O Athletic Bilbao vira o novo ano também com uma mudança significativa em seu comando: os bascos resolveram trocar seu técnico, diante dos resultados insatisfatórios. Gaizka Garitano até levou os Leones à final da Copa do Rei, mas nunca conseguiu uma grande sequência em La Liga e a atual campanha deixa o time distante da zona de classificação às copas europeias. Antes que fosse tarde demais, então, o Athletic optou pela troca. E acionaram aquele que talvez fosse o melhor treinador disponível no mercado espanhol. Depois da inexplicável demissão do Valencia, Marcelino García Toral assume a equipe.

Garitano passou pouco mais de dois anos à frente do Athletic Bilbao. Formado pelo próprio clube em seus tempos de jogador, sua carreira como técnico esteve fortemente ligada ao Eibar. O treinador foi um dos principais responsáveis pela ascensão dos bascos, levando-os da terceira divisão à estreia na elite. Depois, passou sem sucesso por Valladolid e Deportivo de La Coruña, até dirigir o Athletic B.

Garitano passou uma temporada e meia na filial, antes de realizar seu trabalho no time principal. Em seus primeiros meses, assumiu durante a metade final de La Liga, ficando a um triz de levar a vaga à Liga Europa. Depois, na primeira campanha completa, viveu altos e baixos, compensando as impressões negativas com a caminhada histórica à decisão da Copa do Rei. Mas o início na atual edição do Campeonato Espanhol não satisfaz, com vitórias esparsas e pouca competitividade. A derrota recente no clássico contra a Real Sociedad acelerou sua saída, independentemente da vitória sobre o Elche. Foi um clássico simbólico, considerando que os rivais vivem uma temporada muito mais consistente, também à espera da final na Copa do Rei – atualmente marcada para 4 de abril.

Diante da iminente saída de Garitano, o Athletic Bilbao acelerou seus passos. E a contratação de Marcelino parece muito bem-vinda, por todos os méritos do treinador. A lista de bons trabalhos do asturiano é considerável, especialmente na última década. Saiu-se muito bem à frente do Villarreal e, no Valencia, levou o clube de volta às glórias com a conquista da Copa do Rei. O único problema de Marcelino no Mestalla foi mesmo a relação com a presidência, que acelerou sua saída – mesmo contra a vontade de jogadores e torcedores. Desta maneira, o técnico chega com moral, após pouco mais de um ano sem trabalho.

Marcelino recebeu outras propostas nos últimos meses, mas desejava um projeto mais profundo. O Athletic conseguiu atender suas exigências, com uma boa estrutura e uma situação financeira que consegue absorver em certa medida os impactos da crise. O novo técnico levará consigo a comissão de confiança e terá permissão para gerenciar os Leones em diferentes âmbitos, não apenas à beira do campo – já planejando uma readaptação da dieta e dos hábitos do grupo. O asturiano chega respaldado pela junta diretiva do Athletic, que já não bancava Garitano desde novembro.

O Athletic Bilbao possui um elenco de qualidade, dentro de suas limitações políticas, e que pode render mais do que se nota. Os Leones dependiam bastante de um futebol reativo e do talento de determinados jogadores para conseguir seus resultados. A fórmula podia fazer sentido contra as principais potências do país, mas faltavam recursos para evitar tropeços mesmo em jogos mais tranquilos. Além disso, a entrega dentro de campo, que marcou a passagem de Garitano, já não se notava tanto durante os últimos meses – por mais que o elenco apoiasse o antigo técnico. A mudança soa como um passo natural. Marcelino parece ter recursos para ajudar os bascos a evoluírem.

Marcelino chegará ao Athletic Bilbao com uma sequência duríssima. Na quarta, acontece o jogo adiado diante do Barcelona. No próximo final de semana, a equipe visita o Atlético de Madrid no Wanda Metropolitano. Depois, disputa a semifinal da Supercopa contra o Real Madrid, mirando a decisão. No fim de janeiro, ainda terá pela frente Getafe e Barcelona – desta vez pelo segundo turno. Os Leones ocupam a nona colocação em La Liga, a seis pontos da zona de classificação à Liga Europa.