Champions LeagueEspanhaEuropaItália

Kaká e Robinho recordam bons tempos para conter o Barcelona

O Milan pode estar mal das pernas, sem embalo na temporada, sem as grandes estrelas que já teve no passado. Não importa a fase, os rossoneri sempre conseguem complicar a vida do Barcelona na Liga dos Campeões. A nova prova desta máxima foi dada nesta terça-feira, dentro do San Siro. Os blaugranas até dominaram boa parte do jogo, mas estiveram longe da vitória. Graças ao ótimo início dos italianos e a sua entrega, prevaleceu o empate por 1 a 1.

Com Mario Balotelli voltando de lesão, Massimiliano Allegri apostou em Robinho no comando do ataque. E o camisa 7 formou ótima parceria com Kaká, relembrando os tempos de Copa-2010. A criatividade e a combinação dos brasileiros foram vitais para o começo de jogo ativo do Milan. E a recompensa veio aos nove minutos, em bobeira de Mascherano que permitiu a tabela da dupla e o gol de Robinho.

O tento serviu para acordar o Barcelona. Mas parou por aí. A marcação ativa dos rossoneri dava pouquíssimas brechas aos visitantes em Milão. O problema era quando o time da casa subia ao ataque e Kevin Constant, insistentemente, deixava a lateral esquerda aberta. Lionel Messi não demorou a perceber isso e, assim, o Barcelona chegou ao gol de empate, aos 23 minutos.

Mais atento ao erro, Allegri corrigiu o buraco e o Barcelona já não tinha a mesma facilidade. Até o fim do primeiro tempo, as melhores chances acabaram vindo dos pés de Neymar, nos únicos 15 minutos de lucidez do camisa 11 na partida. Preso demais à marcação, o brasileiro só apareceu quando passou a buscar mais os espaços nas costas dos defensores do Milan. Com os italianos mais recuados na volta do intervalo, porém, o prodígio sumiu de vez no jogo.

O segundo tempo foi praticamente um monólogo do Barcelona. O Milan até conseguiu criar duas oportunidades, ambas em avanços rápidos, mas a principal delas foi jogada fora por Robinho. Era essa a estratégia do time de Massimiliano Allegri: se fechar atrás e tentar explorar os contra-ataques. Sem Kaká a partir dos 25 minutos e com Balotelli sem ritmo, as melhores tentativas se limitavam a Sulley Muntari, que pouco fez.

Enquanto isso, o Barça batia na parede. Entraram Cesc Fàbregas e Pedro, que pouco fizeram. Andrés Iniesta era quem mais tentava criar e até conseguiu se infiltrar na retranca do Milan, mas parou em Marco Amelia. E, em um lampejo isolado de Lionel Messi, Adriano recebeu lindo passe para ficar na cara do gol, mas não conseguiu emendar o chute.

O empate não é ruim para o Barcelona, da mesma forma como é útil para o Milan. Os blaugranas lideram o Grupo H com sete pontos, dois a mais que os rossoneri, na segunda colocação. E a atuação equilibrada dos italianos, sobretudo de Kaká, que ainda não tinha estreado nesta LC, serve para dar um alento à torcida. As limitações do time são evidentes, mas dá para avançar na competição sem precisar da sorte, que safou os milanistas em seus dois primeiros jogos na fase de grupos.

Formações iniciais

barcelona milan

Destaque do jogo

A consistência do Milan na marcação. Por mais que Constant tenha tentado atrapalhar, os rossoneri deram pouquíssimos espaços ao Barcelona, que manteve seus habituais 70% de posse de bola no San Siro. Boa parte deste trabalho deve ser creditada ao empenho dos meio-campistas, formando uma linha de cinco jogadores à frente da área. Muntari, Kaká e Montolivo, juntos, somaram 14 desarmes e nove interceptações.

Momento chave

O gol perdido por Robinho no início do segundo tempo. Muntari deu passe açucarado para o brasileiro, livre na grande área. Porém, o atacante se enrolou todo e sequer conseguiu chutar a bola. Se aproveitasse a ótima oportunidade, o Milan retomaria a vantagem no placar. Apesar disso, Robinho foi um dos melhores em campo.

Os gols

9’/1T – GOL DO MILAN! Mascherano bobeia ao dominar bola na intermediária e Robinho arma o contragolpe. O atacante abre o jogo com Kaká na esquerda, que devolve com um passe com o lado de fora do pé. Livre na área, Robinho completa a tabela e manda a bola para as redes.

23’/1T – GOL DO BARCELONA! Avanço em velocidade dos blaugranas. Iniesta vira o jogo e encontra Messi livre no lado direito, com um buraco na defesa deixado por Constant. O camisa 10 até demora a finalizar, mas ainda assim vence Amelia.

Curiosidade

O Milan é a vítima favorita de Messi na Liga dos Campeões. Foram seis gols do camisa 10 contra os rossoneri, igualando as marcas contra Arsenal e Bayer Leverkusen.

Ficha técnica:

MILAN 1×1 BARCELONA

Milan Milan
Marco Amelia, Ignazio Abate, Cristian Zapata, Philippe Mexès e Kevin Constant; Nigel De Jong, Riccardo Montolivo e Sulley Muntari; Kaká (Urby Emanuelson, 26’/2T) e Valter Birsa (Andrea Poli, 35’/2T); Robinho (Mario Balotelli, 19’/2T). Técnico: Massimiliano Allegri.
Barcelona_escudo Barcelona
Victor Valdés, Daniel Alves, Gerard Piqué, Javier Mascherano e Adriano; Sergio Busquets, Xavi e Andrés Iniesta; Alexis Sánchez (Cesc Fàbregas, 29’/2T), Lionel Messi e Neymar (Pedro, 35’/2T). Técnico: Tata Martino.
Local: Estádio San Siro, em Milão
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Gols: Robinho, 9’/1T; Lionel Messi, 23’/1T
Cartões amarelos: Riccardo Montolivo e Sulley Muntari (Milan); Alexis Sánchez e Cesc Fàbregas (Barcelona)
Cartões vermelhos: Nenhum

 

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo