EspanhaLa Liga

Guia do Espanhol 2012/13 – Luta por competições europeias

ATHLETIC BILBAO

Nome: Athletic Club
Fundação: 1898
Site oficial: www.athletic-club.net
Estádio: San Mamés (39.750 lugares)
Técnico: Marcelo Bielsa
Colocação em 2011/12: 10º
Competição europeia: Liga Europa
Destaque: Iker Muniain
Fique de Olho: Ismael López
Quem chegou: Aritz Aduriz (Valencia), Ustaritz (Betis)
Quem saiu: Pablo Orbaiz (Rubin Kazan-RUS)
Objetivo na temporada: vaga na Liga dos Campeões

É basicamente a mesma equipe da temporada passada, com as virtudes e os problemas que ficaram evidentes. É um time que tem um sistema de jogo agradável, com troca de passes e movimentação intensa de seus jogadores, como gosta o técnico Marcelo Bielsa. No entanto, é um elenco limitado em opções, que pode sentir o desgaste pela falta de rotatividade e depende muito do talento de dois jogadores acima da média (Javi Martinez e Llorente) para se equilibrar atrás e na frente. E justamente esses dois jogadores são muito assediados por equipes mais ricas do continente. Se eles saírem, o Athletic desce alguns degraus e passa a ser um time de meio de tabela.

ATLÉTICO DE MADRID 

Nome: Club Atlético de Madrid
Fundação: 1903
Site oficial: www.clubatleticodemadrid.com
Estádio: Vicente Calderón (54.851 lugares)
Técnico: Diego Simeone
Colocação em 2011/12: 5º
Competição europeia: Liga Europa
Destaque: Radamel Falcao García
Fique de Olho: Óliver Torres
Quem chegou: Cristián Rodríguez (Porto-POR), Cata Díaz (Getafe), Emre Belozoglu (Fenerbahçe-TUR), Diego Costa (Rayo Vallecano), Raúl García (Osasuna)
Quem saiu: Antonio López (Mallorca), Luis Perea (Cruz Azul-MEX), Diego (Wolfsburg-ALE), Paulo Assunção (São Paulo-BRA), Sálvio (Benfica-POR), Fran Mérida (Hércules)
Objetivo na temporada: vaga na Liga dos Campeões

Pelo modo como terminou a temporada passada, reagindo no Campeonato Espanhol (passou perto de conquistar vaga na Liga dos Campeões) e vencendo a Liga Europa, entra em 2012/13 como terceira força espanhola. Mas é preciso ir com calma. O time tem problemas há tempos, e muitos deles não foram resolvidos. Cristián Rodríguez veio para o lugar de Diego (devolvido de empréstimo, o Atlético não teve dinheiro para efetivar a compra do brasileiro), mas os demais reforços são de valor duvidoso. Cata Díaz teve boa passagem pelo Getafe, mas talvez não seja um jogador do tamanho que o Atlético pretende ter. Emre já teve oportunidade em grandes centros europeus e falhou. No geral, continua sendo um time que tem como força uma dupla de zaga segura (Miranda e Godín), um meia ofensivo em crescimento (Adrián) e um grande artilheiro (Falcao García). Óliver Torres pode pintar como surpresa agradável no meio-campo, mas a dependência dos gols do colombiano é gigantesca e pode custar caro se ele entrar em má fase.

GETAFE

Nome: Getafe Club de Fútbol
Fundação: 1983
Site oficial: www.getafecf.com
Estádio: Coliseum Alfonso Pérez (17.700 lugares)
Técnico: Luis García
Colocação em 2011/12: 11º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Miku
Fique de Olho: Pedro León
Quem chegou: Pedro León (Real Madrid), Miguel Ángel Moyá (Valencia), Alexis (Sevilla), Ángel Lafita (Zaragoza), Xavi Torres (Levante)
Quem saiu: Rubén Pérez (Atlético de Madrid), Javier Arizmendi (Mallorca), Óscar Ustari (Boca Juniors-ARG), Javier Casquero (Almería)
Objetivo na temporada: vaga na Liga Europa

Pode soar exagerado colocar o Getafe no segundo grupo de times, mas a equipe da Grande Madri investiu bastante (para seu padrão) e bem. Moyá é um bom goleiro, Alexis e Abraham podem formar uma dupla defensiva interessante e Xavi Torres faz bem o combate no meio-campo. Mas a defesa não importa tanto, se houver um mínimo de organização. O que pode se tornar o diferencial é o trio de armação com Pedro León (que provavelmente terá a continuidade que não teria como ter no Real Madrid), Lafita e Diego Castro, com Miku de referência no ataque. É um quarteto bastante perigoso, capaz de resolver muitas partidas enroscadas contra times pequenos e dar ao Geta pontos importantes para ficar entre os seis primeiros.

MALLORCA

Nome: Real Club Deportivo Mallorca
Fundação: 1916
Site oficial: www.rcdmallorca.es
Estádio: Iberostar (23.142 lugares)
Técnico: Joaquín Caparrós
Colocação em 2011/12: 8º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Dudu Aouate
Fique de Olho: Javi Márquez
Quem chegou: Antonio López (Atlético de Madrid), Javi Márquez (Espanyol), Javier Arizmendi (Getafe)
Quem saiu: Ivan Ramis (Wigan-ING), Jonathan De Guzmán (Swansea-GAL), Chico Flores (Swansea-GAL), Chori Castro (Real Sociedad)
Objetivo na temporada: vaga na Liga Europa

O Mallorca perdeu seu principal jogador (Ramis) e outros nomes importantes, mas isso já é tradicional do clube. O importante é que se reforçou bem (sobretudo por Antonio López e Arizmendi, dois jogadores experientes) e manteve o técnico Joaquín Caparrós, especialista em trabalhar com jovens e orçamentos limitados. É uma equipe bem montada, com uma defesa forte e que pode fazer uma campanha discreta para, no final do campeonato, estar na disputa por uma vaga na Liga Europa. Não é o time mais forte para essa briga, mas merece atenção.

OSASUNA

Nome: Club Atlético Osasuna
Fundação: 1920
Site oficial: www.osasuna.es
Estádio: Reyno de Navarra (19.553 lugares)
Técnico: José Luis Mendilibar
Colocação em 2011/12: 7º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Álvaro Cejudo
Fique de Olho: Oier
Quem chegou: Emiliano Armenteros (Rayo Vallecano), Joseba Llorente (Real Sociedad), Sisi (Valladolid), Oier (Celta)
Quem saiu: Raúl García (Atlético de Madrid), Nekounam (Esteghlal-IRA), Ibrahima (Kuban-RUS), Ricardo (sem clube)
Objetivo na temporada: vaga na Liga Europa

Outro caso de equipe que sabe conquistar os pontos necessários para rondar as competições europeias. Não é um time que deve jogar bonito. O Osasuna tem um futebol lento e pesado, mas muito forte, sobretudo quando joga em casa. As saídas de Raúl García e Nekounam serão sentidas, mas a chegada de Sisi no meio-campo deve dar fôlego novo a uma equipe que sentia o envelhecimento de suas principais figuras. De qualquer modo, as referências continuam sendo Miguel Flaño, Puñal e o meia ofensivo Cejudo. Atenção também para o bom goleiro Andrés Fernández.

SEVILLA

Nome: Sevilla Fútbol Club
Fundação: 1905
Site oficial: www.sevillafc.es
Estádio: Ramón Sánchez Pizjuan (18.500 lugares)
Técnico: Míchel
Colocação em 2011/12: 9º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Jesús Navas
Fique de Olho: Alberto Botía
Quem chegou: Diego López (Villarreal), Hedwiges Maduro (Valencia), Alberto Botía (Sporting de Gijón), Cicinho (Palmeiras-BRA), Geoffrey Kondogbia (Lens-FRA)
Quem saiu: Frédéric Kanouté (Beijing Guoan-CHN), Romaric (Zaragoza), Julien Escudé (Besiktas-TUR)
Objetivo na temporada: vaga na Liga dos Campeões

O Sevilla pagou na temporada passada pela perda gradual de seu foco. O trabalho com jovens deixou de dar os resultados de antes, e as apostas em reforços baratos também não tiveram grande sucesso. Ainda assim, é um time forte, que contratou o técnico Michel para recuperar a linha de raciocínio. Considerando apenas os 11 titulares, é um grupo com força para se classificar para a Liga dos Campeões. Diego López e um ótimo goleiro, e ficou financeiramente acessível após o rebaixamento do Villarreal. Botía, pilar do sistema defensivo do Sporting de Gijón (um dos mais eficientes na temporada 2010/11), pode formar uma boa dupla de zaga com Fazio. A dupla de volantes tem Trochowski e Medel, dois jogadores que ainda não explodiram, mas contam com experiência internacional e potencial de crescimento. Na frente, fim da era Luís Fabiano-Kanouté. Negredo se consolidou como a principal opção ofensiva, e terá em Jesús Navas e Rakitic seus parceiros em tabelas. A interrogação está no banco de reservas, e na capacidade dele de amortecer os problemas de contusão e suspensão que fatalmente ocorrerão entre os titulares.

VALENCIA

Nome: Valencia Club de Fútbol
Fundação: 1919
Site oficial: www.valenciacf.com
Estádio: Mestalla (55.000 lugares)
Técnico: Mauricio Pellegrino
Colocação em 2011/12: 3º
Competição europeia: Liga dos Campeões
Destaque: Roberto Soldado
Fique de Olho: João Pereira
Quem chegou: João Pereira (Sporting-POR), Andrés Guardado (Deportivo de La Coruña), Fernando Gago (Real Madrid)
Quem saiu: Jordi Alba (Barcelona), Hedwiges Maduro (Sevilla), Aritz Aduriz (Athletic Bilbao), Mehmet Topal (Fenerbahçe-TUR), Michel (Levante)
Objetivo na temporada: vaga na Liga dos Campeões

Para um clube que ainda precisa resolver seus problemas financeiros, fazer uma grande venda vem bem a calhar. A saída de Jordi Alba, por quem o Valencia recebeu € 14 milhões, será sentida, mas foi boa. Melhor vender um bom jogador por um valor de médio para alto (em outros tempos, seria um valor de médio para baixo, mas o mercado europeu – e o espanhol em particular – está frio) do que ser obrigado a se desfazer de vários nomes para ter o mesmo resultado econômico. Com isso, o técnico Mauricio Pellegrino assume uma base que Unai Emery já deixou organizada. O ponto forte é a dupla ofensiva Soldado-Jonas, que agora ganhou força pela esquerda com a chegada de Guardado. Mas o sistema defensivo também é sólido. Diego Alves, talvez o melhor goleiro do Brasil na atualidade, terá a proteção de uma zaga com Ricardo Costa e Rami, e uma dupla de volantes interessante (Tino Costa e Gago). É um time para brigar por vaga na próxima Liga dos Campeões, e ainda fazer uma campanha digna na atual.

VEJA O RESTO DO GUIA DO CAMPEONATO ESPANHOL:

– Parte 1: A disputa pelo título
– Parte 3: O pelotão intermediário
– Parte 4: A fuga do rebaixamento

Mostrar mais

Ubiratan Leal

Ubiratan Leal formou-se em jornalismo na PUC-SP. Está na Trivela desde 2005, passando por reportagem e edição em site e revista, pelas colunas de América Latina, Espanha, Brasil e Inglaterra. Atualmente, comenta futebol e beisebol na ESPN e é comandante-em-chefe do site Balipodo.com.br. Cria teorias complexas para tudo (até como ajeitar a feijoada no prato) é mais que lazer, é quase obsessão. Azar dos outros, que precisam aguentar e, agora, dos leitores da Trivela, que terão de lê-las.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo