O Bayer Leverkusen finalmente conseguiu a sua primeira vitória na Champions League. Jogando em casa, na BayArena, o time alemão venceu o Atlético de Madrid por 2 a 1, em uma partida que uma pessoa mais distraída poderia confundir em alguns momentos com outro esporte, o rúgbi. O resultado fez com que os Aspirinas respirassem na competição e, com seus três primeiros pontos, ainda sonhe com classificação, a duas rodadas do fim.

O primeiro tempo foi pobre de futebol. Os dois times tiveram muitas disputas, mas poucos lances trabalhados. O time comandado pelo técnico Diego Simeone pareceu ir até a Alemanha para tentar travar o jogo, ao menos no primeiro tempo. Já Peter Bosz tentava jogar, mas tinha dificuldades. O jogo não fluía e finalizar foi difícil. Foram nove chutes a gol, um apenas certo.

O jogo tinha lances curiosos, com muitos jogadores concentrados em um pequeno espaço de campo nas bolas paradas. Foi assim que um gol saiu, de uma maneira horrorosa. Aos 40 minutos do primeiro tempo, o gol saiu para os mandantes. Um lance que parecia de rúgbi, com muitos jogadores dentro da área, a bola sobrou pelo alto para Thomas Partey. Ele tentou a cabeçada para frente, mas errou. Ela foi para trás e pegou todo mundo desprevenido: 1 a 0 para o Leverkusen.

O segundo tempo tinha começado há pouco quando o Leverkusen chegou ao segundo gol. Eram nove minutos quando Bellarabi cruzou da direita para encontrar o centroavante e capitão do time, Kevin Volland, dentro da área. Ele dominou com a perna e fuzilou com a direita: 2 a 0. Primeiro gol dele na Champions nestes quatro primeiros jogos.

Aos 29 minutos, o Atlético conseguiu um gol, mas acabou anulado por impedimento. Ele estava no meio da área no momento de um chute de Hermoso, mas o replay mostrou que ele estava em posição de impedimento. Gol bem anulado.

Houve uma certa confusão dentro da área pouco depois, aos 32 minutos, em uma cobrança de escanteio para o Leverkusen. OS jogadores se amontoavam dentro da área e começou um empurra-empurra. O árbitro, então, chamou quatro jogadores depois da confusão e deu amarelo a todos eles: Jan Oblak e Álvaro Morata pelo Atlético e Jonathan Tah e Karim Bellarabi pelo Leverkusen.

O jogo esquentou. Tanto que aos 39 minutos, atacante Nadiem Amiri deu uma entrada violenta em Santiago Arias, um carrinho muito perigoso, e acabou expulso. O Atlético cresceu nos minutos finais em busca de ao menos um gol.

Já nos acréscimos, o Atlético arrancou o gol. Thomas Partey, pelo meio, achou um belo passe para Morata, no meio da defesa dos Aspirinas. O camisa 9 dominou e chutou forte, diminuindo o placar. Parecia que seria o lance final do jogo. Só que o Atlético ainda arrumou forças para tentar mais. Morata, dentro da área, recebeu uma nova chance, chutou forte e o goleiro Lukas Hradecky fez uma grande defesa, já com o relógio marcando quase 50 minutos.

O Atlético tentou mais uma vez, mas não houve tempo para mais nada. O apito final fez com que os jogadores do Atlético caíssem no chão, cansados. Os jogadores do Leverkusen comemoraram muito. Ainda sonham com uma difícil, mas possível classificação. É improvável, claro, porque precisará vencer seus dois últimos jogos e, assim, chegar a nove pontos. E, mesmo assim, dependerá de outros resultados, com o Atlético de Madrid perdendo as duas.

Standings provided by Sofascore LiveScore