Erguer a taça da Liga dos Campeões marca a passagem de qualquer jogador por um clube. Por isso mesmo, Clarence Seedorf é tão idolatrado em Amsterdã, Madri e Milão. O holandês é o único jogador em toda a história do torneio a se sagrar campeão com três camisas diferentes. O prodígio estourou com o timaço do Ajax em 1995. Era uma das estrelas do Real Madrid na reconquista em 1998. E também uma das lideranças do Milan nas vitórias em 2003 e 2007. Craque de verdade pela classe com a bola nos pés, mas também pela inteligência – o que nós, brasileiros, tivemos a honra de ver de perto em sua passagem pelo Botafogo.

VEJA TAMBÉM: Duas pérolas do menino Seedorf nos tempos de Holanda

O surgimento no Ajax e os dez anos de serviços prestados ao Milan, naturalmente, tornam Seedorf mais identificado com os dois clubes. Mas não dá para ignorar que a fase espetacular que o meia viveu em sua passagem pelo Real Madrid. O holandês chegou em 1996, aos 20 anos, após passar um ano na Sampdoria. Manteve-se titular absoluto por três temporadas e conquistou quatro títulos, disputando também a Copa de 1998 como jogador merengue. Por seis meses, ainda teria conquistado mais uma Champions, não fosse a transferência para a Internazionale em dezembro de 1999 – quando se tornou a terceira contratação mais cara da história dos nerazzurri, atrás apenas de Vieri e Ronaldo.

Como legado aos madridistas, Seedorf deixou várias lembranças de lances espetaculares. A principal, ocorrida em um clássico contra o Atlético de Madrid, na primeira rodada do Campeonato Espanhol de 1997/98. Os colchoneros contavam com um time forte, com Caminero, Vieri e Pantic entre seus destaques. Juninho abriu o placar no Bernabéu, mas Seedorf buscou o empate aos 30 minutos do segundo tempo, surpreendendo o goleiro Molina com um chutaço do meio de campo. A maior obra-prima de sua carreira.

Nesta terça, Seedorf completa 39 anos. Não fosse a decisão de assumir o comando do Milan no meio da última temporada (e ser queimado de maneira infantil pela diretoria rossonera), poderia muito bem ainda estar desfilando o seu talento pelos gramados. Preferiu manter as chuteiras penduradas, com a certeza ter sido um dos meias mais cerebrais que o futebol teve nos últimos 20 anos.

E, como nunca é demais relembrar grandes lances, mais dois vídeos do craque. O passe espetacular de Seedorf para Raúl, no gol que definiu a vitória do Real Madrid sobre o Vasco, na final do Mundial Interclubes de 1998, além de um compilado de lances do meio-campista com a camisa merengue.