Espanha

Há vida sem os Davids

Nas últimas seis temporadas, apenas um clube “não-grande” (leia-se Barcelona e Real Madrid) conseguiu disputar de fato o título espanhol. Foi o Sevilla de 2006/07, que chegou à última rodada com possibilidades de ser campeão. Por isso, ser comparado ao “Sevilla de uns anos atrás” é um baita elogio, ainda mais para quem havia acabado de perder seus dois principais jogadores. E foi assim que Joaquín Caparrós definiu o Valencia 2010/11.

O treinador do Athletic Bilbao tem sua dose de razão. Óbvio que é muito cedo para ter retratos definitivos sobre os Ches desta temporada. Mas as primeiras partidas dão sinais positivos. A equipe valenciana lidera La Liga após seis rodadas, com cinco vitórias e um empate. Além disso, mostrou que tem força suficiente para passar pela fase de grupos da Liga dos Campeões, considerando que os adversários não são dos mais ameaçadores (Manchester United à parte, claro).

O grande acerto do Valencia foi ter mantido o técnico Unai Emery. Responsável por comandar o Almería a um surpreendente oitavo lugar na temporada 2007/08, o treinador se notabiliza pela criatividade em jogadas ensaiadas, saber trabalhar com orçamento limitado e estudar minuciosamente os oponentes. Ele poderia iniciar a reconstrução valencianista após a saída de David Silva e David Villa, ambos vendidos para que a situação financeira do clube não ficasse mais delicada (na soma, foram arrecadados € 73 milhões).

Na realidade, reconstrução acaba sendo uma palavra meio forte. É evidente que a saída dos Davids teria um impacto fortíssimo no Valencia, mas a base foi mantida e havia caminhos para montar um grupo competitivo.

O principal objetivo era recompor meio-campo e ataque, bastente atingidos pelas saídas dos Davids (sem esquecer que a zaga perdeu Marchena). Para felicidade de Emery, o elenco já contava com algumas boas opções nesses setores. Pablo Hernández já se consolidara como um ótimo meia de armação. Ele ficou à direita, tendo como companheiro de esquerda Mata – que começou como meia aberto, mas vinha jogando de atacante.

A solução equilibrou o meio-campo, mas o recuo de Mata tirou de vez os atacantes da temporada passada. Aí foi questão de ir ao mercado buscar boas ofertas. A mais inteligente foi Soldado, atacante formado no Real Madrid que acabou indo para times pequenos na impossibilidade de disputar posição com Ronaldo. O centroavante de nome militaresco vinha de duas boas temporadas no Getafe (33 gols em 66 jogos) e poderia dar poder de definição com alguma mobilidade ofensiva.

Para completar a dupla de frente, a direção valencianista contratou Aduriz, atacante que até se movimenta um pouco, mas se notabiliza por compensar a limitação técnica com muita entrega na disputa por espaço com os zagueiros. Curiosamente, também fez 33 gols nas duas últimas temporadas (mas fez 69 jogos).

A troca da dupla Villa-Mata por Aduriz-Soldado fez o jogo ofensivo do Valencia ficar mais centrado no meio, mas merece algum respeito. Considerando que o setor defensivo não teve grandes perdas (Ricardo Costa chegou para o lugar de Marchena), os valencianistas têm potencial para brigar no segundo pelotão da Espanha e superar Bursaspor e Rangers na disputa da fase de grupos da Liga dos Campeões.

Por enquanto, tem sido suficiente para liderar a liga. Dificilmente esse cenário se manterá. A tabela tem sido gentil com o Valencia (venceu Málaga, Racing de Santander, Hércules, Sporting de Gijón e Athletic Bilbao, todas equipes acessíveis, e empatou em casa com o único oponente realmente forte, o Atlético de Madrid) e o elenco não é denso o suficiente para suportar as inevitáveis contusões e suspensões de jogadores importantes ao longo da temporada.

De qualquer modo, o Valencia estilo Sevilla, de contratações discretas e pensadas com inteligência, não tem mostrado futebol muito pior que o da temporada passada. E ainda tem uma conta bancária menos alarmante.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo