Espanha

Guia da Liga Espanhola – I

A temporada 2007/8 já começou em França, Inglaterra e Alemanha, mas só agora a Trivela publica a primeira parte do guia do Campeonato Espanhol. Culpa do calendário seguido na Espanha, que esticou o campeonato passado e acabou atrasando o início deste em duas ou três semanas em relação a outros países importantes. Bom para os clubes, que poderão negociar reforços antes de estrear.

Abaixo, você verá como estão metade dos clubes – os dez primeiros pela ordem alfabética – do Espanhol 2007/8. Destaque para Barcelona e seu quarteto ofensivo, o caro time do Atlético de Madrid e as possíveis surpresas Betis e Espanyol. Na semana seguinte, você verá os dez times que faltam.

ALMERÍA

Nome do Clube: Unión Deportiva Almería (Almeria)
Estádio: De los Juegos Meditarráneos (15.050 lugares)
Principal jogador: López Rekarte
Fique de olho: Vidangossy
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Vidangossy (Villarreal), Julio dos Santos (Bayern de Munique/ALE), Diego (Atlético-MG/BRA), Pulido (Getafe), Negredo (Real Madrid Castilla), Cobeño (Sevilla), Corona (Zaragoza), Ortiz (Poli Ejido), López Rekarte (Real Sociedad), Dimas (Barcelona B), Felipe Melo (Racing de Santander), Natalio (Castellón) e Juanito (Real Sociedad)
Quem saiu: Westerveld, Valerio, De Palmas (Elche), Rodri (Deportivo), Mena (Alavés), Larrea (Real Sociedad) e Molo (Villarreal)
Técnico: Unai Emery
Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

O time é fraco, com elenco reduzido e pouca tradição. Em teoria, o Almería entra na competição na esperança de encontrar alguma coisa que o torne um pouco melhor que três outros times e o livre do rebaixamento. Esse diferencial pode ser a aposta em revelações sul-americanas. O goleiro Diego surge como boa promessa e a dupla de meias Vidangossy (chileno) e Dos Santos (paraguaio) tem talento. São jogadores inexperientes, mas podem dar um molho extra ao time andaluz e salvá-lo da degola.

ATHLETIC DE BILBAO

Nome do Clube: Athletic Club (Bilbao)
Estádio: San Mamés (40.000 lugares)
Principal jogador: Yeste
Fique de olho: Iraizoz
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Aitor Ocio (Sevilla), David López (Osasuna), Muñoz (Osasuna), David Cuellar (Gimnàstic) e Iraizoz (Espanyol)
Quem saiu: Sarriegi (Panathinaikos/GRE), Urzaiz (Ajax/HOL), Iturriaga (Salamanca), Javi González (Hércules), Tarantino (Alavés), Unai Alba (Hércules) e Lafuente (Espanyol)
Técnico: Joaquín Caparrós
Objetivo na temporada: ficar no pelotão intermediário

O Athletic de Bilbao começou o mercado fazendo barulho, prometendo repatriar vários jogadores bascos que se espalharam pela Europa para voltar a ser competitivo nacionalmente. Trouxe alguns bons jogadores nas primeiras semanas e parou. Ou seja, o time continua muito parecido com o que escapou do rebaixamento no sufoco nas duas últimas temporadas. Caparrós é um técnico competente e sabe trabalhar com elencos baratos. Se conseguir isso e Yeste não se machucar, ao menos dá para ficar no meio da tabela. Ah, e atenção para o goleiro Iraizoz, ex-Espanyol, que não teve grandes oportunidades ainda, mas pode resolver o problema crônico do Athletic na posição.

ATLÉTICO DE MADRID

Nome do Clube: Club Atlético de Madrid (Madri)
Estádio: Vicente Calderón (54.851 lugares)
Principal jogador: Forlán
Fique de olho: Raúl García
Competição continental que disputa: Intertoto (classificou para Copa da Uefa)
Contratações: Reyes (Real Madrid), Simão (Benfica/POR), Luis García (Liverpool/ING), Forlán (Villarreal), Abbiati (Milan/ITA), Raúl García (Osasuna), Cléber Santana (Santos/BRA) e Diego Costa (Braga/POR)
Quem saiu: Pichu (Eibar), Petrov (Manchester City/ING), Molinero (Mallorca), Fernando Torres (Liverpool/ING), Azcárate (AEK/GRE), Galletti (Olympiacos/GRE) e Gabi (Zaragoza)
Técnico: Javier Aguirre
Objetivo na temporada: lutar por vaga na Liga dos Campeões

Sabe aquele time grande que está desesperado pela falta de títulos e começa a gastar tresloucadamente em reforços que têm jeito de que não darão certo? A coluna pode até queimar a boca, mas o Atlético de Madrid tem esse jeitão. Conseguiu ser um dos clubes europeus que mais gastou em reforços e levou a Manzanares jogadores que não parecem ideais para resolver os problemas da equipe. Forlán é a rara exceção e Riquelme, se ainda for contratado, seria outra. Raúl García, por ser uma revelação e ter custado pouco, também merece crédito. O pior é que, com os milhões investidos, é quase que obrigação lutar pelo título da Copa da Uefa e brigar por vaga na Liga dos Campeões. Em teoria, os colchoneros têm time para isso. Mas a prática nem sempre confirma isso.

BARCELONA

Nome do Clube: Fútbol Club Barcelona (Barcelona)
Estádio: Camp Nou (98.787 lugares)
Principal jogador: Ronaldinho
Fique de olho: Giovani dos Santos
Competição continental que disputa: Liga dos Campeões
Contratações: Yaya Touré (Monaco/FRA), Henry (Arsenal/ING), Abidal (Lyon/FRA) e Gabriel Milito (Zaragoza)
Quem saiu: Giuly (Roma/ITA), Van Bronckhorst (Feyenoord/HOL) e Saviola (Real Madrid)
Técnico: Frank Rijkaard
Objetivo na temporada: lutar pelo título

Nenhum clube espanhol tem um elenco tão estelar quanto o Barcelona. Só a linha ofensiva, com Ronaldinho, Henry, Messe e Eto’o já impressiona. Mas não pára aí. Os blaugranas ainda têm Deco, Zambrotta, Thuram (pode sair a qualquer momento) e Abidal. O que ainda está difícil responder é: como montar um time? O Barcelona contratou bem, mas não parece ter um projeto muito definido. Por exemplo, Ronaldinho e Deco ainda podem sair antes de o campeonato começar. O racha no elenco que ocorreu na temporada passada não foi completamente curado e não se tomou medidas que indicassem alguma solução, até porque a comissão técnica não tem pulso firme. Se o clube conseguir esquivar-se de seus próprios problemas, é favorito com sobras ao título. Caso contrário, pode ser mais um caso de time que se implode e não atende ao enorme potencial.

BETIS

Nome do Clube: Real Betis Balompié
Estádio: Manuel Ruiz de Lopera (51.309 lugares)
Principal jogador: Juanito
Fique de olho: Somoza
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Somoza (Villarreal), Ricardo (Sporting/POR), Pavone (Estudiantes/ARG), Mark González (Liverpool/ING), Babic (Bayer Leverkusen/ALE) e Lima (Atlético-MG/BRA)
Quem saiu: Juanlu (Córdoba), Maldonado (Gimnàstic), Robert, Romero, Benjamín (Xerez), Óscar López (Gimnàstic), Dani (Cádiz), Contreras(Cádiz) e Pancraté
Técnico: Héctor Cúper
Objetivo na temporada: lutar por vaga na Copa da Uefa

Por causa das discussões com Ronaldo na época de Internazionale, Héctor Cúper ficou com má fama entre a torcida brasileira. Mas isso é maldade. O argentino é um bom técnico e sabe muito bem organizar um time, mesmo quando o orçamento é baixo. Por isso, a perspectiva inicial do Betis até é boa, sobretudo se comparada às duas últimas temporadas. O otimismo ganha força ainda pela contratação de bons nomes, como o promissor atacante argentino Somoza (ex-Vélez Sársfield), o chileno Mark González, o artilheiro Pavone e o goleiro Ricardo (que não é um espetáculo, mas cresce nos momentos decisivos e é mais seguro que Doblas).

DEPORTIVO DE LA CORUÑA

Nome do Clube: Real Club Deportivo de La Coruña (A Coruña)
Estádio: Riazor (34.600 lugares)
Principal jogador: Manuel Pablo
Fique de olho: Guardado
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Lafita (Zaragoza), Aythami (Las Palmas), Guardado (Atlas/MEX), Rodri (Almería), Rubén Castro (Gimnàstic), Momo (Racing de Santander), Xisco (Vecindario), Iván Carril (Palencia), Pablo Amo (Recreativo), Manu (Sporting Gijón) e Jairo Álvarez (Sporting Gijón)
Quem saiu: Jorge Andrade (Juventus/ITA), Capdevila (Villarreal), Arizmendi (Valencia), Juanma (Tenerife), Duscher (Racing de Santander) e Estoyanoff (Valladolid)
Técnico: Miguel Ángel Lotina
Objetivo na temporada: ficar no pelotão intermediário

Quem se acostumou a ver o Deportivo entre os primeiros colocados, lutando por vagas em copas européias, é bom rever seus conceitos. O time 2007/8 é bastante modesto e não seria de se estranhar se até ficasse ameaçado pelo rebaixamento em algum momento. Nas últimas temporadas, o time foi se desmontando. Os poucos bons jogadores que ainda estavam em Riazor foram embora neste verão, casos de Jorge Andrade, Capdevila, Arizmendi e Estoyanoff. A nova base é formada por jovens que estavam no clube e revelações da segunda ou terceira divisão.

ESPANYOL

Nome do Clube: Reial Club Esportiu Espanyol de Barcelona (Barcelona)
Estádio: Olímpico Lluís Companys “Montjuïc” (54.000 lugares)
Principal jogador: Tamudo
Fique de olho: Smiljanic
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Smiljanic (Partizan/SER), Valdo (Osasuna), Clemente Rodríguez (Spartak Moscou/RUS), Casilla (Real Madrid Castilla), Sergio Sánchez (Real Madrid Castilla), Plata (Málaga), Jonathan (Poli Ejido) e Lafuente (Athletic de Bilbao)
Quem saiu: Ito (Córdoba), Pandiani (Osasuna), Robusté (Levante), Eduardo Costa (Grêmio/BRA), Fede (Gimnàstic), Biel, Velasco, Julián (Sevilla Atlético) e Iraizoz (Athletic de Bilbao)
Técnico: Ernesto Valverde
Objetivo na temporada: lutar por vaga na Copa da Uefa

Nas duas últimas temporadas, o Espanyol teve campanha discreta no campeonato nacional por priorizar a Copa da Uefa (foi vice em 2006/7). Desta vez, o clube não disputa competições internacionais e terá condições de mostrar seu potencial. Se isso de fato ocorrer, é um concorrente de respeito para brigar pela Copa da Uefa. O time tem boa estrutura, com Iván de la Peña, Luis García e Tamudo servindo de referência, Kameni e Lacruz dando segurança defensiva e o técnico Ernesto Valverde conhecendo seu elenco a fundo.

GETAFE

Nome do Clube: Getafe Club de Fútbol (Getafe)
Estádio: Coliseum Alfonso Pérez (16.000 lugares)
Principal jogador: Casquero
Fique de olho: Ustari
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Signorino (Nantes/FRA), Ustari (Independiente/ARG), Kepa (Sevilla), Díaz (Boca Juniors/ARG), Uche (Recreativo de Huelva), Mario (Recreativo de Huelva), Pablo Hernández (Cádiz) e Pallardó (Valencia)
Quem saiu: Güiza (Mallorca), Vivar Dorado (Valladolid), Paredes (Zaragoza), Alexis (Valencia), Verpakovskis (Dinamo de Kiev/UCR) e Pulido (Almería)
Técnico: Michael Laudrup
Objetivo na temporada: ficar no pelotão intermediário

O Getafe nunca teve pudor de vender seus melhores jogadores e montar times bastante renovados na temporada seguinte. Até agora, sempre deu certo. Mas também sempre fica aquela sensação de que o time pode despencar a qualquer momento. É novamente o que passa pela cabeça do torcedor. Güiza, Alexis e Vivar Dorado eram jogadores importantes e partiram. Menos mal que o goleiro Abbondanzieri ficou. As contratações forma boas, mas sempre como aposta no potencial de jogadores jovens (casos evidentes de Uche, Kepa e Ustari), e não em talentos já consolidados. Se Laudrup souber dar continuidade à linha de Schuster e mantiver o perfil confiante e competitivo da equipe, o Getafe pode ter mais um anos tranqüilo.

LEVANTE

Nome do Clube: Levante Unión Deportiva (Valência)
Estádio: Ciutat de Valencia (25.534 lugares)
Principal jogador: Riganò
Fique de olho: Storari
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Riganò (Messina/ITA), Storari (Milan/ITA), Javi Fuego (Sporting Gijón), Pedro León (Murcia), Arveladze (AZ/HOL), Cirillo (AEK/GRE), Viqueira (Recreativo de Huelva), Sávio (Real Sociedad), David Castedo (Sevilla), Kujovic (Roda/HOL), Geijo (Xerez) e Robusté (Espanyol)
Quem saiu: Nino (Tenerife), Dehú, Zé Maria, Molina, Salva (Málaga), Kapo (Birmingham City/ING), N’Diaye (Tenerife), Javi Rodríguz (Racing de Ferrol), Diego Camacho (Valladolid) e Reggi
Técnico: Abel Resino
Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

O Levante tem a um mérito: não se ilude sobre suas possibilidades. O clube sabe que é pequeno e trabalha com isso em mente quando monta um elenco despretensioso. Na temporada passada, a aposta foi em jogadores franceses disponíveis. Desta vez, os azulgranas foram à Itália. Além de Tommasi, que já estava em Valência, estarão entre os levantistas o oportunista Riganò e o goleiro Storari. Além deles, merecem menção Arveladze, Viqueira e Sávio, veteranos que apresentaram bom futebol na temporada passada e podem ajudar. Se Abel Resino mantiver o bom trabalho da temporada passada, o Levante pode ficar mais um ano entre os grandes.

MALLORCA

Nome do Clube: Real Club Deportivo Mallorca (Palma de Maiorca)
Estádio: ONO (23.142 lugares)
Principal jogador: Arango
Fique de olho: Gonzalo Castro
Competição continental que disputa: nenhuma
Contratações: Güiza (Getafe), Puga (Universidad Las Palmas), David Navarro (Valencia), Molinero (Atlético de Madrid), Webó (Osasuna), Borja Valero (Real Madrid Castilla), Lux (River Plate/ARG) e Gonzalo Castro (Nacional/URU)
Quem saiu: Martí Crespi (Granada 74), Rafita (Castellón), Prats, Maxi López (Barcelona), Tristán (Livorno/ITA), Jankovic (Palermo/ITA) e Delibasic (Real Sociedad)
Técnico: Gregorio Manzano
Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

Como em 2006/7, o Mallorca continua dependendo de seu trio sul-americano – Arango, Ibagaza e Jonás – de meio-campo. Aliás, essa dependência ficará maior, porque o bom sérvio Jankovic deixou o clube balear. Para ajudar, chegou o atacante uruguaio Gonzalo Castro (não confundir com o alemão de mesmo nome), que fez excelente Libertadores pelo Nacional de Montevidéu e o camaronês Webó. De resto, os mallorquines seguem com pretensões modestas e contando com bons resultados em casa para evitar o rebaixamento.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo