro Stole Dimitrievski, que segurou a pressão dos adversários pela reação. O brasileiro Lázaro foi titular na ponta direita da equipe andaluz.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo