Espanha

Atlético de Madrid goleia fora de casa como não fazia desde 1951 pelo Espanhol

O Atlético de Madrid, por mais que viva excelentes anos no Campeonato Espanhol, não é dos times mais acostumados a golear. Os massacres do time de Diego Simeone são mais raros, se comparados com os de Barcelona e Real Madrid. Além disso, dificilmente acontecem longe do Estádio Vicente Calderón. Neste sábado, todavia, os colchoneros experimentaram uma tarde atípica nas Ilhas Canárias. Detonaram o Las Palmas por 5 a 0, com direito a três gols nos primeiros 18 minutos. Segundo dados do Mister Chip, foi o maior triunfo dos rojiblancos fora de casa na Liga desde 1951.

Kevin Gameiro teve atuação determinante para o passeio do Atleti. O francês marcou dois gols nos primeiros 18 minutos, enquanto Saúl Ñíguez anotou o outro que indicava a goleada colchonera. O time tirou o pé do acelerador, mas voltou a bater nos 20 minutos finais do segundo tempo. Thomas Partey e Fernando Torres completaram a festa diante do Las Palmas, que faz boa campanha no geral, mas perdeu força nas últimas rodadas. Esta é a segunda maior vitória do clube de Madri como visitante na história de La Liga, atrás apenas dos 7 a 2 sobre o Sporting de Gijón em 1948. Iguala os 5 a 0 sobre o Athletic Bilbao em 1940 e os 5 a 0 sobre o Zaragoza em 1951.

A goleada tem poucos efeitos práticos na tabela do Espanhol. O Atlético soma 71 pontos, três a mais que o Sevilla, se confirmando na terceira colocação – que oferece uma vaga direta na fase de grupos da Champions. O resultado vale mais para injetar ânimo no elenco de Diego Simeone, às vésperas de seu duelo com o Real Madrid pelas semifinais da Liga dos Campeões. Aí sim os gols serão imprescindíveis aos colchoneros.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo