Espanha

Foi assim que defesa de Dani Alves diminuiu sua pena pela metade

Daniel Alves, condenado a 4 anos e 6 meses, terá também de pagar 150 mil euros à vítima segundo decisão do tribunal espanhol

Saiu a condenação de Daniel Alves. Acusado de estupro, o ex-jogador foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão pelo crime. O seu processo se tornou público nesta quinta-feira (22), pela Audiência Provincial de Barcelona. Entretanto, a pena poderia ter sido ainda mais longa para ele. Bem mais longa.

Isso porque a defesa de Daniel Alves conseguiu trabalhar junto ao tribunal para reduzir a pena do ex-atleta pela metade levando em conta o pedido da promotoria do caso. Isso será possível com o pagamento de 150 mil euros para a vítima do brasileiro. Na sentença emitida pelo tribunal, está escrito que ‘foi aplicada a atenuante de reparação de dano ao processado Daniel Alves'. Segundo a ordem, o dinheiro foi entregue ‘à vítima sem nenhum tipo de condicionante'.

De acordo com a decisão, a fiança dada a vítima ‘expressa uma vontade reparadora que tem que ser comtemplada como uma atenuante'. A promotoria pedia que Daniel Alves ficasse preso por 9 anos, enquanto os advogados da vítima pediam que o brasileiro ficasse em cárcere por até 12 anos. Levando em conta a atenuante e a pena atribuída, é possível ver que a pena foi reduzida exatamente pela metade do pedido pela promotoria.

Além disso, o brasileiro também estará por 5 anos em liberdade vigiada na Espanha, está proibido de se aproximar da casa ou do lugar de trabalho da vítima por 1000 metros e de se comunicar com ela por qualquer meio por 9 anos e 6 meses. Vale destacar ainda que Daniel Alves está preso há 1 ano e um mês, desde janeiro de 2023.

Mãe de Daniel Alves foi à Espanha para o julgamento do ex-jogador de futebol (foto: Iconsport)

Defesa vai recorrer

Apesar da redução, a defesa queria também incluir que Daniel Alves estava bêbado no momento do contato com a vítima. Porém, o tribunal rejeitou o argumento da defesa. Mesmo assim, a advogada dele, Inés Guardiola, afirmou à imprensa que recorrerá da decisão proferida nesta quinta-feira (22).

– Neste momento só posso dizer que vamos recorrer da sentença. Continuo acreditando na inocência do Sr. Alves. Tenho que estudar a sentença, mas posso adiantar que vamos recorrer. Alves está inteiro. Como vocês entenderão, quatro anos e seis meses é melhor que os nove e 12 que a acusação pedia, mas acredito na inocência do Alves e vamos recorrer. Defenderemos sua inocência até o fim.

Mesmo que a pena seja quase 3 vezes menor que a solicitada, o advogado da vítima comemorou a decisão, na porta do edifício onde o caso foi julgado, em Barcelona.

– Estamos satisfeitos porque é uma condenação que reconhece o que soubemos sempre: a verdade da vítima e o sofrimento dela. Contentes por ela e por todas. Temos que acabar de revisar o conteúdo completo da sentença e se a gravidade da pena se ajusta aos acontecimentos.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo