EspanhaEuropaInglaterraLiga Europa

Golaço de Rashford finalmente venceu Álvarez e colocou o United em vantagem

Parecia mais um jogo do Manchester United como tantos nesta temporada: controle da bola, um bom volume de chances criadas e um tão grande quanto de chances desperdiçadas, com muitos méritos ao goleiro do Celta de Vigo, Sergio Álvarez. Quando parecia que a primeira partida da semifinal da Liga Europa caminharia para mais um empate, Marcus Rashford encontrou uma maneira de vencer o paredão espanhol e acertou uma linda cobrança de falta para colocar os ingleses em vantagem, por 1 a 0, 1na briga por vaga na decisão.

LEIA MAIS: Rashford: “Vocês verão os benefícios da influência de Ibrahimovic sobre mim com o passar dos anos”

A vitória do Manchester United por 1 a 0 foi mais magra do que o jogo merecia porque o Celta de Vigo não fez grande coisa, mesmo no Balaídos, onde construiu resultados importantes para avançar pelas oitavas e as quartas de final. Agora, precisa fazer como no duelo contra o Shakhtar Donetsk, quando perdeu em seus domínios e conseguiu, na prorrogação e fora de casa, passar pelos ucranianos. O agravante: a viagem é para Old Trafford, e o adversário, o Manchester United.

A história poderia ter sido outra se o Celta de Vigo tivesse aberto o placar na primeira chance que teve, logo aos 12 minutos. Wass apareceu entre os zagueiros do United e, livre, tentou cabecear no canto de Sergio Romero. Mas tirou demais do goleiro argentino e mandou para fora. Na segunda etapa, seria Wass quem colocaria a bola na cabeça de Aspas, em mais uma tentativa pelo alto que passou perto. Exceto isso, exigiu apenas duas defesas de Romero. Uma delas foi bem difícil, em um chute desviado de Sisto que quase enganou o arqueiro.

Enquanto isso, o Manchester United martelava a meta de Sergio Álvarez, em uma noite bem inspirada. Sua primeira grande defesa foi em um chute colocado de Rasfhrod, da entrada da área, que ia com tudo para o ângulo. Pogba, como um tanque, avançou pela intermediária e achou Mkhitaryan, pela esquerda, mas o chute cruzado do armênio parou nos pés de Álvarez, que também interveio muito bem cara a cara com Lingaard, após bom passe de Rashford.

 

O 0 a 0 parecia escrito em pedra, mas o United teve uma falta, pela direita da grande área. A jogada ensaiada funcionou muito bem: Blind fingiu que bateria de canhota e passou por cima da bola. Álvarez hesitou. Rashford mandou um chute aberto e muito preciso, no canto do goleiro, que se esticou para tentar desviar e não conseguiu. Um golaço.

 

Vitória essencial pelo Manchester United, que, além de colocá-lo próximo da briga por um título continental, mantém aberta uma segunda via para se classificar à Champions League, depois do empate, em casa, com o Swansea, pela Premier League, que deixou os homens de Mourinho em situação mais complicada para conseguir essa vaga por meio do Campeonato Inglês. E tudo graças ao brilhantismo de Rashford.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo